Início » Políbio Braga » Sérgio Cabral desfruta de mordomias na cadeia

Sérgio Cabral desfruta de mordomias na cadeia

Mesmo preso, ex-governador Sérgio Cabral segue tendo mordomias.

Após ficar preso na mesma ala do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), em Bangu 8, um presidiário denunciou as regalias recebidas pelo político dentro do presídio.

Em entrevista à rádio BandNews FM, ele contou que Cabral não come comida da prisão. Em vez disso, lhe são preparados strogonoff, picanha e feijoada, entre outros pratos diferenciados. Também recebe jornal diariamente e só fica dentro de sua cela quando os outros detentos estão em banho de sol. O restante do dia, fica solto.

Em sua cela, que Cabral divide com mais três pessoas, ele tem um colchão mais confortável que os usados pelos outros detentos, além de ventilador e um cooler, abastecido diariamente com dois sacos de gelo.

Diferente dos demais, o ex-governador não usa o uniforme padronizado da penitenciária, mas roupas comuns, relatou o detento. Cabral está preso desde novembro, quando foi deflagrada a Operação Calicute, também desdobrada da Lava Jato.

*Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em Santa Catarina, foi para o Rio Grande do Sul aos vinte anos. Foi presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas entre 1962 e 1963. Foi secretário da Indústria e Comércio e da Fazenda de Porto Alegre, além de secretário de Relações Internacionais e chefe da Casa Civil do governo do estado do Rio Grande do Sul. Foi preso duas vezes durante o regime militar brasileiro, em 1962 e 1972. Publicou um livro sobre esta experiência, chamado Ahú, diário de uma prisão política. Trabalhou nos jornais Diário Catarinense, Correio da Manhã, Última Hora, Gazeta Mercantil, Zero Hora, Correio do Povo e Jornal do Comércio, e nas revistas nas Veja e Exame. Também apresentou e participou de programas de televisão na RBS, Band, TV Pampa e TV Guaíba além de programas de rádio. Blog do Políbio Braga

Comentários

comentários

Comentários

  1. Beverly disse:

    Quer dizer que algo continua a se repetir no Brasil: a propinex, ou caixinha, que deve ser alta. O Diretor do presídio deveria adotar medidas prá acabar com essa sacanagem. Alguém está sendo comprado! Melhor dizendo, alguém está se vendendo para um cara que que não vale o que come. Tantos passando fome, sem moradia, crianças doentes, hospitais sem funcionamento e idem remédios, salários baixos dos professores, dos PM, mortes gratuitas, buracos, estradas arrebentadas, sujeiras de todos os níveis e esse canalha montado na grana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*