Bruno Peron Loureiro

Opúsculo de bons princípios

A Bolívia tem sido construída por um povo merecedor e perseverante. Constroem-se nações modernas em entrelaçamento com o tradicional na América Latina. O reconhecimento deste processo se deve a que há muito mais que o termo "modernidade" esconde na história destes países, como as cosmovisões de centenas de etnias indígenas. Infelizmente os detratores do presidente boliviano Evo Morales são muitos, mas logo o projeto plurinacional reitera o compromisso com a diversidade cultural no país. Por isso o argumento de vizinhos não vai além, por exemplo, do ressentimento pela nacionalização da Petróleo Brasileiro S/A (Petrobrás) na Bolívia.
Kadu Santoro

Os encontros da vida

Se pararmos para pensar, e fazermos uma reflexão de tudo o que nos acontece na vida, vamos perceber que tudo o que acontece, aconteceu ou vai acontecer, está diretamente relacionado aos encontros, a vida é conduzida por sucessivos encontros. Porém, o que seria esses encontros? O homem, por natureza, é um ser coletivo, não foi feito para viver só e isolado, pois se isso acontecesse, traria certo desequilíbrio e problemas para esse ser e a humanidade. Geralmente é mais fácil perceber tais encontros, quando lembramos de momentos marcantes em nossas vidas, como uma porta aberta de emprego, uma cura, um livramento de um assalto ou acidente, o nascimento de um filho, etc.
Aristóteles Drummond

Brasil e Israel

O mais prudente, inteligente e coerente seria o Brasil se manter distante dos problemas que envolvem o Estado de Israel e os países muçulmanos do Oriente Médio. Temos fortes ligações com aqueles povos, que aqui sempre conviveram em paz e harmonia, apesar de nos últimos anos florescer um movimento de má vontade e incompreensão com os israelenses. Mais da metade de nossa população carrega no sangue a origem no Líbano, na Síria, os cristãos novos, marranos e judeus. O Estado de Israel foi criado pela ONU em sessão presidida por um estadista brasileiro, Oswaldo Aranha, reverenciado naquele país como um amigo. Israel abriga os locais de peregrinação da maioria católica brasileira. Nossa cultura e nosso desenvolvimento econômico muito devem a sírio-libaneses como a judeus. Ambos são nossos irmãos e se amam. O que existe é um grupo radical islâmico,apoiado pela esquerda mundial, que tem raiva não apenas de judeus, mas do mundo ocidental em geral.
Viriato Moura

Bons tempos aqueles…

Nossas casas estão fechadas. Não só pelas trancas materiais contra a violência que nos cerca. Nosso lar, que é a casa onde mora nosso coração, reflete nossas inseguranças materiais e emocionais. Quando nos encontramos com os amigos, geralmente o fazemos em lugares públicos – restaurantes, bares ou em algum evento social. A cumplicidade do ambiente familiar foi empalidecendo como um papel envelhecido. As manifestações mais puras e mais verdadeiras de sincera amizade como o contato interpessoal foram substituídas por afazeres mais solitários como assistir televisão, DVDs, acessar a internet. O diálogo, que diminuiu até no seio familiar, foi trocado pelo silencioso monólogo das individualidades. É a família perdendo seus elos, fragmentada. Cada um em si e por si.
Bira Câmara

Peripécias de uma obra-prima perdida e reencontrada

Uma inusitada conjuração de acasos fez com que uma obra prima da literatura fantástica ficasse perdida por décadas, o que não impediu que fosse largamente plagiada. O livro Manuscrito encontrado em Saragoça tem uma história tão conturbada quanto a biografia de seu autor, o nobre polonês Jean Potocki. Manuscrito encontrado em Saragoça (1804), um dos melhores romances fantásticos de todos os tempos, ficou desaparecido por décadas. O manuscrito original se perdeu e nesse intervalo de tempo, uma versão dele foi parar na mão de vários escritores que o plagiaram. O texto chegou a ser atribuído ao lendário Conde de Cagliostro e ao escritor francês Charles Nodier.
Pedro Bondaczuk

A grande coragem

A vida é feita de ações. Claro, o desejável é que estas venham sempre acompanhadas da devida reflexão. O ideal é que não se tratem de atitudes intempestivas e sem objetivo definido, caóticas, instintivas e selvagens, mas que sejam planejadas, refletidas e executadas com método e com competência, visando alguma meta que implique sempre em evolução e progresso.
Lugus Chrispino

Futebol: a arte de encantar o desencantado!

Já não é de hoje que o esporte é utilizado como forma de manter hegemonicamente uma postura política ou até sociológica sobre o povo de um determinado país. Observamos um pouco da história para podermos entender que em determinados momentos, a vitória em uma Copa do Mundo era de vital importância até para a manutenção de um regime, de uma política, ou de uma posição frente ao mundo. Vamos observar algumas dessas Copas para tentarmos entender um pouco essa "ótica". Em primeiro lugar temos de ter em mente que a FIFA é a segunda maior instituição internacional com 208 membros,
Rubens Turci

Chico Xavier e a Bhagavad Gita: o novo paradigma no Sermão da Montanha

Por isto mesmo, considerando o Sermão da Montanha, só é prudente aquele que, como Chico Xavier, conhecendo, pratica, pois a justiça anunciada por Jesus foi aquela do coração, começando na mente, enquanto pensamento, passando pela vontade, e, finalmente, transformando-se em atos. Por isto nos pede Tiago para que sejamos praticantes e não meramente ouvintes. E isto se confirma em João, onde se cita àqueles que evitam o estudo e a prática da palavra daquele em quem professam crer. Não é parecer bom, ou mostrar-se piedoso, mas ser e viver o que nos leva ao objetivo final.
Bruno Peron Loureiro

Hausto de mediocridade

O idioma é um recurso cultural que devemos resguardar e valorizar, visto que o português no Brasil está ameaçado pela desconsideração de seus falantes. Talvez pelo fato de o poder ser (quase) imperceptível e invisível. Nenhuma colônia existe sem a renúncia dos colonizados. Por mais rendida que aparente, a submissão completa de um povo ocorre na derrota do último homem. Não haveria, caso contrário, heróis na civilização brasileira, como Tiradentes.
Ivani de Araújo Medina

O lado “B” da mesma história

O meu interesse pela origem do cristianismo compartilha de um anseio antigo por se desvelar a mais fascinante história da Humanidade. A história que ainda não foi contada. No mesmo patamar de importância está questão do porquê de tanto mistério. Por que homens cultos e inteligentes, que dedicaram suas vidas ao estudo da história, reclamaram da bruma que envolvia os primórdios do cristianismo e, ainda, se perguntavam sobre os motivos do seu admirável sucesso? Uma evidente manipulação da história e do pensamento humano, sem dúvida alguma.
Gustavo Barreto

Greenpeace e a indústria do atum se enfrentam em pleno mar. As armas dos ambientalistas: ideias e não-violência

Ativistas do Greenpeace tentam liberar peixes ameaçados de extinção de rede no Mediterrâneo e são atacados por pescadores armados com ganchos, arpões e rojões. E, como em todos os cantos desse planeta, lá estava um brasileiro: João Talocchi, autor de um relato que vale cada palavra. O lema de um dos navios do Greenpeace é “Hurry up and wait”, contou o blog do jornal francês Le Monde. Ativistas do Artic Sunrise, navio que já integrei por um breve momento em passagem pelo Rio de Janeiro no ano 2000 – eu era então um jovem ativista, com 18 anos –, foram interceptados pela Marinha de Malta, no início de junho.
Marisa Bueloni

Mulher entende de futebol?

Comecei a me interessar por futebol aos 8 anos de idade, na Copa do Mundo da Suécia. Por que acompanhei esta Copa? Porque via meu pai grudado no rádio, com os olhos cheios de lágrimas. “O senhor tá chorando, pai?”. “É, mas de alegria”. Porque num domingo maravilhoso (a final foi num domingo?), fui brincar perto da casa de uns parentes que moravam próximos, e vi meus tios e primos festejarem feito uns loucos, em volta de um rádio ligado. Eles passavam por baixo da mesa, pulavam e se abraçavam.
Viriato Moura

O bom médico

O médico que não desperta confiança está fadado ao insucesso profissional. Hipócrates já percebera isso nos primórdios da medicina ao postular uma conduta ética ao médico assim como de recomendar que cuide da própria aparência, dos seus gestos e atitudes sociais. É na confiança que o médico desperta em seu paciente que reside o efeito placebo que ele provoca. “A personalidade do médico pode funcionar mais poderosamente sobre o paciente que as drogas empregadas”, alude Paracelso. Pesquisas comprovam que mais de 34% da ação terapêutica dos medicamentos deve-se ao efeito placebo e não aos seus princípios ativos. É procedente, portanto, concluir que expressivo número de enfermos são curados mais pela confiança nos médicos que os tratam do que no efeito científico de suas prescrições.
Lygya Maya

Como conquistar um namoro que vale ouro!

Geralmente queremos que os outros sejam de um jeito, mas nós mesmos não estamos abertos para ser assim, e consequentemente atraimos a pessoa “errada” – ela nada mais é do que um espelho do que nós mesmos somos. Aqui está um desafio digno de respeito e reflexão, o de ter as qualidades que queremos que os outros tenham. E, se por acaso, a pessoa que está com você neste momento não condiz com a sua lista, não tenha medo de terminar e recomeçar. Quando a gente se ama, temos autoconfiança suficiente para acreditar que atrairemos a pessoa certa para um relacionamento mais equilibrado e merecido.
Pedro Bondaczuk

A arte de ver arte

A arte, na conceituação de Fernando Pessoa, tem por finalidade "a elevação" do ser humano. Sua transformação em valor econômico é secundária e nunca é a motivação do artista quando produz uma obra. É a mais sofisticada forma de comunicação entre seres sensíveis e com capacidade de transmitir essa sensibilidade. Há os que confundem "elevação" com "libertação", em especial da imaginação
Cintia Barreto

O que não mata engorda!

Já repararam como a sociedade não perdoa as pessoas que estão “acima do peso”? Não importa o grau de intimidade entre as partes, certos indivíduos sentem-se à vontade para palpitar na forma física alheia. São tantas as investidas em denunciar a todos ao redor quem está fora de forma, que, aquele que está distante do padrão, pressionado pelos comentários do grupo, só encontra duas saídas: o bom ou o mau humor.
Bruno Peron Loureiro

Tailândia e ideais nobres

Tailândia, único país do sudeste asiático que não teve metrópole européia, é palco de um confronto clássico de representação dos interesses desarmônicos de uma sociedade e de uma organização política avessa à participação popular. O conflito na Tailândia acende o candelabro da esperança de distribuição da riqueza no país, ainda que se faça uso do recurso derradeiro da força física. O mérito desta nação é o de deixá-lo aceso entre tantas adversidades.
Julio Severo

Flotilha da paz disfarçada ganha defesa enérgica da Turquia

Afinal, como é que os árabes palestinos conseguirão prosseguir seus ataques contra Israel sem a ajuda “humanitária” de armas? Desde quando armamento para uso contra cidadãos israelenses é ajuda “humanitária”? Se, num ousado cenário oposto, uma flotilha com semelhante “ajuda” fosse destinada à minoria separatista curda da Turquia, os turcos reagiriam com delicadeza? Aliás, a mesma Turquia que exige de Israel um estado para os árabes palestinos também persegue a minoria curda na Turquia, por querer um estado! Os bondosos turcos estão determinados a exterminar o desejo dos curdos.
Rolando Lazarte

Palestina, todavía

Los últimos episodios en el ámbito internacional, involucrando agresiones de parte de un estado que actúa por encima de las leyes y principios del derecho, deben haber hecho pensar a mucha gente, que estamos delante de un episodio que puede traer consecuencias nefastas para el orden mundial, ya bastante fragilizado por la inexistencia de un órgano capaz de garantizar la existencia pacífica de los distintos pueblos y naciones.
Mauro Cabral

A diferença entre ser e estar!

A beleza se manifesta em um conjunto de virtudes físicas e espirituais. Sendo assim, o caminho pela busca da beleza pode estar mais ao nosso alcance do que imaginamos, ou, ao contrario, longe e inacessivel. (...) Na verdade prefiro pessoas felizes, falando a verdade, cultuando a gentileza e a cordialidade. (...) Entretanto, percebo uma certa frieza, uma certa ausência de vida nos corpos e nos rostos, semblantes apenas emoldurados por tantos artifícios.
Rubens Turci

Chico Xavier e a Bhagavad Gita: a experiência do olhar

A alma também poderia ser identificada e interpretada em termos de alguns sinais mais fundamentais . Esta capacidade natural de interpretação manifestar-se-ia, nos seus níveis mais rudimentares, por exemplo, como um sentimento de simpatia ou antipatia que um ser desperta no outro, sem que se saiba ao certo a razão.
Mário Maestri

1822: a independência escravizada

A independência do Brasil foi a mais conservadora das Américas. Os proprietários brasileiros romperam com o Estado e o absolutismo português e entronizavam o autoritário herdeiro do reino lusitano. Cortavam as amarras com a ex-metrópole e transigiram com os seus interesses mercantis e de sua casa real. Mantiveram-se unidos para garantir, por mais seis décadas, a exploração escravista.
Viriato Moura

Jeito insatisfeito de ser!

Há pessoas que sofrem de insatisfação crônica. Para elas, não há medida que satisfaça: ou é pouco ou trasborda. Ao não se contentarem, ou querem mais ou querem menos do que têm, do que lhes cabe. O insatisfeito não se satisfaz em vivenciar sua desdita sozinho. Ele quer contaminar os outros com sua insatisfação. Provoca discórdia e malestar em seu meio. Ao não aceitar o que lhe cabe, justa ou injustamente, quer se apossar do que não lhe pertence. E isto não se restringe apenas aos valores materiais. Quer tomar para si até os sentimentos e as virtudes que não são seus.
Herivelto Quaresma

“Se, para entrar no Conselho de Segurança, é preciso ser subserviente, é preferível não entrar”

Celso Amorim, nosso ministro: “Se, para entrar no Conselho de Segurança, é preciso ser subserviente, é preferível não entrar”. Hillary Clinton que se conforme com sua política belicista e imperialista. Esse ministro é do Brasil e, felizmente, não é do mesmo espécime que nossos jornalistas. Outra pergunta que os jornalistas costumam fazer, há pelo menos 10 anos – imaginem o tamanho da paciência requerida – é em relação à pretensão do Brasil de ser um membro permanente do Conselho de Segurança. Estas últimas ações, perguntam em uníssono, não “atrapalharia” tais pretensões?
Paulo Valladares

Ofício de solicitação

Nossa sociedade é extremamente engraçada. Falamos tanto em pós-modernidade, em vanguarda e, no entanto, modelos de comunicação historicamente marcados ainda nos assombram as mentes, num causar inveja a qualquer Allan Poe. E o que é pior: os mesmos que nos acusam de não usar a tecnologia, sob o argumento do “antenar-se com os novos tempos” são os mesmos que nos infundam o “anacrônico” pela goela.
Ivani de Araújo Medina

O genoma da fé

Ao contrário da conhecida máxima de Sócrates, “Só sei que nada sei”, só sei que muito se sabe e que só a mudança não muda como pensava Heráclito. Um pouco desse muito que se sabe sempre coube àqueles que buscaram por meios próprios as próprias respostas, como o próprio Sócrates. Isso para o desagrado da ideologia da crença que defende a tese de que o Homem precisa ser enganado para reagir positivamente. Por sua vez, a mudança é inexorável no universo, como pensava Heráclito, queiramos ou não.
Bruno Peron Loureiro

Acima do parelelo 38

A Coreia do Norte alcançou, desde a década de 1970, a erradicação do analfabetismo e a garantia de acesso à saúde a todos pelo Estado. Estas conquistas norte-coreanas nos fazem questionar o que entendemos por "pobreza", uma vez que as críticas principais ao regime de Kim Jong Il referem-se ao empobrecimento da população pelo regime dito "comunista" e ao desenvolvimento de um programa nuclear.
Albertina Ramos

Kizomba com kukeca

Este mês, nosso coração vai estar na África. E durante muito tempo, foi a África que ajudou a construir nosso país. Do século XVI ao século XIX, vieram cativos para o Brasil os negros, falantes da língua africana. Foram esses irmãos que deixaram suas mãos marcadas nas mais lindas construções do Brasil. Eram esses escravos que carregavam pesadas pedras, que ao sol ou à chuva trabalhavam nas cidades ou também na zona rural, nas construções, na terra, até preparando os mais saborosos quitutes nas cozinhas.
Marcelo de Oliveira Souza

O quintal dos desesperados

Dentro de toda essa confusão Israel não podia deixar de se pronunciar, depois de cercar os territórios palestinos, com enormes muros, resolveu controlar ainda mais o que entra e sai de Gaza, e isso não é admissível, pois as pessoas que já sofrem com todo esse entrevero secular, têm agora o seu algoz como administrador de verbas da ONU para esses territórios, e ainda regula a distribuição de alimentos e mantimentos para lá. Diante disso o Hamás começou a atacar com foguetes artesanais, o seu “vizinho”, pondo em risco a população que acerca.
Lygya Maya

Qual a sua preferência, sobreviver ou viver extraordinariamente?

Ganhamos dinheiro trabalhando das 9h às 17h, em situações nas quais tudo nos é ditado e a “segurança” vem em forma de um salário e benefícios. Ou podemos encontrar a confiança suficiente em nós mesmos para usar as mentes “criando” as próprias estratégias de sobrevivência e compromisso. O primeiro lado da moeda está no que a grande maioria das pessoas confia: o emprego garantido. Foi o que a maioria de nós foi programada a acreditar, aconselhada pela família. Com raras exceções, disseram-nos que deveríamos fazer isto ou aquilo, de acordo com seus padrões e experiências. Acreditaram que a única maneira de ter segurança financeira era trabalhar para o sistema governamental e social, onde tudo é ajustado para eles. É muito comum ver a geração nova acreditar no que a mais velha acreditou. Deste modo a escolha pode parecer mais fácil, pois as pessoas não têm que pensar em termos amplos e tampouco criar novos horizontes para si mesmos. Tudo o que têm a fazer é aparecer diariamente (na maioria dos casos), fazer seu dever específico, chegar na hora específica e receber o específico pagamento mensal.
Pedro Bondaczuk

Exercitando os neurônios

A necessidade de produzir textos diariamente pode se constituir em excelente treino para se melhorar o estilo, tornando-o mais claro e objetivo, mas, ao mesmo tempo, nos traz o risco de se constituir em uma perigosa, se não fatal armadilha. Não é todo o dia que temos idéias brilhantes, humor estável e paciência para escrever. Quando não temos a obrigação de redigir coisíssima alguma nessas ocasiões, até por prudência, nos poupamos.
Sérgio Alexandre Camargo

União Homossexual: união cível, união de fato ou união homoafetiva?

Chega como ponta de um iceberg o questionamento, se pessoas do mesmo sexo têm, ou não, o direito de casarem-se, e se este ‘casamento’ poderia ser chamado de União Homoafetiva, como preconiza a Dra. Maria Berenice, desembargadora aposentada no Rio Grande do Sul, e advogada militante; ou como realizam boa parte dos tabeliães em nosso país, quando o fazem, como mera União Civil, ou União de Fato.
Viriato Moura

A relatividade dos acertos e erros

As múltiplas possibilidades, nos mais diversos contextos em que as ações humanas podem acontecer impõe que sejam julgadas com isenção, mas, sobretudo, sem que seja negada a seu executor o direito de exercer sua humanidade. Por isto, é prudente, para quem deseja ser justo, que, antes de tudo, se pergunte e responda com irretocável verdade: o que eu faria nessa situação? Mesmo assim, isto não basta. Porque para entender melhor os motivos do outro impõe-se que conheçamos sua trajetória de vida e seu jeito de reagir diante do que vivenciou. Isto não significa que nossa compreensão no julgamento atravesse a fronteira do que é aceitável a ponto de se praticar a condescendência, que, de certo moro, incentiva a novas práticas inadequadas.
Francisco Caruso

A corrosão do caráter… e da escola

Vejo, há muito, reflexos evidentes disto na Universidade na qual dou aula e no contato frequente com vários adolescentes do ensino médio. A ideia de que o aprendizado deva necessariamente envolver esforço parece, hoje em dia, uma ficção, ou mesmo uma fantasia. Os alunos não estão dispostos a fazer sacrifícios, a fazer exercícios e a lerem muito sobre o que estão aprendendo. Mas, obviamente, não se pode por a culpa só neles. A escola, desde cedo, tem sido incapaz de formar esta conscientização no jovem, tampouco é capaz de despertar o hábito da leitura, essencial para a boa formação de qualquer cidadão. Também a Escola se tornou superficial.
Rubens Turci

Chico Xavier e a Bhagavad Gita: a presença dos ancestrais

Era plena madrugada e eu sabia que não podia parar a leitura. Não estava refeito do choque que me causara escrever estas notas sobre as orelhas das páginas do texto de André Luiz, e me incomodava ainda o fato de eu grafar com a minha caligrafia a confissão de que aquele ser que agora me inspirava teria, no passado, mesmo sendo monoglota, psicografado em sânscrito, quando,
Ronaldo Silva

Maomé e a escravidão

A presença da escravidão na Península Arábica, precede ao surgimento do profeta Maomé, que nasceu no final do século VI, e fundou o Islã no século VII. Desde os tempos bíblicos já existiam escravos na região. A servidão e o trabalho compulsório eram práticas registradas desde o Egito antigo, assim como nos territórios Greco-romano, em Bizâncio e na Pérsia.
Lasana Lukata

De que espírito sois?

Numa outra igreja, essa uma Assembléia de Deus em Vila Tiradentes, uma irmã teve uma visão e a visão era uma cova aberta para um rapaz que não aceitava as falcatruas do pastor. Este pediu à igreja que ficasse em pé disparou: “irmãos, vamos fazer uma oração para esse rapaz cair logo nessa cova!”. De que espírito sois. O Pastor pedia ao mecânico dos seus caros para cobrar na nota, por exemplo, R$250,00 reais por um serviço que custava na realidade R$50,00. O pastor Assembleiano, ganhador de medalha de honra do município e medalha Tiradentes, dava R$50,00 para o mecânico, saindo o serviço por R$100, mas na igreja o pastor apresentava a nota de R$250,00 e a pobre igreja reembolsava o gasto, que na verdade foi de R$100,00. De que espírito sois?
Wagner Siqueira

Voluntariado solidário e responsabilidade social

As grandes corporações crescentemente identificam e evoluem por um novo espaço de ação institucional que lhes tem granjeado enorme prestígio público e social. Atuam no vácuo produzido pelo claro propósito dos governos de deixar sob responsabilidade da iniciativa privada a minimização do problema de desigualdade e do destino dos excluídos da sociedade ou submetidos ao risco da vulnerabilidade social. A difusão dos conceitos de responsabilidade social e empresa-cidadã é uma clara resposta do mundo empresarial à supremacia hegemônica praticada pelos governos que conduzem ao Estado mínimo, com a radical redução das dimensões da ação do poder público para equacionar problemas relativos ao desemprego, à mendicância, à exclusão social, à gravidez precoce, à violência contra a infância e as mulheres, à violência em geral que se dissemina em todos os centros urbanos.
Kadu Santoro

O sentido maior da oração

Dentro das mais diversas culturas religiosas espalhadas pelo mundo, tanto no oriente como no ocidente, a prática da oração é comum em todas elas. A oração é a base fundamental da religião (re-ligare, que significa religar), pois é através dela que o homem se liga à Deus naquele momento, e a partir deste momento de diálogo com Deus, tudo que nós ligamos aqui no mundo, também automaticamente é ligado no cósmico, ou seja, no campo espiritual (Mt 18.18). A oração é uma forma de comunicação, onde começamos refletindo sobre as mais diversas situações vividas e elaboramos naquele momento os nossos agradecimentos e súplicas à Deus.
Leandro Barcellos

A publicidade abusiva e a dignidade da pessoa humana

O fornecedor não pode manipular ou iludir o consumidor, nem tampouco ofender a moral do homem médio ou aos bons costumes, ao veicular anúncio de seus produtos ou serviços. Sobrepõem-se aqui os princípios da verdade e da dignidade, como valores éticos fundamentais. Notadamente nos anúncios de bebidas alcoólicas, a mulher é reproduzida como objeto de consumo e desejo masculino, quase sempre expressa na correlação cerveja gelada – mulher “quente”.
Pedro Bondaczuk

Vigor das línguas

O povo é quem faz a língua, seja qual for o idioma a que venhamos a nos referir, para desespero e inveja dos letrados, dos eruditos, dos doutos e sisudos guardiões do conhecimento e do saber. É ele que nomeia, de maneira clara, viva e simples, o concreto e o abstrato e cria verbos de originalidade sem par, nascidos espontaneamente, das suas necessidades de comunicação no cotidiano.
Ivani de Araújo Medina

Um dilema ético e três questões

Os gregos deixaram um dilema ético de difícil solução para a cristandade. Por mais bem intencionado que o cristianismo seja em relação à Humanidade e Jesus Cristo uma bela metáfora, a utilização da história como endosso dessa fé religiosa e como um instrumento da sua propagação, feriu gravemente o significado trivial do termo “verdade”. A clareza dessa idéia é fundamental e precisa continuar sendo, para todos. Como se falar em verdade divina faltando com a verdade humana? Eis a primeira questão.
Paulo Valladares

Pirulito que bate bate

O que diriam Van Gogh e Monet diante de um novo Impressionismo? Vejamos o Impressionismo. Movimento artístico surgido na França (...), baseia-se na idéia de que a criação na tela, constituída por "lances de tinta", era determinada pelos movimentos da natureza, particularmente do Sol. Tomando-se por base as orientações deterministas, isso seria outra maneira de insinuar que qualquer criação humana
Lygya Maya

Um fato estranho entre nós

Alguma coisa acontece entre nós que faz com que poucos alcancem o sucesso e a realização na vida. Por que será, hein? Vamos usar o exemplo de uma pessoa que trabalha com vendas em uma empresa. Todo mundo sabe que vendas é uma das profissões mais bem pagas no mundo, se você for bom ou boa nisso e sabe para onde esta indo. Qualquer empresa quer ter uma pessoa que saiba vender seu produto. Essa pessoa pode ganhar dinheiro sem limites através de comissões. Mas, mesmo assim, podemos contar nos dedos os bons vendedores no mercado.
César Maia

200 anos de independência da América Hispânica?

O ciclo de independências da América Hispânica tem dois momentos. O primeiro, após a ocupação por Napoleão da Espanha e a prisão em solo francês, de Carlos IV e Fernando VII, seu filho, a quem transferiu a coroa, que na prisão renunciou em favor de seu pai, e esse em favor de José Bonaparte, irmão de Napoleão. Nesse período, a coroa espanhola foi substituída por Juntas Governativas com a presença das autoridades espanholas anteriores. Quase todas as tentativas de independência, aproveitando o vácuo de poder, foram frustradas. Moreno, líder portenho, afirmava que a América Hispânica não era subordinada a Espanha, mas a Coroa que com a deposição dos reis, não havia porque se submeter a José Bonaparte. Mas seria com o retorno.
Alessandro Lyra Braga

As Cruzadas

As Cruzadas eram um bom negócio para todos na Europa. Por exemplo, para a Igreja era um instrumento de expansão. Para os reinos e diversos impérios europeus era uma forma de conter o avanço dos turcos sobre seus territórios. Também para os chamados nobres deserdados esta era uma boa oportunidade de novas terras. Para os comerciantes de cidades como Veneza, Pisa e Gênova esta era uma ótima oportunidade de abertura para novas rotas comerciais, que certamente lhes traria riquezas.
Marcelo de Oliveira Souza

Chapada Diamantina

O importante nas férias é quando nós conhecemos outros lugares, com belezas diferentes, num País infestado de lugares interessantes e exóticos, seja de praia ou de campo. Dessa vez escolhi conhecer lugares de serra, e nada melhor do que a Chapada Diamantina, que fica a seis horas de Salvador, recebendo esse nome porque o local já foi um grande pólo de extrativismo mineral, indo pessoas do Brasil inteiro para tentar a sua sorte.
Mauro Rosso

Por que o futebol empolga e joga com paixões e ódios?

O futebol, mais genericamente o esporte, na verdade constituiu um elemento dos modismos aos quais a sociedade da cidade do Rio de Janeiro, inclusive os literatos e intelectuais, aderiu, no afã de se integrar a um processo de modernização advindo e preconizado pela República, implantada em 1889 e que tinha entre seus projetos de afirmação ideológica e política revelar-se como meio e suporte de transformar um país “atrasado não só institucionalmente, porquanto monarquia até então, como também econômica, socialmente e até urbanisticamente” e mostrar ao concerto das nações mundiais ser o regime mais adequado a superar e sustentar as exigências de um processo capitalista de transformação e evolução.
Marisa Bueloni

Guarde no cofre

Lembra do caderno brochura, usado lá no antigo primário, em cuja capa de trás estava impressa a letra do Hino Nacional? Se encontrou um desses numa caixa de guardados, com aquela sua letrinha primitiva, manuseie com cuidado e guarde no cofre. Você vive uma paixão devastadora, de ficar sem dormir e sem comer, ou, como diria um amigo fugido, de “arrastar o rabo na cerca”? Guarde esta paixão no cofre.
Bruno Peron Loureiro

Enquanto isto, a divisão do Pará

A proposta de plebiscito visa a consultar a vontade popular para a divisão do Pará em dois novos estados: Carajás, no sudeste, com capital em Marabá, e Tapajós, no oeste, com capital em Santarém. O Pará passaria a compor somente a região nordeste do estado atual. Provavelmente os autores desta "façanha" impulsionaram seus desígnios pela criação anterior de Mato Grosso do Sul e Tocantins.
Pedro Bondaczuk

Dia do sábio

Todo o ser humano tem lá a sua importância, desde que saiba se fazer útil para si e para a coletividade. Ademais, não é justo se avaliar uma pessoa apenas pelo critério da utilidade. Não há dúvida, todavia, que o sábio é muito importante, sobretudo para a espécie. Presume-se que, quanto mais viver, maior será o benefício que trará para a humanidade. Isso, desde que, claro, nunca deixe de criar e difundir idéias, conceitos, princípios e normas de conduta, enfim, a sabedoria. Nem todos o fazem.
Daniel Archer Duque

O poder da mobilização

Quem diria que, após derrotarmos a ditadura, estaríamos aqui hoje, depois de 20 anos, descrentes na política brasileira? Nosso país, que lutou duramente pela Democracia, a vê hoje desgastada e falha. Quando antes o povo esperava ansiosamente pelas eleições, tendo consciência de que lutou pelo direito de votar, hoje foge desse período, vendo-o pessimista como apenas uma obrigação democrática.
Kadu Santoro

Ignorância, o mal maior da humanidade

Quando falo de ignorância, não estou falando literalmente de analfabetismo e nem de falta de cultura ou conhecimento, e sim de uma forma fechada e limitada de ver e refletir sobre as coisas, que logo se cristaliza e acaba se tornando em um preconceito ou fundamentalismo. A ignorância, começa a partir do momento que um indivíduo ou um grupo, não sabem lhe dar com a experiência do próximo, seja ela de vida, comportamento, credo, ideologia ou qualquer outra coisa, pois sabemos, que as diferenças, são antropologicamente características peculiares do ser humano racional.
Felipe Aquino

O papel da Virgem Maria na Igreja

São Bernardo, doutor da Igreja, disse que "Deus quis que recebêssemos tudo por Maria". De fato, por ela nos veio o Salvador e tudo o mais. Sem dúvida, o papel preponderante da Santíssima Virgem na vida da Igreja é o de Mãe. (...) Neste quadro de Pentecostes São Lucas destaca a pessoa de Nossa Senhora, a única que é recordada com o próprio nome, além dos apóstolos. Ela promove, na Igreja nascente, a perseverança na oração e a concórdia no amor.
Leandro de Assis

Meninos da Toca x Meninos da Vila

Nos últimos meses a imprensa nacional tem feito a maior pressão para que os novos jogadores revelados pelo Santos Futebol Clube, conhecidos como “Os Meninos da Vila” fossem convocados pelo técnico da Seleção Brasileira (Dunga) para a Copa do Mundo da África do Sul, só que não obtiveram sucesso, nenhum deles estão entre os 23 da lista. Exceção de Robinho que já é carta marcada na seleção.
Leandro Barcellos

A função social dos contratos

A celebração contratual, aonde figura contratante e contratado, tem finalidade específica alcançar algum objetivo ou alguma necessidade. Partindo dessa premissa, a vontade das partes é o que impulsiona a realização dos contratos desde o Direito Romano, que também teve como característica principal o formalismo. Com o advento do Código Civil de 1916, nascia numa sociedade patrimonialista e conservadora a figura do indivíduo, analisado de forma isolada, com demasiada liberdade para contratar desde que obedecesse aos aspectos formais em sua celebração.
Rubens Turci

A grande síntese dialética do sagrado

O cuidado e o critério são qualidades que devemos cultivar sempre. Certamente é difícil manter a coerência de um sistema de pensamento quando introduzimos nele elementos que lhe são estranhos. Entretanto, isto não nos deveria desmotivar de realizar tais experimentos. Quando o coração está pronto, abre-se para todos os sistemas. Os sistemas de pensamento são quebra-cabeças, onde as distintas peças representam os conceitos básicos. Basta misturar as peças de distintos quebra-cabeças para perceber que deixa de ser simples montar as figuras. Para o espírito maduro, entretanto, não é tarefa difícil separar outra vez as peças.
Rolando Lazarte

Argentina, um sonho

Daqui a alguns dias, Argentina comemora seus 200 anos de existência. Para muitos, entre os que me conto, a data chama lembranças dos primeiros anos de vida. O sol de maio, o grito de liberdade, os mitos e fatos que marcam a vida das crianças num país que insiste em tentar caminhos, a pesar das muitas dificuldades internas que enfrenta para tentar se levar a sério. 200 anos depois, Argentina não tem ainda um claro projeto como nação.
Lygya Maya

A moda que lhe pertence

Será que as grandes marcas e estilistas desenham suas coleções pensando na mulher comum ou se baseiam em estereótipos de beleza? E será que realmente temos de prender em vestir certas roupas só porque terceiros desenharam a moda? A maneira que gostamos de nos vestir ou de viver deve ser a mesma de uma celebridade ou de uma manequim alta, magra e com um certo look para sermos elogiadas ou apreciadas pela sociedade?
Ivani de Araújo Medina

Um passado duvidoso

Há décadas venho pesquisando a história do cristianismo de um modo particular. A insatisfação com o ensino formal fez-me iniciar minha pesquisa reservando a história da igreja para o momento oportuno, ou seja, quando ela pudesse simplesmente contribuir e não influir decisivamente no meu estudo. Toda pesquisa precisa de uma conclusão e por suspeitar de um possível extravio no caminho das verdades estabelecidas, inventei o meu. Afinal, Foi o cristianismo que normatizou e dominou e ensino por quase dois mil anos e a história tem servido de instrumento do seu favorecimento ideológico.