Início » Políbio Braga » Sogro da filha de Fachin é chefe de uma das empresas da JBS

Sogro da filha de Fachin é chefe de uma das empresas da JBS

O sogro da filha do ministro do STF Edson Fachin é chefe em uma das empresas da família do empresário Joesley Batista, levantou reportagem da Folha de S. Paulo. O acordo de colaboração premiada de Joesley foi homologado no Supremo pelo magistrado.

De acordo com o jornal paulista, Marcos Gonçalves é pai de Marcos Alberto Rocha Gonçalves, casado com uma das filhas do ministro e sócio fundador do escritório Fachin Advogados e Associados, do qual o ministro se afastou ao assumir o cargo no STF.

Marcos Gonçalves trabalhou por dezesseis anos para o grupo J&F, dos irmãos Joesley e Wesley, e agora seria chefe de compra de gado do Mataboi Alimentos, frigorífico administrado por José Batista Júnior, o mais velho dos irmãos Batista. Este foi presidente da JBS entre 1980 e 2005, se candidatou ao governo de Goiás e passou a integrar o Conselho de Administração.

Empresário diz que recusou comprar imóvel de Aécio

O jornal Valor foi atrás da informação do delator Joesley Batista, aceita pelo procurador Rodrigo Janot e pelo ministro Edson Fachin, segundo a qual a venda de um apartamento da mãe do senador Aécio Neves por R$ 2 milhões, foi apenas troca de favores por propina. Marco de Moura e Souza, jornalista do Valor, comprovou que que o senador e a família tentaram o mesmo negócio com empresários mineiros. Um dos empresários localizados pelo jornal, confirmou a oferta feita pela irmã de Aécio, Andreia.

Segundo Aécio, seria um duplex em São Conrado, Rio, mil e duzentos metros quadrados, o que não parece provável. O edifício onde está o duplex foi construído pelo segundo marido de Inês Maria, o banqueiro Gilberto Faria, ex-dono do Banco Real, que já morreu. Inês Maria casou com Farias depois que enviuvou do pai de Aécio. O jornal diz que a Sotheby’s avaliou o apartamento em R$ 36 milhões e com valor de aluguel de R$ 80 mil.

A localização do imóvel é ponto não esclarecido por Valor e poderia estar localizado de fato em Belo Horizonte, já que este foi de fato oferecido a empresários mineiros por Andréia e Aéci, segundo o jornal.

*Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em Santa Catarina, foi para o Rio Grande do Sul aos vinte anos. Foi presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas entre 1962 e 1963. Foi secretário da Indústria e Comércio e da Fazenda de Porto Alegre, além de secretário de Relações Internacionais e chefe da Casa Civil do governo do estado do Rio Grande do Sul. Foi preso duas vezes durante o regime militar brasileiro, em 1962 e 1972. Publicou um livro sobre esta experiência, chamado Ahú, diário de uma prisão política. Trabalhou nos jornais Diário Catarinense, Correio da Manhã, Última Hora, Gazeta Mercantil, Zero Hora, Correio do Povo e Jornal do Comércio, e nas revistas nas Veja e Exame. Também apresentou e participou de programas de televisão na RBS, Band, TV Pampa e TV Guaíba além de programas de rádio. Blog do Políbio Braga

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*