Negado mais um pedido para suspender ação de impeachment

Negado mais um pedido para suspender acao de impeachmentO presidente da comissão especial do impeachment que está em andamento na Câmara dos Deputados, deputado Rogério Rosso (PSD-DF), negou ontem, ao abrir os trabalhos da comissão, o pedido de suspensão do processo contra a presidente Dilma Rousseff formulado pelo deputado Assis Carvalho (PT-PI). O presidente da comissão alegou que não cabe a ele tomar tal decisão e sim aos deputados da comissão julgarem a admissibilidade do processo e aí negar ou não.

O deputado Assis Carvalho defende que não existe razão para a ação, já que o Congresso ainda não julgou as contas governamentais de 2014 e o Tribunal de Contas da União (TCU) também ainda nada deliberou sobre as contas de 2015. Com a negativa ao pedido, Assis Carvalho disse que irá recorrer da decisão de Rogério Rosso, afirmando que a oposição está buscando encontrar um crime que não existe.

Gesto interessante dez ontem o Comitê Pró-Democracia recebendo os membros da comissão de impeachment com flores, como uma forma de tentar acalmar os ânimos, já que nesta segunda-feira representantes desse mesmo comitê provocaram tumultos no Congresso Nacional quando representantes da OAB protocolaram um novo pedido de impeachment de Dilma Rousseff.

A situação está muito complicada em Brasília, com ânimos alterados e um clima de discórdia que atinge a todos, principalmente à base aliada do governo, que está se esfarelando cada dia mais rapidamente.

*Wilson de Oliveira é mineiro de Cataguases e divide sua vida entre Minas Gerais e Rio de Janeiro.

One thought on “Negado mais um pedido para suspender ação de impeachment

  1. Rui Ismael Carvallio disse:

    Quadrilha e assim mesmo! Quando está tudo bem na partilha do botim, fica tudo as mil maravilhas! Quando o botim começa a diminuir, as arestas começam a machucar alguns membros, aí cura um inferno! Nem Ali Baba tinha bandidos tão violentos…acho que lá tinha só um chefe…aqui tem um monte…RSRS…e haja botim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *