Início » Jorge Béja » Que barbaridade, o TSE decidiu contra a democracia e o povo brasileiro!

Que barbaridade, o TSE decidiu contra a democracia e o povo brasileiro!

Todo este trabalho para quê? Ora, para nada.

Não. Não podemos aceitar. É preciso reagir. O Brasil é uma democracia. Cidadania e dignidade da pessoa humana são dois pilares fundamentais. A menor fissura os compromete. E o que se viu foi a derrubada, de um só golpe, da cidadania e da dignidade de todos os brasileiros. O povo não aceita arranjos. O povo não aceita a corrupção. O povo não admite decisões judiciais incoerentes, estapafúrdias e injustas. Os brasileiros são honestos. Em tudo e por tudo, o povo quer lisura. Votar e ser eleito é democracia pura. Pura, imaculada e imaculável. É o primeiro dos muitos direitos democráticos. Porque todos somos eleitores. E eleitores obrigatórios, segundo a lei.

Quem chega aos setenta anos, fica isento da obrigação. Mas continua eleitor. E se decidir ir à urna, vai e vota. Todos somos eleitores até mesmo desde a fecundação. A lei (artigo 02 do Código Civil) não protege os direitos dos nascituros? O que demanda tempo é o exercício desse sagrado direito democrático. É preciso, segundo a lei, atingir os dezesseis anos de idade. Mas nem esse tempo de espera deixa as crianças sem o atributo de cidadãos-eleitores. Até lá, o voto dos pais e dos tutores é o voto do pequeno filho e do infante-pupilo-tutelado.

A Justiça Eleitoral brasileira foi criada para a defesa dos direitos, garantias e prerrogativas dos eleitores. E garantir eleições limpas, rigorosamente limpas e cândidas, é dever que compete à Justiça Eleitoral assegurar. É a Justiça Eleitoral que representa o eleitor, que fala pelo eleitor, que decide pelo eleitor sobre a legalidade, ou não, da eleição que o eleitor participou.

Mas o que se viu nesta semana foi uma Justiça Eleitoral adversária do eleitor. Inimiga mesmo. Sua mais alta corte, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), legalizou, aprovou e declarou ter sido limpa uma eleição que foi podre, promíscua, prostituída, corrompida, fétida e sujíssima.

Só os “índios desconectados do Amazonas” é que não souberam que a Odebrecht fez delação premiada, como bradou o brilhante ministro e relator Herman Benjamin, ao falar sobre “fato público e notório”. Mas até esses mesmos índios souberam da abuso do poder econômico e político que a avassaladora corrupção levou a chapa Dilma-Temer ao poder em outubro de 2014.

Nem era preciso tantas e tantas provas, que o bravo e exemplar ministro Herman Benjamim obteve e exibiu, para que o TSE, tribunal constitucional eleitoral que tem o dever, o poder e a obrigação de defender todos os eleitores brasileiros, condenasse Temer à perda do mandato. Bastaria apenas uma, a de que o “caixa 1” foi abastecido com dinheiro fruto da corrupção, fruto de muitos e muitos crimes. E isso vai muito além do mero abuso do poder econômico e político.

Dinheiro roubado para provisionar campanha eleitoral não é mero abuso. É crime de lesa-pátria. É crime contra a honra e a soberania nacionais. É crime contra todo o povo brasileiro. E o dano é coletivo, difuso e geral. É dano irreparável. É crime imprescritível, sem limitação no tempo para ser apurado e punidos os que dele foram autores.

O Brasil está de luto. Não de três, sete ou trinta dias. O Brasil, desde o final deste horroroso julgamento, está de luto para todo e sempre. Choram 220 milhões de brasileiros contra a patifaria judicial-eleitoral que o TSE cometeu. E a esse luto-lamento até nossos antepassados desceram do paraíso, que é a Eternidade, para chorar junto conosco.

Estão vazias as tumbas em que repousavam Haroldo Teixeira Valladão, Adaucto Lúcio Cardoso, Pontes de Miranda, Aguiar Dias, Sobral Pinto, Víctor Nunes Leal, Carlos Maximiliano, Helly Lopes Meirelles e tantos outros vultos notáveis do mundo jurídico nacional.

Todos se levantaram e reencarnaram para dizer à decisão deste atual TSE um sonoro “Não, não concordamos. Foi um absurdo”.

Um detalhe, que parece que passou despercebido. A grande maioria dos eleitores brasileiros nem sabe para que serve a Justiça Eleitoral. Também desconhecem os locais onde a instituição tem sede, nas capitais dos Estados e em Brasília, capital federal. Pode-se contar no dedo os que sabem os nomes de seus juízes.

E quando veio a oportunidade de conhecer o plenário de sua mais alta corte e seus ministros, que entraram em nossas casas pela televisão durante toda a semana que hoje termina, nos deparamos com um ambiente sombrio. Muito sombrio, feio e fúnebre. É um auditório inclinado. E tudo na cor vermelha: paredes vermelhas, cortinas vermelhas, um monte de poltronas vermelhas… A cor vermelha não é a cor do céu. É uma cor que lembra sangue e fogo. Cor que indica perigo. Mas neste cenário de nenhuma inspiração e esperança brilhou a estrela do ministro Herman Benjamin, que ninguém conhecia. Saiba, Vossa Excelência, ministro Benjamin, que o senhor não perdeu. Nem o senhor nem os ministros Luiz Fux e Rosa Weber, que acompanharam o seu voto. Vossa Excelência foi o grande vencedor.

E ao grande vencedor termina-se este modesto articulado com a exortação de Rui Barbosa, lida em “Cartas de Inglaterra”: “Vós, juízes, que sois alevantados do povo para julgar os seus atos, lembrai que este próprio povo julgará a vossa justiça”.

*Jorge Béja é advogado no Rio de Janeiro e especialista em Responsabilidade Civil, Pública e Privada.

Comentários

  1. Alfredo Santos disse:

    É isso ai,vamos trabalhar,pagar mais imposto para fomentar a corrupção,milhão e bilhão,saiu de nossos bolso impostos,onde falta saúde,educação,segurança,vamos trabalhar mais e mais,vamos aposentar mais tarde para que possa sobrar mais para certos políticos.Quem rouba uma galinha é cadeia na certa,quem rouba milhões,bilhões nada acontece.
    Quero ser politico,faço minha delação reduz minha pena e não dá em nada,e fico ainda com dinheiro para gastar nos EUU,legal,
    Agorá roubar galinha,alimento ou remédio para os filhos não isso da cadeia na certa,e cadeia dura sem direito a delação premiada ,que a galinha erá para a vizinha que havia ganhado um filho e está desempregada por motivo da roubalheira no Brasil por certos políticos ,e sua criança está com fome,e ela precisa de fazer uma canja para ter mais leite,e por ai vai,legal.daqui uns dias estamos perdendo para nossa amiga Venezuela,né.
    É uma verdadeira baderna,uns que quebra os bens privados e publico,e a policia é acionada para coibir,só que o outro tipo de baderna que saqueia o dinheiro da saúde,segurança,educação etc…,como fica,anda de escolta,carrão blindado,come do bom e melhor,uns ia ganhar 500.000 por mes por 20 anos,sabe o cara não pode ter a cabeça raspada,mas o que roubou a galinha pode,até na cadeia há benefício para o cara da mala que saiu correndo com 500.000 mil,sabe porque ele saiu correndo,foi com medo da concorrência,ele queria se esconder do chefão,e levar maior parte, quantas pessoas seria tratada nos hospitais com 500.000 por 20 anos….?eles acha melhor morrer o povo do que salvar vidas,bom é corrupção daqui dali,vamos ver a hora do BNDES.
    a unica salvação ainda é a PF,se ela não tiver verbas o povo pode reunir e pagar as despesa da PF para combater a corrupção que sai mais barato,pois não haverá ministro este aquilo para cortar verba,pois as verbas cortada é de nossos imposto, e a doação podemos fazer.Vamos esperar o desenrolar da PF

    Com que podemos contar:
    PF e chaplim colorado.

  2. Teresinha Winter disse:

    Eu já creio que não haverá salvação. Iremos assim até que nada mais reste e que realmente o Brasil esteja no fundo do poço. Porque eles não estão mais se escondendo. Os crimes aparecem e eles continuam sorrindo, o sorriso da certeza da impunidade. O próprio STF foi parte nessa pouca vergonha. Quem dirá o TSE!!! E Lula voltará em 2018. Vocês sabem o que o povo está comentando, falo das minhas vizinhas, das pessoas na fila do supermercado? Unanimidade que não é burra: “No tempo do Lula, ele não queria tirar tudo da gente, era tudo normal, agora esses aí inventam coisa nova todo santo dia, tudo pra nos prejudicar”. É. O roubo continua, a corrupção continua, A FIESP e a FEBRABAN, juntamente com outras associações, pressiona pela liquidação da CLT, enfim, o quadro é de desgraça total. Eu já falo que é a mais pura MALDADE. Então, o povão tá pensando: “Ruim com o Lula, pior, muito pior, sem ele”. Quem vai elegê-lo? Ora, o Temer e sua quadrilha!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*