Principal » Tag "Bahia"
Luiz Gonzaga Gonçalves

Educação popular no sertão baiano: um balanço de 20 anos

O Serviço de Assessoria a Organizações Populares-SASOP, com representação em Remanso, em Salvador e em Camamu, Bahia, completou em 2009 vinte anos de trabalho de apoio à agricultura familiar e à agroecologia. Sua atuação ganhou destaque, de modo especial, na região do lago de Sobradinho, especialmente nos municípios de Remanso, Pilão Arcado e Campo Alegre de Lourdes. No contexto da avaliação de seus 20 anos de existência, o SASOP, através de sua coordenação, gentilmente convidou-me para um encontro para troca de experiências, avaliação e evidentemente de celebração, em Remanso. Pertenci ao grupo que acolheu naquela região parte dos assessores que fundaram o SASOP, em 1989. Este trabalho significa, portanto, um esforço de registrar as marcas que ficaram da viagem de uma semana, do fim de janeiro e início de fevereiro de 2010, quando retornei a Remanso e Campo Alegre de Lourdes e reatei vivamente os contatos com a paisagem e com os educadores e animadores populares da região.
Marcelo de Oliveira Souza

Encontro de escritores baianos independentes

Numa cidade que fervilha cultura por todos os poros, a categoria dos escritores fica à parte, sem incentivos culturais suficientes, essa louvável classe muitas vezes termina com seus rascunhos na mão, idealizando o sonho de poder um dia editar o seu próprio livro. Isso é apenas o começo de uma grande jornada percorrida por quem deseja ser um escritor na Bahia, encima dessa lacuna, algumas pessoas como Roberto Leal e Carlos Souza, têm levantado a bandeira do pioneirismo, dinamizando a cultura soteropolitana.
Marcelo Alonso Morais

A festa de Ogum no Rio de Janeiro: a construção do sentimento de pertencimento.

Filho de Iemanjá, Ogum tem sua importância destacada pela ligação com os metais, principalmente o ferro, matéria-prima básica para os instrumentos utilizados por caçadores e agricultores. É associado atualmente à metalurgia e à siderurgia, representando, dentro do panteão africano, um símbolo da Revolução Industrial. Não é a toa que muitas das oferendas à Ogum são realizadas em ferrovias, simbolizando a abertura dos caminhos diante do elemento ferro. Por conta dos metais, Ogum passou a ser associado à guerra, desviando seu papel de comandante das atividades agrícolas para a atividade bélica e passando a ser o “Vencedor das demandas”
Ronaldo Silva

O que é a escravidão?

Com relação à escravidão, quando abordamos tal assunto vêm-nos a memória a imagem e entendimento clássico do negro africano, subjugada no processo colonial mercantil europeu no século XV-XVI. Dentre todos os países da Europa Ocidental, o que mais ressaltou no processo escravizatório que nos quantifica etnicamente afro é Brasil-Portugal.