Este burrinho é evangélico

Conta-se que certa vez, na cidade de Tributino Sarampo, um determinado pastor se revelou um sarcástico pregador contra a Igreja Católica. Ele soltava o seu verbo ferino contra os sacerdotes, os bispos, o papa e não poupava nem a Virgem Maria. Destilava veneno contra os santos, o sino e até contra os cachorros que ficavam deitados na calçada da igreja chamando-os de papistas e idólatras. Tudo por um potente serviço de som.

O padre perdeu a paciência e comprou um igual serviço de som e instalou na torre da igreja para responder, com igual veemência, as agressões do pregador evangélico.

Por obra do Espírito Santo veio o Vaticano II, o bispo visitou a Paróquia de Tributino Sarampo e chamou o padre para conversar. Disse ao padre o sábio bispo: “Veja só, a Igreja agradece a grande dedicação sua em defesa da fé católica, mas não é uma boa política para nós católicos esta vossa briga. Inauguramos uma nova etapa na história da Igreja. Quando um não quer dois não brigam. O senhor deve fazer uma visita ao pastor e por fim nesta discussão irrelevante!”

O padre não podia desobedecer o seu superior.

Se bem que a cidade estava adorando o que já vinha acontecendo há muito tempo. A única coisa divertida que acontecia naquele local era aquela briga entre o pastor e o padre. Aos domingos, ao nascer do sol e quando o astro rei se ocultava a polêmica começava e não tinha hora para acabar.

O obediente padre resolveu fazer uma visita ao apologista pastor, seu rival. Fizeram as pazes. A tristeza retornou para a cidade que não falava em outro assunto. Eram duas torcidas organizadas.

O Tributinense Esporte Clube já estava quase para encerrar suas atividades. Ninguém queria perder aquela discussão entre os dois religiosos.

Agora a briga continuava nos bastidores. Sempre que o pastor e o padre se encontravam surgia uma piadinha de desacato. Em uma bela manhã de sol

o sacerdote vinha puxando o seu burrinho para as suas costumeiras visitas aos fiéis. Tinha que passar na porta do pastor que estava com o Bíblia na mão saindo para a Escola Dominical e logo resolveu provocar o padre: “Senhor padre, o burrinho já fez a primeira comunhão?”. O padre não pestanejou e prontamente respondeu: “Não, senhor pastor, este burrinho é evangélico!”

*Mozart Noronha é pernambucano de Catende, mora no Rio de Janeiro e é professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *