Início » Políbio Braga » Moro quebra sigilo bancário de operadores do PMDB

Moro quebra sigilo bancário de operadores do PMDB

O juiz Sergio Moro decretou, ontem à noite, a quebra do sigilo bancário e o sequestro de dinheiro dos operadores Jorge e Bruno Luz. Eles teriam, em pelo menos cinco episódios, “intermediado o pagamento de vantagem indevida a agentes públicos, em valores vultosos e utilizando expedientes sofisticados de ocultação e dissimulação”, disse Moro em seu despacho.

No total, a medida atinge dez contas bancárias, todas elas localizadas em paraísos fiscais. Moro quer ainda que sejam detalhadas todas as movimentações dos últimos cinco anos.

Pai e filho, Jorge e Bruno são acusados de atuarem para parlamentares, sobretudo do PMDB, e diretores da Petrobras no pagamento de propina em contratos de compra e operação de navios-sonda no exterior.

*Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em Santa Catarina, foi para o Rio Grande do Sul aos vinte anos. Foi presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas entre 1962 e 1963. Foi secretário da Indústria e Comércio e da Fazenda de Porto Alegre, além de secretário de Relações Internacionais e chefe da Casa Civil do governo do estado do Rio Grande do Sul. Foi preso duas vezes durante o regime militar brasileiro, em 1962 e 1972. Publicou um livro sobre esta experiência, chamado Ahú, diário de uma prisão política. Trabalhou nos jornais Diário Catarinense, Correio da Manhã, Última Hora, Gazeta Mercantil, Zero Hora, Correio do Povo e Jornal do Comércio, e nas revistas nas Veja e Exame. Também apresentou e participou de programas de televisão na RBS, Band, TV Pampa e TV Guaíba além de programas de rádio. Blog do Políbio Braga

Comentários

comentários

Comentários

  1. Teresinha Winter disse:

    Pergunta que não quer calar: SOMOS NÓS QUE ESTAMOS PAGANDO A PESO DE OURO ESSE MONTE DE ADVOGADOS QUE ESTÃO TRABALHANDO PRA ESSES DELATADOS E PRESOS ??? Engraçado, não vejo ninguém cobrando isso!!! Só falam na perfumaria, mas na grana grossa ninguém fala. Se não tinham nada e agora estão ricos, tanto que podem pagar advogados de 500 mil reais por dia, só podem estar usando o produto do roubo!!! Ou não???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*