Início » Pedro Bondaczuk » Por que não procuramos nos conhecer?

Por que não procuramos nos conhecer?

Por que não procuramos nos conhecer? As razões são inúmeras e variam de pessoa para pessoa. A imensa maioria sequer cogita disso. “Acha” que se conhece e ai de quem duvide disso.

Boa parte até tenta, muitas vezes recorrendo à providencial ajuda de especialistas, mas na “hora da verdade”, resiste inconscientemente, temendo o que pode encontrar. Sim, amigo leitor, o medo, até instintivo, é o grande, se não o maior obstáculo na busca, e conseqüente obtenção, do autoconhecimento.

Li, a esse propósito, curiosa opinião do escritor e psiquiatra português, Antonio Lobo Antunes. O insigne explorador da mente humana escreveu: “Nós somos casas muito grandes, muito compridas. É como se morássemos apenas num quarto ou dois. Às vezes, por medo ou cegueira, não abrimos as nossas portas”. Essa relutância, esse verdadeiro pavor em descobrir coisas a nosso respeito que poderiam nos decepcionar e até desestruturar, faz com que interpretemos o que chamamos de “realidade” de maneira peculiar. Adotamos como parâmetro não o exterior, o que de fato é ou acontece, mas o que “julgamos” que seja ou aconteça.

A escritora francesa (de descendência cubana), Anais Nin, chegou a essa conclusão de forma pitoresca, posto que direta. Afirmou: “Não vemos as coisas como são. Vemos as coisas como somos”. Ou seja, o parâmetro adotado é nossa pessoa. Todavia, como não nos conhecemos, nossas conclusões tendem a ser ainda mais equivocadas. A premissa correta, da segunda parte da conclusão de Anais Nin, é: “Vemos as coisas como JULGAMOS que somos”.

Fernando Pessoa disse a mesmíssima coisa, mas com outras palavras, nestes magníficos versos que ficaram perpetuados por sua genialidade: “Não sou da altura que me vêem, mas sim da altura que os meus olhos podem ver”. Essa é a principal razão porque fazemos julgamentos tão injustos e incorretos sobre tudo e sobre todos.

*Pedro J. Bondaczuk é jornalista e escritor, autor dos livros “Por uma nova utopia”, “Cronos e Narciso” e “O país da luz”.

E-mail: pedrojbk@bestway.com.br

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*