Início » Políbio Braga » Possível delação de Geddel preocupa cúpula do governo

Possível delação de Geddel preocupa cúpula do governo

O doleiro Lúcio Funaro apelidou Geddel Vieira Lima (Foto) de “Boca de Jacaré”. Isto porque o ex-ministro do governo de Michel Temer é conhecido por não ter papas na língua, o que é motivo de preocupação ao Palácio do Planalto.

Funaro afirmou à Polícia Federal que Geddel abocanhou R$ 20 milhões em propinas da JBS.

Na ordem de prisão emitida ontem, o juiz Vallisney de Souza Oliveira observou que o ex-ministro tentava obstruir as investigações da Operação Cui Bono, que apura desvios na Caixa Econômica Federal, da qual Geddel foi vice-presidente, no governo de Dilma Rousseff.

Não há consenso entre os aliados contra autorização para o STF processar Temer

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse ontem que o partido não fechará questão na bancada da Câmara contra a autorização para que o Supremo Tribunal Federal processe o presidente Michel Temer.

O jornal O Estado de São Paulo, em levantamento informal, constatou que as dez principais legendas que compõe a base aliada do governo também não fecharam apoio ao presidente no caso da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra ele por corrupção passiva.

São necessários 342 votos para que a Câmara autorize a abertura de processo contra Temer, de um total de 513 parlamentares.

*Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em Santa Catarina, foi para o Rio Grande do Sul aos vinte anos. Foi presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas entre 1962 e 1963. Foi secretário da Indústria e Comércio e da Fazenda de Porto Alegre, além de secretário de Relações Internacionais e chefe da Casa Civil do governo do estado do Rio Grande do Sul. Foi preso duas vezes durante o regime militar brasileiro, em 1962 e 1972. Publicou um livro sobre esta experiência, chamado Ahú, diário de uma prisão política. Trabalhou nos jornais Diário Catarinense, Correio da Manhã, Última Hora, Gazeta Mercantil, Zero Hora, Correio do Povo e Jornal do Comércio, e nas revistas nas Veja e Exame. Também apresentou e participou de programas de televisão na RBS, Band, TV Pampa e TV Guaíba além de programas de rádio. Blog do Políbio Braga

Comentários

comentários

Comentários

  1. Teresinha Winter disse:

    No governo, não estão preocupados com nenhuma delação mais. Estão todos protegidos, estão protegendo a si mesmos, um por todos e todos por um, não interessa o partido. Aliás, quantos presos já foram soltos? Quantos ainda estão presos? Façam a contabilidade. Os presos são EXCEÇÕES, que devem existir pra confirmar a REGRA: NENHUM POLÍTICO VAI PRESO NO BRASIL, PORQUE O STF SE ENCARREGA DE LIVRÁ-LOS. Simples assim. Eu morro de rir quando falam: “As coisas mudaram, agora gente graúda vai presa, olha o caso do cara da Odebrecht”. E usam esse “exemplo” pra tudo. Só que esse desafortunado, pois foi pego com a mão na botija, é o azarado do momento, isso sim. O restante do pessoal envolvido tá siltinho da silva, com e sem tornozeleira. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Ops! Essa risada escapou. Sei que o momento não é pra rir, é muita desgraça. Enquanto isso, o zé povinho está sendo chamado a pagar a conta: logo, logo, já vai pagar com a reforma trabalhista. Em seguida, deve pagar através da reforma da previdência. Tudo isso porque os governos, todos eles, SE RECUSAM A ARRECADAR !!!!!! Onde já se viu isso? Em nenhum país do mundo!!! No Brasil, se recusam a arrecadar os impostos. Caso de loucura coletiva? Não!!! É que existem os trouxas pra pagar a conta. Sim, trouxas que ficam bem quietos, abaixam a cabeça e pagam, só reclamam na fila do supermercado. Ah! É que colocam RIVOTRIL na água. Daí, todos ficam calminhos, calminhos. Se non é vero, é bene trovato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*