Pedro Bondaczuk

Utopia e desilusão

Que Brasília é a concretização de uma utopia, aparentemente irrealizável, é uma constatação, ou seja, é um fato, contra o qual não há e nem pode haver argumento que se sustente. Era um sonho há muito acalentado por gerações, antes mesmo da independência do País, que se mantinha vivo, é verdade, mas que a imensa maioria acreditava ser rigorosamente fantasioso, portanto, inviável. E, objetivamente, de fato era, dados a localização que se pretendia dar à cidade, às dificuldades logísticas para a sua construção, os exorbitantes custos para que saísse do papel e vai por aí afora.
Julio Severo

Os custos sociais da pornografia

Em dezembro de 2008 um grupo variado de acadêmicos, médicos e jornalistas se reuniu em Princeton, New Jersey, para começar uma investigação inicial sobre os danos sociais do consumo da pornografia em homens, mulheres e crianças. Os acadêmicos participantes tinham vindo de uma ampla variedade de profissões especializadas. Psiquiatras, especialistas legais, médicos e economistas reuniram uma análise rigorosa das dimensões neurológicas, psicológicas, econômicas, sociais, políticas, legais e filosóficas do uso da pornografia. O resultado foi divulgado em 16 de março de 2010, quando o Instituto Witherspoon apresentou o
Gustavo Barreto

Unicef aponta avanços, mas mantem alerta no Haiti

Uma resposta humanitária sem precedentes evitou uma crise mais grave para as crianças haitianas, mas ainda há muito para ser feito. A conclusão é do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, no relatório ‘Crianças do Haiti: Três Meses Após o Terremoto’, (...)No documento, a agência da ONU ressalta que não houve surto significativo de doenças ou aumento de taxas de desnutrição e mais de 1 milhão de pessoas afetadas tem acesso à água potável. Segundo o Unicef, 200 mil mulheres e crianças foram atendidas por programas de alimentação e campanhas de vacinação em massa beneficiaram 100 mil meninos e meninas haitianas.
Kadu Santoro

Explicando as tragédias naturais por trás dos bastidores da Nova Ordem Mundial

Como se já não fosse suficiente tanta desigualdade social nesse planeta, além de todas as mazelas que vivemos, ainda assim, temos que conviver agora com as transformações da natureza provadas pelos próprios homens, onde eles já conseguiram através de uma vasta e potente tecnologia chamada HAARP, associada aos CHEMTRAILS, controlar os fenômenos da natureza, provocando assim, tsunamis, terremotos, tempestades devastadoras e coisas piores, aonde e na hora que eles querem.
Viriato Moura

Nada a perder

Rejeitar ou até desistir de um confronto nem sempre é covardia. Nem sempre significa “jogar a toalha”, perder a luta por desistência. Por vezes, diante de determinados oponentes, desistir de enfrentá-lo é a forma mais inteligente de vencê-lo. Antes de qualquer confronto é preciso saber se vale à pena vencer o adversário. Não é inteligente enfrenta adversários em que você, mesmo que os sobrepuje, nada conquistará, nada de positivo acrescentará a sua vida. Há alguns que é até demérito vencê-los.
Bruno Peron Loureiro

Armas nucleares e propósitos comedidos

O espectro da corrida armamentista, a guerra nuclear e qualquer outra tragédia de que o ser humano é ou já foi capaz emerge impetuosamente nas relações internacionais. Antes de qualquer especulação, vale a pena entender que a posse de armas nucleares tem habitualmente caráter dissuasivo e defensivo. Há exceções, entretanto. (...) África do Sul e Cazaquistão renunciaram a seus programas nucleares. Índia e Paquistão possuem declaradamente armas nucleares, mas não são tidos como "ameaças" pelos patrões do mundo. O recôndito Irã, ao contrário, surge como um vilão que resiste à chance de um ataque pelos pujantes monopolizadores do poder.
Lasana Lukata

Semáforo

O cronista é um vendedor de jujubas no sinal. E a crônica já começa no vermelho. É hambúrguer em lugar de almoço, é começar perto do osso. Cuidado moço: eu disse hambúrguer, X-Tudo é outra coisa. Porque a crônica não é barbuda, nem peluda como a morte de Neruda. O hambúrguer não leva o verde da alface, o vermelho do tomate e do presunto, o branco da clara, o amarelo do queijo, da gema e batata palha. Mas tem que ser colorida, ao menos com catchup e mostarda. A crônica deve ser como o pregão: simples, direta, fácil, atraente, de um modo que se torne permanente.
Marcelo de Oliveira Souza

Escrito nas Estrelas

Todos sabemos como é difícil educar um filho(...). A nova novela das seis horas na Rede Globo, “Escrito na Estrelas” é mais um grande exemplo de relacionamento entre pai e filho, onde um promissor médico tinha um relacionamento muito difícil com o seu viúvo pai, eles possuíam idéias díspares e diante disso o filho resolveu sair de casa a fim de que possa seguir o que achava correto.
Pedro Bondaczuk

Amigo urso

O que você faria se um certo número de cartas que você remetesse a um amigo da sua irrestrita confiança, todas em caráter confidencial, subitamente aparecesse na imprensa, com enorme estardalhaço? Como você reagiria, mesmo que elas não contivessem nada de comprometedor à sua imagem, mas se você fosse uma pessoa rigorosamente ciosa quanto à privacidade e detestasse todo tipo de publicidade?
Cláudio Mendonça

A Técnica e a Arte

Walter Benjamin procura determinar ao início de seu ensaio “A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica” o que significa efetivamente a reprodutibilidade da obra de arte e ainda, a sua reprodutibilidade técnica, demonstrando que esta última é um fenômeno mais recente da história da humanidade. Afinal, o homem sempre foi capaz de reproduzir a ação humana de outro homem e esta atividade foi - desde os primórdios de nossa sociedade - organizada através da transmissão do conhecimento por mestres a seus aprendizes e discípulos.
Marisa Bueloni

Digno tempo

Para quem prestou atenção, o céu da Semana Santa nunca esteve tão belo. E tão cheio de presságios. Um firmamento magnífico e também aterrador, de inquietudes abissais. Um Deus pregado na cruz de todos nós nos salva pelo amor. Aprendi isto: a lição da cruz é o amor e não a dor. Eu vi o céu da Semana Santa, eu vi. Fazer o quê, neste provisório outono azul? Acender dentro do peito a chama viva de uma tarde abrilina e outonal. O que me salva? Salva-me saber que ontem, menina, busquei o tempo. Além dos vestidos de algodão e da bolsa da escola. O lanche, o abraço da professora, o primeiro medo, a primeira conta. Pela frente, uma vida inteira, a mulher adulta, os cheques por assinar toda a dívida de estar vivendo.
Lygya Maya

Por que não devemos controlar nossas emoções e as controlamos?

Muitas crenças antigas influenciaram e ainda influenciam nossas vidas de modo visceral, assim como a frase “Homem que é homem não chora”. Crenças como esta induzem um menino a ser forte, e é o mesmo que dizer: nunca chore, nunca sinta, controle-se! Esta crença atrofiante infelizmente se tornou muito popular, ao ponto de a maioria dos homens crescer com a mesma mentalidade em vários países, no mundo inteiro. As estatísticas mundiais apresentam o número alarmante de homens que morrem de ataque cardíaco muito mais do que as mulheres.
Leandro de Assis

Bombeiros em alerta

Nas duas últimas semanas os bombeiros apareceram diversas vezes na televisão devido ao desastre acontecido no Rio de Janeiro, onde mais de duzentas pessoas morreram soterradas com os deslizamentos de terra nos morros e nesse momento as chuvas que estavam sobre o Rio de Janeiro estão sobre Salvador. Assim como o Rio de Janeiro a Bahia ganha destaque nacional devido às chuvas, o programa do Datena, na Bandeirantes tem comentou ao vivo a situação de Salvador e segundo o programa já são mais de trezentos pedidos de socorro para a Defesa Civil do Estado. Porém até o momento não se tem notícias de mortes.
Julio Severo

O “generocídio” do feminismo!

A grande imprensa e até a ONU “descobriram” a crise do “desaparecimento de meninas” num período de 30 anos. O jornal The Economist (em recente edição intitulada “Gendercide”) e o Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas divulgaram a “notícia” de que mais de 100 milhões de meninas e mulheres que deveriam estar vivas não estão. Os culpados são os pais que querem ter filhos somente do sexo masculino e usam sonogramas para identificar o sexo de seu bebê no útero. O resultado final é milhões de abortos de seleção sexual de indesejadas meninas a cada ano.
Pedro Bondaczuk

Ambiente claustrofóbico

A maioria dos escritores sente compulsão para escrever. Às vezes nem está disposta, o corpo pede repouso ou distrações, mas uma determinada idéia permanece sufocada, com falta de ar, querendo vir a lume para poder “respirar”. O romancista inglês Ian McEwan (ganhador do Book Prize de 1998), explicou assim a razão desse “incômodo”: “A mente do narrador está sempre envolvida em um ambiente claustrofóbico”.
Adílio Jorge Marques

“Ficha limpa”: um projeto necessário e urgente para o futebol brasileiro!

O futebol para o povo brasileiro tornou-se, assim como muitas de nossas festas folclóricas, um dos pilares da manifestação popular. Faz parte da cultura da segunda-feira, ao menos em sua grande maioria, ouvir, ler, discutir o futebol do final de semana. Existem as “mesas redondas” oficiais da TV, mas também aquelas dos bares, das salas ou de qualquer “cantinho” aonde nos reunimos com os amigos e familiares para falar do “último clássico” que mexeu com os brios de todos nós.
Jesse Rodrigues

Regulação em tempos de crise

O dinamismo da sociedade do conhecimento e da informação tem transformado muitos conceitos. É interessante como algumas palavras ganham novos significados ou evoluem em seu sentido original. Regular parece ser uma delas. Ela passa um sentido de algo que continua sempre o mesmo, não muda. Mas o paradigma da globalização tem modificado esse entendimento, onde regular pode significar um ciclo de continuidade dentro de ciclos de mudanças, ou seja, uma regularidade que existe intrínseca e extrinsecamente na própria natureza da mudança.
Wagner Siqueira

As organizações e a expansão do fundamentalismo religioso no mundo

As referências atitudinais e psicológicas entre o fundamentalismo religioso de quaisquer denominações – sejam os evangélicos, católicos, islâmicos, judeus, umbandistas, candomblecistas, espíritas, etc – e o empregado convertido ao cultismo das organizações empresariais no mundo dos negócios guardam visíveis semelhanças. Por exemplo: a vida, no seu sentido mais amplo, não é um valor por si mesmo, a não ser quando associada ao coletivo dos crentes para os religiosos e aos colegas de trabalho para o empregado da organização deificada. Só na integração e na participação com seus semelhantes – na comunidade religiosa ou na organização corporativa – o indivíduo se sente pessoa, preserva o seu próprio eu.
Aristóteles Drummond

Panorama mundial e do Brasil

Nosso crescimento é limitado pela infraestrutura insuficiente. Além de políticas trabalhistas que tornam o risco na mão-de-obra maior do que o Leste Europeu, por exemplo. Demorar em definir a questão do petróleo – que tornará os compromissos do Rio com o Comitê Olímpico e a FIFA impossíveis de serem atendidos – pode nos custar forte descrédito. Todo cuidado é pouco. Este ano não vai será de bonança. Vamos iniciar um processo de diminuição de reservas, podemos sofrer saques nos mercados de renda fixa e variável no primeiro espirro mundial.
Bruno Peron Loureiro

Gastos militares na América do Sul

É a paz um projeto utópico? Tema recorrente de uma filosofia imprescindível. O Instituto Internacional de Pesquisa sobre a Paz de Estocolmo alerta sobre o aumento de fluxo de armamentos ao redor do mundo. Corrida armamentista é um tema que se tinha por soterrado até pouco tempo atrás, quando os números escancararam o aumento de investimento bélico e de preocupação com as "regiões de tensão", como América do Sul, África Setentrional, Oriente Médio, Ásia Meridional e Sudeste Asiático.
Kadu Santoro

Você, o maior milagre!

O homem, em sua forma plena, representa um microcosmo, ou seja, um modelo reduzido do universo perfeito e harmônico, segundo a tradição bíblica, nós fomos formados a imagem e semelhança de Deus (Imago Dei), logo, Deus se revelou na unidade (raça humana) e na diversidade (todas as etnias e culturas), todos nós somos parte de uma unidade perfeita, assim como o cosmos, que possui ordem e equilíbrio. Outro grande milagre manifesto em nossas vidas, é a capacidade dada ao homem de se comunicar e interagir uns com os outros através da linguagem, esse grande instrumento de poder, que tem a capacidade de edificar, como de destruir.
Alfredo Marques de Oliveira

As falas do rádio

Não vai longe o tempo em que o idioma escrito, após a disseminação propiciada pela criação da imprensa, buscou substituir os dialetos remanescentes de tradições orais milenares por uma linguagem única, de acesso a todos. A comunicação oral, entretanto, manteve-se viva e até independente da linguagem escrita; esta se restringiu por longo período aos comunicados interessando principalmente as elites do poder. Somente após o advento do rádio, um idioma único, articulado à sua forma escrita, atingiu grandes massas populares em extensas regiões, completando a fronteira física da população. Ainda assim, os dialetos não foram extintos, passando a conviver com o idioma comum. É emblemático o caso da Inglaterra, onde uma
Afonso Guerra-Baião

O deserto fértil

Engana-se quem pensa que esses oásis do dizer são monopólios das elites e que o deserto da repetição é habitat exclusivo das massas. Grupos de uma elite altamente especializada - a dos economistas – repetiram como dogmas, durante as últimas décadas, as receitas neoliberais da atrofia do Estado e do advento do reino divino do Mercado. A crise que abalou o sistema financeiro internacional veio revelar: o que se vestia de ciência não passava de ideologia, era crendice o que se repetia como se fosse a voz da razão.
Lygya Maya

Uma questão de vida e morte!

Medo de morrer? Quem não tem? A única certeza que temos na vida é a certeza que um dia a morte nos prestará uma visita. Seja inesperada ou não, ela chega. Mas, por que será que mesmo sabendo disso, muitos de nós vivemos como se nunca fossemos morrer, ou seja, não vivemos utilizando tudo que nosso potencial pode criar e fazer para ser e ter uma vida extraordinária?
Pedro Bondaczuk

Ignorância linda?

A vida apresenta infinitas perguntas e, praticamente, nenhuma resposta conclusiva. As três grandes questões que desafiam o homem, desde que este adquiriu a faculdade de pensar, ou seja, o que somos, onde estamos e para onde vamos, estão envoltas, ainda, em absoluto mistério. Creio que permanecerão assim para sempre. O que sabemos, a propósito, não passa de mera especulação, com fragmentos de informações, mas sem a devida e irretorquível conclusão. E é bom que assim seja. Estas perguntas da vida estimulam nosso cérebro e aumentam nosso nível de percepção e inteligência.
Márcio Paschoal

Cuspindo o caroço!

Algumas polêmicas acompanham a humanidade, gerando discussões e inaugurando rivalidades, como direita e esquerda, se há mesmo ditadura em Cuba, (...) Mas, nada supera a eterna disputa ontológica entre a ciência e a fé. Ou, como preferem alguns teólogos, entre a fé e a ciência. Agora, cientistas, num dos maiores experimentos já realizados, provocaram o encontro de feixes de partículas subatômicas, reproduzindo o cenário do Cosmos um trilionésimo de segundo após o Big Bang.
Julio Severo

Juiz argentino revoga “casamento” homossexual

Um juiz argentino anulou o “casamento” recentemente feito entre dois homossexuais na cidade de Buenos Aires, e ordenou que eles devolvessem todos os documentos relacionados à união. O juiz Felix Igarzabal, um juiz nacional, revogou uma decisão anterior de uma juíza de Buenos Aires que permitiu o “casamento” entre Damian Bernath, de 39 anos, e Jorge Salazar Capon, de 43 anos, no final de fevereiro.
Marcelo de Oliveira Souza

A máquina do tempo

Um megaprojeto criado por um pool de países está para ser concluído, uma grande máquina, como se fosse um imenso túnel que irá simular a criação do universo. Os eufóricos cientistas falam que essa belíssima e colossal obra de engenharia simulará um buraco negro, outros dizem que ela irá sugar tudo ao seu redor, podendo até engolir o nosso planeta, causando assim o nosso extermínio.
Kadu Santoro

É melhor saber viver com pouco e ser feliz

O homem sábio e prudente, não se deixa iludir por esses pensamentos, e vence uma grande barreira, se livrando de uma série de problemas. Ele vive a sua realidade, ao invés de viver uma fantasia, assim, ele vive contente com o que possui e realiza o que está ao seu alcance, vive uma vida dentro de padrões verdadeiros, padrões este, que não lhe permitem gastar o fruto de seu trabalho com coisas supérfluas que não edificam em nada em sua vida, mas que é o suficiente para suprir suas necessidades e de sua família.
Amaury Cardoso

Esporte e cidadania, uma proposta global

É com grande entusiasmo que na condição de gestor do maior complexo esportivo municipal da América Latina estaremos, no próximo dia 16/04/10, sediando a III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DO ESPORTE, preparatório para o encontro nacional, razão pela qual me congratulo com o Ministério do Esporte pela acertada iniciativa de patrocinar um plano decenal de esporte e lazer, a ser discutido em junho próximo, na III CONGERÊNCIA NACIONAL DO ESPORTE, que espero, dentro de um paradigma que atenda aos anseios da sociedade brasileira que entende, já há algum tempo, ser a prática esportiva uma ferramenta fundamental para a plena inserção de todos no contexto social, principalmente os jovens pertencentes às classes sociais menos favorecidas.
Pedro Bondaczuk

Idéias contagiosas

O medo, a tristeza e a ira são altamente contagiosos. Espalham-se, rapidamente, da pessoa que os originou, e afetam aos desavisados que estiverem ao redor, caso não se previnam. São sentimentos que podem ser comparados às mais mortais gripes, como a Espanhola, por exemplo – que no início do século XX, dizimou multidões, mundo afora (estima-se que tenha matado por volta de 20 milhões de indivíduos, entre os quais o presidente eleito Rodrigues Alves, que não pôde assumir a presidência para seu segundo mandato, no Brasil). Ou como as mais recentes, a aviária e a suína, que desde 2000 vêm freqüentando, assiduamente, as manchetes.
Jesse Rodrigues

Egrégora

Um conceito desconhecido do meio acadêmico nasce de uma palavra também pouco usual “Egrégora”, definida, em outros círculos de conhecimento, como a única das projeções mentais direcionadas por um grupo de indivíduos. Partindo dessa definição temos como exemplos os grupos de orações, onde pesquisadores já concluíram que pacientes hospitalizados que recebem orações recuperam-se melhor que os que não recebem.
Bruno Peron Loureiro

Burocracia dos impostos

Os tributos elevados reduzem a produtividade das empresas no setor formal e desincentivam o investimento que se poderia esperar de um espectro maior da economia. A reforma tributária poderá aumentar a produtividade e a renda, melhorar a eficiência no financiamento de programas sociais, e diminuir a informalidade. A simplificação dos impostos beneficiaria os Estados e os cidadãos.
Ronaldo Silva

O que é a escravidão?

Com relação à escravidão, quando abordamos tal assunto vêm-nos a memória a imagem e entendimento clássico do negro africano, subjugada no processo colonial mercantil europeu no século XV-XVI. Dentre todos os países da Europa Ocidental, o que mais ressaltou no processo escravizatório que nos quantifica etnicamente afro é Brasil-Portugal.
Julio Severo

Coalizão internacional protesta contra intervencionismo da ONU no México

O México vem sendo pressionado por organizações pró-aborto internacionais muito bem financiadas para legalizar a matança de bebês em gestação. Embora a capital da nação, Cidade do México, tenha legalizado o aborto por qualquer motivo durante as primeiras 14 semanas de gravidez em 2007, 18 estados mexicanos desde então responderam com emendas pró-vida garantindo proteções para os bebês em gestação. Nos próximos meses, mais emendas virão.
Gustavo Barreto

Capitalismo eleitoral

Enquanto o capitalismo (bem identificado, diga-se, com suas instituições e atores sociais) segue desrespeitando diariamente milhares de pessoas, com suas falsas promessas, alternativas ilusórias são apresentadas, como se a redução imediata do consumo não fosse a única hipótese de mudança dos rumos destrutivos do sistema
Marisa Bueloni

Retalhos…

Dizem que não mostro a idade. Mas se mostrasse, que mal haveria? Temos a idade que temos, não importa se parece ou não. Enfim. Lá pelos 18, olhei para a frente e pensei: vou tirar de letra, vai ser canja. Não foi. Deus sabe os acidentes de percurso que enfrentei, as 11 intervenções cirúrgicas a que me submeti, sendo nove com anestesia geral. Se tiver mesmo de operar a tireóide este ano ano, será minha 12ª cirurgia e a 10ª anestesia geral. Valha-me, meu anjo da guarda!
Rubens Turci

Ecos da Grande Síntese

É chegado o tempo de estendermos o sentimento de corpo para além das fronteiras do corpo físico, de modo a percebemos que formamos um corpo social e também um outro corpo, que agora estamos começando a chamar de corpo sócio-ambiental. É chegado o tempo de compreender que o nosso corpo é o universo.
Carlos Lungarzo

Alerta máximo, os milicos continuam seu banho de sangue na Argentina

A ditadura militar argentina de 1976, cujo 34º aniversário foi completado a semana passada, continua fazendo vítimas. Desde 1976, essa ditadura foi a sétima num país que só conheceu isso que chamam “democracia” por curtíssimos períodos e nunca de forma perfeita, e que apenas teve governos moderadamente enquadrados na lei desde 1983. Este começo de uma relativa democracia moderna (no estilo de outros países da região, como o Brasil), não foi um triunfo da classe política, que sempre foi conivente com o terrorismo de estado, mas por causa do fracasso dos militares na guerra de 1982, o que deixou seu governo em situação insustentável no cenário nacional e internacional.
Pedro Bondaczuk

Insigne alquimista

Somos, todos, seres múltiplos, mutantes, diferentes hoje do que éramos ontem, e não somente no aspecto físico, reitero, dado o envelhecimento, mas, sobretudo, no plano mental. De cada pessoa com que nos relacionamos, absorvemos alguma coisa: idéias, hábitos, comportamentos, não importa o quê. E quanto maior for o nosso círculo de relacionamentos, mais mudamos, mais diferentes nos tornamos, sem que sequer nos apercebamos dessas mudanças.
Ronaldo Silva

Dia da mentira

Há muitas explicações para o primeiro de abril ter se transformado no Dia das Mentiras ou Dia dos Bobos. Uma delas diz que a brincadeira surgiu na França. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de Março, data que marcava a chegada da primavera. As festas duravam uma semana e terminavam no dia primeiro de abril.
Kadu Santoro

Por que tanto sofrimento?

Por que e para que precisamos sofrer? Será que existe realmente alguma justificativa para tal fato? Qual é a posição de “Deus” neste contexto? Por que o sofrimento não é igual para todos? Essas são algumas das perguntas mais frequentes, e inúmeras são as definições, porém, parece-nos que nenhuma delas tem o poder de nos trazer solução, alívio e paz, não levando em conta os conceitos sistematizados pelas religiões, pois tratam do assunto de forma metafísica ou dentro de molduras morais e tendenciosas levando o ser humano a convicções alienatórias e especulativas.
Marcelo de Oliveira Souza

Semana Santa de 2010

Nesses tempos modernos as amizades se dissolveram, os interesses estão acima de tudo; o comércio permeia em cada data festiva, o “culto” ao consumismo, que consome a mente dos fracos; os ovos de chocolate “chocam” as pessoas com os preços, mesmo assim a procura aumenta; a Semana Santa, deixou de ser uma triste lembrança do sofrimento de Cristo, passou a ser a festa da Ceia do peixe, do vinho e dos ovos de Páscoa.
Viriato Moura

Qual dos dois vencerá?

Em nossas mentes, dois animais se digladiam continuamente. Um deles, é portador de todas as virtudes. É ele que nos recomenda o bom senso, o equilíbrio emocional, a moderação. E luta pelo que é justo, pelo que é legal, pelo que é certo. O outro, é portador de todas as malícias. Ele é age por impulso, é raivoso e destrutivo. Ele não cultiva os bons hábitos, tampouco se interessa em saber se está certo ou errado. Um diz que sim. Outro, aos uivos, diz que não. Um defende o perdão, o outro quer vingança.
Cristina Silveira

Mulheres ao volante, segurança constante!

“Mulher ao volante perigo constante” é uma frase preconceituosa, machista, mentirosa e carregada de argumentação da profundidade de um dedo, nada, nada contundente! As mulheres conduzem seus veículos de maneira muito mais consciente, vigilante, coerente e tranqüila que os homens. Os dados estatísticos mostrados aqui nos apontam para a veracidade dessa afirmativa. Não é a crítica por si só, mas algumas observações que podem nos levar à reflexão e, quem sabe, à mudança de postura, por um trânsito menos violento e raivoso.
Jesse Rodrigues

A grande surpresa

A configuração astrológica mais importante de 2010 é a conjunção de Júpiter com Urano em Peixes. Começará sua influência em 02 de abril de 2010 até 12 de março de 2011, com pontos maiores de força em 08 de junho de 2010, 19 de setembro de 2010 e 05 de janeiro de 2011. Júpiter está ligado à abundância e por essa razão foi considerado o Grande Benéfico, porém não é bem assim, ele tem sim o padrão arquetípico do Grande, da abundância, mas se será bom ou ruim, dependerá de como nós recebemos e reagimos a esse padrão. Assim, a passagem de Júpiter representará sem dúvida algo grande, desproporcional para os padrões que estivermos acostumados.
Diego Cotta

Governo Federal, Estadual e sociedade civil unem forças no combate à discriminação religiosa.

A cerimônia aconteceu no Teatro Gláucio Gill na última segunda-feira (22/3). O Ministro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Edson Santos; a Secretária de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Benedita da Silva e o Superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, Cláudio Nascimento marcaram presença para a assinatura do convênio. Estiveram presentes também importantes lideranças religiosas como Mãe Beata de Iemanjá, Marcus Resende, Saladim Mohammed, entre outros.
Carlos Lungarzo

O Direito à Dignidade

Para definir o direito à vida usa-se a expressão: “o direito de NÃO ser executado nem abandonado a condições letais”. Isto inclui a pena de morte, mas não a defesa letal contra um ataque. Para definir direito à integridade, usa-se: “o direito de NÃO ser torturado ou exposto a tratamento desumano ou degradante”. Neste caso, a proibição é absoluta: jamais pode torturar-se. O direito à liberdade é: “o direito de NÃO ser preso injustamente, nem ser impedido de adotar decisões sobre seu futuro (como pleitear divórcio ou seguir uma orientação sexual alternativa)”. O direito à dignidade (ou à integridade moral) em sua forma negativa é: “o direito de NÃO ser discriminado nem humilhado, nem escarnecido".
Amaury Cardoso

Proposta para um país viável

O sentimento é de estarmos vivendo um vazio de lideranças políticas autênticas ede pessoas éticas. Com esse vazio abre-se espaço para os aventureiros eoportunistas de plantão, “personalidades pequenas” que no vácuo político, provocado pela descrença nos políticos e na instituição partidária, aproveitam-se para iludir a boa fé das pessoas, em alguns casos até pessoas esclarecidas, utilizando-se das suas carências e necessidades como um trampolim para realização de seus projetos pessoais, motivados por razões inconfessáveis, sem atentarem, em nenhum momento, para a urgência das soluções exigidas por essas carências, aprofundando, mais radicalmente, o fosso existente entre a sociedade e aqueles que exercem a atividade político-partidária, vital para a estabilidade social e cuja finalidade precípua é a consecução do bem
Adílio Jorge Marques

Irena Sendler e a injustiça do esquecimento!

Também conhecida como "o anjo do Gueto de Varsóvia," foi uma ativista dos direitos humanos durante a Segunda Guerra Mundial, além de enfermeira e assistente social. Em 1965 a organização Yad Vashem de Jerusalém outorgou-lhe o título de Justa entre as Nações e nomeou-a cidadã honorária de Israel, apesar de na Polônia ter sido pouco reconhecida.
José Maria Filardo Bassalo

Basta de Computadorcracia no Brasil!

A computadorcracia é a burocracia computadorizada aplicada por pessoas que usam o argumento da autoridade (elas se consideram donas da verdade por exercerem cargos para os quais foram indicados ou eleitos). Por isso, são arrogantes, corporativistas e subvertem a lógica aristotélica, e não têm bom senso. Para a entendermos, façamos um pequeno resumo histórico dessa nova burocracia. O computador foi inventado na segunda metade da década de 1940 para fazer os cálculos das bombas de hidrogênio (H) construídas pelos nortes-americanos e pelos então soviéticos.
Marisa Bueloni

De olhos abertos

Há algum tempo li numa revista o artigo de uma bióloga, abordando o “silêncio no brejo”. O texto versava sobre o desaparecimento de várias espécies de batráquios. Segundo a autora, os brejos já não produziriam os mesmos ruídos característicos, como o coaxar de sapos e rãs, por causa da gradativa extinção destes bichos. Algumas das hipóteses levantadas, responsáveis pelo fenômeno, seriam as mudanças climáticas, o aquecimento global, as queimadas e demais ações predatórias advindas da atividade humana. Estamos vivendo tempos de grandes mudanças em nosso planeta, e muitas destas revoluções aparentemente inofensivas podem ter origem, de fato, nas diferentes atividades desenvolvidas pelo homem, ao longo dos séculos.
Kadu Santoro

O academicismo puro desgasta o ser e a imaginação

Desde o período da escolástica na idade média e da formação das universidades, moldadas nas bases aristotélicas, que o pensamento imaginativo e intuitivo, foi substituído pelo pensamento estrutural, ou seja puramente racionalista e empírico, isso que também a posteriori chamamos de positivismo, mudou completamente a forma de pensar do ocidente.
Pedro Bondaczuk

Consolação ou humor?

Quem, alguma vez na vida, não desejou ser um craque de futebol famoso, ou um mega-star de música pop, ou um ator consagrado que impressione todas as mulheres (e durma com muitas delas) etc.etc.etc.? Quando crianças, ao nos perguntarem o que desejamos ser quando crescermos, via de regra citamos quatro ou cinco atividades que, no íntimo, sabemos que nos são interditas, como astronauta, piloto de Fórmula 1, centro-avante da Seleção Brasileira de Futebol e assim por diante. E quantos conseguem essa façanha? Pouquíssimos, não é verdade?
Marcelo de Oliveira Souza

Tempos apocalípticos

A maioria das pessoas, principalmente os que exercem uma determinada religião, sempre ouviu falar do apocalipse, onde os sinais seriam os crimes hediondos, o racismo, a falta de amor ao próximo; bem como tragédias naturais: grandes terremotos, “tsunamis”, maré vermelha, todos esses fatores evidenciam o final dos tempos. Diante desses fatos, percebemos ainda que as pessoas estão cada vez mais centradas em seus problemas, pois a vida moderna pode até dar mais conforto, contudo o estresse aumenta, a luta pela sobrevivência em todos os aspectos torna o ser humano sem a sua principal característica, o amor ao seu semelhante. Todos com medo de todos, isolados em seus problemas, medos e recalques, tornando a humanidade desumana, cujas pessoas transformam-se em ilhas “plugadas” em computadores, televisões e tudo de mais moderno, que possa aplacar a solidão que se instalou na maioria de nós.
Lygya Maya

Para se ter o que nunca tivemos, deve-se fazer o que nunca fizemos!

Leio e ouço inúmeras reclamações pelas várias situações desafiantes em nossa sociedade. O que não leio e ouço muito são soluções e ações que mudariam a situação em si. Acho muito mais saudável focar nos resultados que queremos obter e não no oposto.
Vitor Mattoso

Rendimentos na advocacia, uma dica!

Quando o advogado consegue ser mais que apenas um "advogado", quando ele passa a ser uma espécie de consultor pessoal, as chances de conseguir novos clientes aumenta, assim como manter os clientes antigos se torna mais fácil, pois eles irão procurar o advogado em situações diversas, não apenas nas jurídicas. O importante é o profissional deixar claro que o tempo é precioso e, no caso de advogados, custa dinheiro. Isso é importante para saber a hora de começar a cobrar pelos serviços.
Wagner Siqueira

A hora da verdade

O Brasil precisa compreender que a sua crise também é de gestão. Uma perversão econômica persistente por décadas deformou a capacidade de perceber das pessoas, como se uma hemiplegia ético-moral só nos fizesse acreditar no lucro fácil, na desnecessidade do trabalho árduo, nos ganhos financeiros improdutivos e desmesurados, na lógica corrosiva do sempre querer levar vantagem em tudo, no jeitinho desonesto, no pistolão e na malandragem.
Gustavo Barreto

Deixa a África brincar

No começo desse ano, o jogador profissional de futebol Bjorn Heidenstrom pegou sua bicicleta na Noruega, seu país de origem, rumo à África do Sul. Heidenstrom planeja chegar lá antes das finais da copa do mundo, que será em junho. Já chegou no continente africano e tem arrecadado fundos para os refugiados. (...) Muitos “viajantes humanitários”, como são denominados, se dedicam a causas específicas na África.
Sérgio Tasso de Aquino

“Nunca antes…”

Confiantes na impunidade que costumeiramente tem protegido os poderosos delinqüentes, um dos grandes males nacionais, roubaram ou desviaram, para fins ilícitos, tranqüila, seguida e repetidamente, vultosos recursos aportados ao Estado, pelos cidadãos em geral, na forma de impostos destinados originalmente para a realização do Bem Comum, ou pelos associados, como contribuições para a previdência social de cada grupo específico.