Principal » Livros: Não Ficção

Livros: Não Ficção

DESAFIOS DO DESIGN
Monique Vandresen, Murilo Scoz e Sandra Ramalho (Organização) – Editora UDESC

Desafios do Design

Buscando estimular esta cultura transdisciplinar de convergência a partir dos métodos do design, o livro Desafios do Design constitui o resultado de um esforço coletivo rumo a conciliação das competências de diferentes campos do saber em torno de problemas do contemporâneo. No presente conjunto de textos, que nasce da colaboração dos docentes e discentes do programa de Pós-Graduação em Design da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), buscou-se construir um esquema programático de diferentes abordagens científicas dentro do campo do design, partindo-se sempre de um mesmo compromisso intelectual com a cientificidade. Os autores, que aqui ensaiam abordagens diversas para fenômenos igualmente variados, buscam vias de construção do conhecimento frente ao erosivo cenário da racionalidade técnica que atravessamos. E se não são preocupações que dizem respeito apenas aos designers, mas próprios do ‘estar no mundo’, devemos reconhecer que são desafios da construção do mundo, e isso garante à teoria do design um protagonismo sem precedentes.

GEOGRAFIA DOS INFIEIS
Mauricio Nolasco – Editora Ibis Libris

GEOGRAFIA DOS INFIEIS

Geografia dos Infiéis é uma tentativa de ver o Brasil de onde não se conhece – de um lugar pouco descrito na literatura brasileira: a Baixada de Jacarepaguá no Rio de Janeiro. Relata a epopeia de personagens exóticas e marginalizadas, que prossegue sobrevivente de seu próprio esquecimento, mas sonhando manter a utopia e a liberdade como os seus únicos escudos, numa época de ditadura, vazio e caos. Baseado em fatos reais, mas com uma dose de ficção para expurgar da realidade a fantasia transcendente do seu jogo natural, o que ultrapassa a aceitação dos modelos e fenômenos impostos pela sociedade moderna. Apresentação de Luiz Alberto Py, Luiz Galvão, Vovô do Ilê Aiyê e Sidney Rezende.

MAIS UM DIA MAGNÍFICO NO MAR – A vida em um porta-aviões norte-americano
Geoff Dyer – Editora Cia. das Letras

MAIS UM DIA MAGNÍFICO NO MAR - A vida em um porta-aviões norte-americano

O inglês Geoff Dyer é conhecido pela capacidade de transcender gêneros – é autor de romances que podem ser lidos como não ficção e de ensaios que parecem pura imaginação. É esse escritor sem fronteiras que encontramos novamente neste livro. Dyer relata aqui a experiência de passar duas semanas num porta-aviões norte-americano. Em 45 pequenos capítulos, escritos no estilo elegante e divertido que o tornou célebre, Dyer descreve cada aspecto da vida num navio de guerra – os marinheiros encarregados de administrar freezers gigantescos de comida processada, a academia de ginástica repleta de oficiais obcecados por musculação, o bloco prisional ocioso, que transforma os vigias em verdadeiros cativos obrigados a supervisionar celas vazias. É um cotidiano completamente oposto aos hábitos do autor. Alto, magro, incapaz de andar no convés sem se curvar, é também, em suas próprias palavras, um ranzinza cheio de restrições alimentares, com aversão a motores, ruído e combustível, e disposto a infernizar a tripulação até conseguir uma cabine privativa – luxo impensável a bordo de um porta-aviões. Ainda assim, seu relato é leve e generoso, cheio de curiosidade e respeito pelo trabalho incansável dos tripulantes: consertar aviões, lançá-los ao céu e recebê-los quando voltam da missão. Um inglês típico frente a um mundo profundamente americano, com suas constantes incitações ao sucesso e à superação, Dyer registra com brilho o cotidiano no navio. O porta-aviões é a representação de uma sociedade em que disciplina, conformidade, dedicação e otimismo se transmutam em formas de identidade.

Mais um dia magnífico no mar deixa claro por que Geoff Dyer tem sido largamente celebrado como uma das vozes mais originais – e engraçadas – da literatura contemporânea.

REFLEXÕES FILOSÓFICAS NAS DIVERSAS ÁREAS DO CONHECIMENTO
José Claudio Morelli Matos (Organização) – Editora UDESC

Reflexões filosóficas nas diversas áreas do conhecimento

Reflexões filosóficas nas diversas áreas do conhecimento (2013) é uma coleção de textos de autores da filosofia, da pedagogia, das ciências sociais e das artes. Os capítulos apresentam reflexões que transitam pelos territórios fronteiriços da filosofia com estes outros campos do saber e da atividade humana. O resultado do conjunto é uma perspectiva de diálogo da filosofia com outros discursos e práticas, buscando com isso uma reflexão mais refinada acerca da experiência humana individual e social.

COISAS DO PORTUGUÊS
Janete Gheller – Editora UDESC

Coisas do Português

Pequeno livro, simples, fácil de ler, contendo algumas dicas da nossa língua na hora de falar e escrever. Outros semelhantes a este virão com assuntos do interesse de todos.

GRANDE AMOR
Lama Michel Rinpoche e Bel Cesar – Editora Gaia

Grande amor

É fundamental que o leitor entenda que Grande amor não traz dicas de como conquistar ninguém na balada, manter um casamento, trazer de volta a pessoa amada depois de uma separação. Trata-se de um sentimento maior do que o de posse. Mais significativo e duradouro que o desejo. Amor, de acordo com a filosofia do budismo tibetano e também dentro do contexto da psicologia, é aqui apresentado como o caminho da legítima felicidade, por meio da entrega e do desenvolvimento interior. Lama Michel Rinpoche, iluminado pela filosofia do budismo tibetano, e a psicóloga Bel Cesar, que mescla o conhecimento da psicologia com o budismo, escreveram o livro em forma de uma longa conversa. São 68 capítulos, que exploram o tema a partir de diferentes abordagens.

O livro trata, por exemplo, da diferença entre amar e desejar, e que amar é querer que o outro seja feliz. Nisso, Lama Michel e Bel Cesar enfatizam que é indispensável tratar dos conceitos de felicidade, tão facilmente confundidos com a cobiça ou outros sentimentos negativos. Lama Michel lembra que a gente ama simplesmente desejando verdadeiramente a felicidade do outro, mesmo quando há discordâncias: “Não é ser complacente. Posso amar você mesmo quando não concordo com suas atitudes ou pensamentos.”

“A gente fala de culpa, de raiva, de inadequação. Sentimentos que dificultam a disponibilidade da pessoa se abrir para o outro, para o Grande Amor, comenta a psicóloga Bel Cesar.

Outra questão importante é que os autores sustentam que o amor é algo que se aprende, que se busca pela compreensão, pela mudança de comportamento, pela meditação e consequente autopercepcão. Ou seja, não é algo que se alcance ao fechar o livro após a leitura. O Grande Amor é o encontro das experiências diretas de afeto ao longo do caminho da vida.

STEVE JOBS: GÊNIO DO DESIGN
Jason Quinn – Editora Escrituras

STEVE JOBS

Uma impiedosa e ao mesmo tempo sensível descrição da vida de Steve Jobs.

Não é nenhum segredo que Steve Jobs foi uma personalidade forte e por vezes apontada como difícil. O trabalho do escritor Jason Quinn apresenta as razões para essa irascibilidade: como extremista e antagônico, meticuloso e inspirado. O ilustrador e desenhista Amit Tayal através de painéis claros conduz a tensão e a urgência que Jobs imprimia a seus projetos. O que é particularmente eficaz nesta biografia é a criação do mundo Apple, explorando não apenas Jobs como peça fundamental, mas seus principais colaboradores como: Steve Wozniak, o genio do design Jony Ive e os parceiros Mike Scott e John Sculley. A vida familiar de Jobs também é apresentada assim como seu fascínio com dietas, o Zen Budismo e até mesmo imposição de regras como só necessitar de um banho por semana, graças a seus hábitos alimentares.

Ao fim da história fica claro como Steve Jobs se encaixa no mundo da Apple. São as suas imperfeições cercadas de perfeccionismo.

D. PEDRO II E A EMANCIPAÇÃO DOS ESCRAVOS
Mauro Henrique Miranda de Alcântara – Editora CRV

D. PEDRO II E A EMANCIPAÇÃO DOS ESCRAVOS

Quando se menciona o tema abolição da escravidão no Brasil, automaticamente remete-se a figura da Princesa Isabel. No entanto, foi durante o reinado de D. Pedro II que vimos os desdobramentos do processo abolicionista. Diante disso, cabe à pergunta, qual foi o papel do Imperador na extinção da escravidão? Este livro buscou verificar esse papel, analisando os discursos proferidos pelo monarca nas “Falas do Trono”. Para compreender as possibilidades de projeção destes discursos, recorreu-se a historiografia sobre a abolição da escravidão no Brasil e a biografias sobre o monarca. E o que se percebeu foi um Imperador dotado de uma posição que ao mesmo tempo era “vanguardista” e conservadora sobre a temática.

UNIÃO EUROPEIA – O Direito Político da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço
Arthur Roberto Capella Giannattasio – Editora Juruá

União Europeia - O Direito Político da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço

A literatura jurídica brasileira tradicional compreende a União Europeia, desde seu princípio, como um processo de integração marcado essencialmente por uma matriz jurídico-econômica. Nesta leitura, a integração europeia teria sido estruturada por um cimento jurídico-econômico responsável pela edificação da Paz na Europa. O presente livro fornece, por sua vez, uma leitura alternativa sobre o início da integração europeia, por meio da ênfase em seu caráter jurídico-político.

A partir de uma interpretação fenomenológica de textos normativos do Tratado que instituiu a primeira Comunidade Europeia – a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (1951) – argumenta-se que a integração europeia foi uma solução jurídico-política. Para além de um mecanismo jurídico internacional de conteúdo econômico, a integração europeia teria derivado de uma imaginação institucional que, fundada em normas jurídicas de oposições escalares de freios e contrapesos, estabeleceu estruturalmente um regime de convivência política entre os países participantes da comunidade. Esta interpretação alternativa fornece, assim, elementos conceituais para reorientar as discussões atuais sobre as futuras reformas institucionais da União Europeia contemporânea e de outros processos de integração.

O MAR E A SELVA: sobre a viagem de Henry Major Tomlinson ao Brasil
Hélio Rodrigues da Rocha – Editora CRV

O MAR E A SELVA

The sea and the Jungle (O Mar e a Selva) é um feito. E Hélio Rodrigues da Rocha é um forte. Ter trazido ao deleite dos leitores brasileiros este estudo sobre um clássico da moderna literatura de viagem que é O mar e a selva, de Henry Major Tomlinson (1873-1958), exatos cem anos depois de sua primeira edição em Londres (1912), é um fato editorial que merece ser saudado por todos aqueles que, para além das modas passageiras e manias comerciais, amam de verdade boas narrativas que nos desvendem histórias de valor. O autor foi um importante escritor inglês, cuja vida aventurosa soube expressar em prosa de cerca de 40 livros: marinheiro, jornalista, combatente na Primeira Guerra Mundial e logo pacifista radical, biógrafo, romancista e contista. De tudo que escreveu, contudo, destaca-se, além do romance Gallions reach (1927), este O mar e a selva, que trouxe o então jovem marujo até Belém do Pará e, depois, Amazônia adentro, até os confins de Santo Antônio do Madeira e dos trilhos em construção da hoje também centenária ferrovia Madeira-Mamoré. O que o viajante-escritor conseguiu, nestas páginas, foi restituir o clima fantasmagórico da selva e da ilusão civilizatória dos homens que nela se perdiam. Inspirou-me muito sua leitura, trinta anos faz, quando andava às voltas com meu ensaio Trem-fantasma. A generosa tradução de Hélio Rocha, ademais trabalhada com pesquisa de fontes muito cuidadosa, proporciona-nos, agora, a possibilidade de fazer e refazer os percursos de Tomlinson. Magia da viagem, magia da escrita. Quem viver lerá. Quem ler viverá.

O CONTESTADO – Causas e Consequências
Osnivaldo de Oliveira Vargas – Editora Juruá

O Contestado

Ao longo dos anos muitos livros e estudos foram publicados com a finalidade de descrever aos leitores o tema “O Contestado”, um dos maiores movimentos sociais ocorridos no Brasil no início do séculoXX, proveniente do litígio pela demarcação fronteiriça entre os estados do Paraná e de Santa Catarina. Porém, poucas obras retratam de forma concreta as causas e as consequências do movimento que acabou deflagrando um conflito armado entre a população cabocla e as forças militares. Diante disso, esta obra que o leitor tem em mãos traz como objetivo principal a descrição das circunstâncias provocadoras da contenda, apresentando, em um primeiro plano, as causas do conflito, descrevendo a região contestada, o início e motivos do litígio e as infrutíferas negociações judiciais e extrajudiciais. Também há relatos sobre a construção da estrada de ferro ligando São Paulo ao Rio Grande do Sul e a instalação de duas grandes madeireiras na região, que causaram a expulsão de centenas de camponeses de suas terras, fazendo com que eles passassem a perambular pelo sertão em busca de trabalho, acabando por se envolver ao messianismo de um homem conhecido como monge José Maria.

Conhecidas as causas da questão, a segunda parte da obra trata das consequências do litígio de terras, dando origem ao que ficou conhecido como “Campanha do Contestado”, relatando desde a trágica investida militar ao acampamento do monge e seus seguidores, nos campos de Irani, em outubro de 1912, resultando na morte de dezenas de caboclos e do monge José Maria, além de inúmeros militares, entre os quais o Comandante do Regimento de Segurança do Paraná, Coronel João Gualberto Gomes de Sá Filho. Com este trágico resultado, durante quatro anos foram travados inúmeros conflitos armados entre militares e caboclos, provocando a morte de milhares de civis e quase duas centenas de militares, estendendo-se até outubro de 1916, quando foi assinado o acordo entre os governadores do Paraná e de Santa Catarina para solução da questão de limites.

FAB – Força Aérea Brasileira – Os reflexos do alinhamento com os Estados Unidos entre 1941 e 1948
Anderson Matos Teixeira – Editora Juruá

FAB

A relação entre o Brasil e os Estados Unidos tem sido um ponto relevante de debate nos últimos tempos. E foi pensando sobre essa questão que o autor inova analisando a Força Aérea Brasileira e seu papel fundamental nessa relação. Na presente obra o autor busca trazer suas pesquisas para além do círculo acadêmico. Este trabalho faz parte de seus estudos sobre a influência estadunidense na FAB de 1941 a 1948, analisando documentos oficiais do período e uma longa lista de referências especializadas no assunto.

Tendo sido criado, em 1941, o Ministério da Aeronáutica, e em 23 de abril de 1942, a Comissão Mista de Defesa Brasil-Estados Unidos, desta relação surgiram vários elementos de conexão entre a FAB e os Estados Unidos, dentre os quais, foi decidido como seria a participação do Brasil nos esforços da guerra, como seriam utilizadas as bases nacionais pelas forças dos Estados Unidos, além de quais equipamentos receberia como parte do apoio aos Aliados. Com o evento da Segunda Guerra Mundial, a Força Aérea Brasileira (FAB) foi induzida a criar vínculos com diversos atores internacionais. E isso acabou resultando em reflexos na sua estrutura e pensamento. O principal vínculo criado foi exatamente com os Estados Unidos. A forma com que essa grande potência influenciou a Força Aérea Brasileira foi das mais diversas, mas damos ênfase à formação de pessoal especializado, fornecimento de materiais e a influência no pensamento sobre poder aéreo, que ainda podem ser sentidos dentro da FAB.

Descubra mais sobre essa parte importante de nossa história com esta obra.

A NOITE DO MEU BEM – A história e as histórias do samba-canção
Ruy Castro – Editora Cia. das Letras

A NOITE DO MEU BEM

Até 1946, quando o presidente Eurico Gaspar Dutra proibiu os jogos de azar no Brasil, a noite carioca girava em torno dos grandes cassinos: o da Urca, o do Copacabana Palace, o Atlântico, ou mesmo, subindo a serra, o Quitandinha, em Petrópolis. Eram verdadeiros impérios da boemia, onde a roleta e o pano verde serviam de pretexto para espetáculos luxuosos, atrações internacionais e muito champanhe. A canetada presidencial gerou uma legião de desempregados – músicos, cantores, dançarinas, coristas, barmen, crupiês – e um contingente ainda maior de notívagos carentes. Os cassinos fecharam para sempre, mas os indestrutíveis profissionais da noite, sem falar nos boêmios de plantão, logo encontraram um novo habitat: as boates de Copacabana.

Eram casas em tudo diversas dos cassinos. Em vez das apresentações grandiosas, dos espaçosos salões de baile e das orquestras em formação completa – que estimulavam uma noite ruidosa -, as boates, com seus pianos e candelabros, favoreciam a penumbra e a conversa a dois. Isso não quer dizer que tenham deixado de ser o centro da vida social. Ao contrário, não havia lugar melhor para saber, em primeira mão, da queda de um ministro, de um choque na cotação do café ou de um escândalo financeiro do que nas principais boates, como o mítico Vogue, frequentado por exuberantes luminares da República e por grã-finos discretos e atentos. Mas a noite era outra: assim como a ambiance, a música baixou de tom. Os instrumentistas e cantores voltaram aos palcos em formações menores, andamento médio e volume baixo, quase um sussurro. Tomava corpo um novo gênero, um samba suavizado pela canção, que encontrou nas boates o lugar ideal para se desenvolver plenamente.

Essa nova música, com seus compositores, letristas e cantores; as boates, com seus criadores, funcionários e frequentadores, e o excitante contexto social e histórico que fez tudo isso possível são o tema do novo livro de Ruy Castro, que mais uma vez nos delicia com sua prosa arrebatadora.

CINEMA E FILOSOFIA – Ensinar e aprender Filosofia com os filmes
Alessandro Reina – Editora Juruá

Cinema e Filosofia_

A presente obra aborda como o cinema possui dentro de si a potencialidade de ser filosófico, conduzindo tanto o espectador-filósofo como o não filósofo à construção de uma reflexão profunda sobre os processos que envolvem a realidade, o ser humano e seus problemas.

O livro parte das reflexões realizadas pelos filósofos Gilles Deleuze e Julio Cabrera, acerca da possibilidade dos filmes do cinema caracterizarem-se como uma “forma de pensamento”, conduzindo o espectador ao ato do filosofar. Aborda também o uso do filme como um poderoso recurso didático para o ensino da Filosofia, não sendo utilizado apenas como um elemento de mobilização, expressão ou de ilustração do pensamento filosófico, mas como um propulsor do próprio ato de filosofar a partir da capacidade do filme de “violentar o pensamento” por intermédio da narrativa fílmica.

GESTÃO DO CONHECIMENTO – Introdução e Áreas Afins
Ronaldo Vieira – Editora Interciência

GESTÃO DO CONHECIMENTO

Há 30 anos, Marty McFly, em De volta para o futuro, previu, de forma divertida, novas maneiras de se informar, de se comunicar e de se divertir. Atualmente, podemos refletir e vislumbrar como poderá ser o conhecimento produzido, disseminado e recuperado daqui a alguns anos, obviamente que em menos tempo que na ficção: armazenado em grandes repositórios digitais, acessíveis por portais, redes sociais, weblogs, apps mobiles, entre outros. Nesse sentido, a velocidade se impõe de maneira imperativa, o que, na perspectiva de Virilio (2005), significa a desmaterialização do tempo e do espaço, fundindo-se e unificando-se os dois, tornando-nos ubíquos. As tecnologias da informação e comunicação (TICs) estabelecem alguns padrões sobre a produção e o compartilhamento do conhecimento, em todos os âmbitos, do social ao acadêmico-científico. Lyotard (2011) aponta que o conhecimento que não for passível de interpretação e compreensão será descartado, e que as novas pesquisas serão orientadas pelos resultados traduzidos em linguagem de máquina. Dessa forma, Vieira, em Gestão do conhecimento: introdução e áreas afins, trata sobre todos os aspectos referentes à gestão do conhecimento produzido, em quantidades imensuráveis e simultaneamente em lugares inomináveis, referindo-se ao processo na íntegra, que inclui da indexação dos dados, de qualquer tipo, em sistemas inteligentes, à preservação desses dados, atendendo à demanda por informações necessárias às tomadas de decisões no contexto das organizações. O autor apresenta também na obra assuntos pertinentes, como a elaboração de estratégias e processos para mapear as necessidades informacionais, assim como, para viabilizar a recuperação da informação, sistematizando definições, tipos, históricos, conceitos desenvolvidos em algumas áreas do conhecimento, a importância da arquivística nesse cenário. O livro é recomendado como fonte bibliográfica básica para alunos e profissionais de diversas áreas.

REDES DE CONHECIMENTO E COMPETÊNCIA EM INFORMAÇÃO – Interfaces da Gestão, Mediação e Uso da Informação
Regina Célia Baptista Belluzzo, Glória Georges Feres e Marta Lígia Pomim Valentim (Organizadores) – Editora Interciência

Capa_Redes_Conhecimento_final...

A edição desta obra é o resultado do esforço de pesquisadores brasileiros que têm se empenhado em divulgar experiências e estudos sobre o fenômeno irreversível da Competência em Informação, ou qualquer que seja o termo que queiramos utilizar. No centro das propostas que envolvem a temática está a ideia de que informação, como valor estratégico, pode modificar realidades e transformar vidas. É só uma questão de planejamento e investimentos adequados. Essa coletânea mostra uma série de importantes empreendimentos que apostam nessa ideia transformadora,descrevendo ações paulatinas e pacientes que, aos poucos e de forma equilibrada, pontualizam com sua contribuição.

Relatos importantes são apresentados e contribuirão para fomentar o debate, divulgando também experiências que estimularão um número cada vez maior de profissionais a assumirem programas de formação. Em todos os campos, é preciso pensar estrategicamente o tema “Competência em Informação”. Como anunciado na “Declaração de Maceió”, no “Manifesto de Florianópolis” e na “Carta de Marília”, importantes documentos que apresentam uma primeira manifestação oficial sobre a causa no contexto brasileiro, espera-se a mobilização e o enfrentamento de desafios para que estes se transformem de assustadores em fascinantes.

CÓDIGO DA VIDA
Saulo Ramos – Editora Planeta

Código da vida

Livro de memórias? De suspense? De história? Código da vida é um pouco de tudo isso. Ao narrar sua trajetória de vida, desde a infância no interior de São Paulo até os dias de hoje, o renomado jurista Saulo Ramos acaba contando detalhes de inúmeros fatos e acontecimentos de nosso país, de um ponto de vista de quem sempre acompanhou tudo de perto, seja como espectador, seja como um dos personagens principais. Nesse caleidoscópio de reminiscências, o autor desfila críticas e elogios aos personagens mencionados – Lula, Mário Covas, Fernando Henrique Cardoso, José Sarney, entre outros – trazendo ao leitor uma narrativa apaixonante e envolvente.

SEIS MESES EM 1945 – Roosevelt, Stálin, Churchill e Truman – Da Segunda Guerra à Guerra Fria
Michael Dobbs – Editora Cia. das Letras

SEIS MESES EM 1945 - Roosevelt, Stálin, Churchill e Truman - Da Segunda Guerra à Guerra Fria

Poucos pontos de inflexão na história apresentam tantos aspectos dramáticos como os meses entre fevereiro e agosto de 1945, o período entre a Conferência de Yalta e o bombardeio de Hiroshima.

Os Estados Unidos e a União Soviética se tornaram as duas nações mais poderosas do mundo; a Alemanha nazista e o Japão imperial foram derrotados; o Império britânico estava à beira de um colapso econômico. Um presidente morreu; um ditador doentio que quase conquistou o mundo suicidou-se; um primeiro-ministro que havia inspirado seu povo durante os dias mais sombrios de sua história foi derrotado em eleições livres. Golpes de Estado e revoluções tornaram-se corriqueiros; milhões de pessoas foram enterradas em valas comuns; antigas cidades reduziram-se a pilhas de escombros. Um tsar vermelho redesenhou o mapa da Europa, erguendo uma “cortina de ferro” metafórica entre Oriente e Ocidente.

Reunidos na capital do derrotado Terceiro Reich, os vencedores disputavam os despojos da vitória. De maneira inexorável, o fim da Segunda Guerra Mundial conduziu ao início da Guerra Fria. Os meses que separam Yalta de Hiroshima são um ponto de articulação entre duas guerras muito diferentes – e também dois mundos muito diversos. Eles unem a era da artilharia à da bomba atômica, os estertores do império às dores do parto das superpotências.

Celebram também o encontro inevitavelmente fatal, no coração da Europa, entre os exércitos de duas grandes nações oficialmente aliadas porém guiadas por ideologias opostas. Mais de um século antes, Alexis de Tocqueville havia previsto que americanos e russos deixariam as outras nações para trás. “Seus pontos de partida são diferentes, assim como seus percursos não são os mesmos; contudo, cada um deles parece destinado pela vontade dos céus a conduzir o destino de metade do globo.” Essa é a história das pessoas – presidentes e comissários, generais e soldados rasos, vencedores e derrotados – que deram origem à corrida de gigantes que redefiniria os rumos do mundo.

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL – Aspectos Históricos, Legais e Construtivos
Antônio Domingos Dias Ferreira – Editora Interciência

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

No Brasil ainda persistem enormes defasagens em alguns aspectos que são considerados como necessidades básicas do ser humano. Um desses aspectos diz respeito à carência de moradias ofertadas à parcela da população que se encontra em situação de grande fragilidade social, geralmente associada a fatores como, por exemplo, a baixa escolaridade, que inexoravelmente acaba levando a uma condição de baixos níveis de renda familiar.

Este livro tem como objetivo abordar a temática acerca do grave problema do deficit habitacional brasileiro, sob os seus aspectos históricos, legais e construtivos. Tudo isso com o objetivo de se chegar a um quadro que seja o mais completo possível acerca do deficit habitacional no Brasil, mostrando o que já está sendo feito no sentido de se minimizar tal problema, além de auxiliar no apontamento de possibilidades e de caminhos alternativos visando solucioná-lo ou, pelo menos, reduzi-lo.

DAS RUAS À MÍDIA
Maria Ivete Trevisan Fossá (organização) – EDIPUCRS

DAS RUAS À MÍDIA

Das ruas à mídia: representação das manifestações sociais é uma obra acadêmica produzida por mestrandos e doutorandos do Grupo de Pesquisa “Comunicação Institucional e Organizacional”, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria, RS, Brasil, com a organização da professora Dra. Maria Ivete Trevisan Fossá. Com a presente obra mantemos nossa tradição de publicações anuais, tendo iniciado com o e-book “Comunicação Organizacional e Cidadania: olhares sobre a presença das corporações e da comunidade na mídia”, disponível para download no website do PPGCom/UFSM1. No livro atual, nosso objetivo é apresentar os contornos das manifestações sociais contemporâneas e também a forma como foram tratadas nos diferentes meios de comunicação, no Brasil e no exterior. Por isso, trata-se da reunião de pesquisas teóricas e empíricas que analisam o percurso desde as manifestações tomando as ruas, sua expressão pública, até as rádios, revistas, televisões, enfim, os dispositivos que compreendem a comunicação midiática, área de estudo dos pesquisadores envolvidos.

UM IMPÉRIO DE GELO: SCOTT, SHACKLETON E A IDADE HEROICA DA CIÊNCIA NA ANTÁRTICA
Edward J. Larson – Editora L&PM

UM IMPÉRIO DE GELO

No começo do século XX, a Antártica era o último continente ainda intocado pelo homem, e chegar primeiro ao Polo Sul era uma questão de honra. A primeira expedição com esse intuito foi liderada pelo irlandês Ernest H. Shackleton, em 1908, sem no entanto lograr êxito; em 1911, o norueguês Roald Amundsen e o inglês Robert Scott se lançaram numa verdadeira corrida ao ponto mais ao sul do planeta – Amundsen chegou lá em 14 de dezembro, seguido pouco mais de um mês depois pela expedição de Scott, cujo grupo pereceu no caminho de volta. Um império de gelo traz uma nova abordagem ao tratar do que realmente estava no centro dos esforços britânicos na Antártica: a ciência. Sem deixar de lado os momentos emocionantes e humanos da história, o ganhador do prêmio Pulitzer Edward J. Larson examina os assombrosos esforços científicos dessas expedições, além de abranger questões políticas, comerciais, culturais, de orgulho e de heroísmo no fim do mundo. Edward J. Larson foi vencedor do Prêmio Pulitzer em 1998.

A ARTE DE PERTENCER
Fernando Moraes – Editora Novas Ideias

A ARTE DE PERTENCER

Em tempos modernos, as relações sociais se referenciam passa a se defi nir pelo que se tem e não pelo que se é. A arte de pertencer, do professor e gestor público Fernando Moraes, é um livro que faz pensar. O simples fato de ser parte de um lugar humano desperta a sensação de viver em uma comunidade, com o poder de interferir e participar ativamente na construção de um Novo Estado de Convivência Social. Uma reflexão comprometida com as coisas que fazem a vida valer a pena.

A AVENTURA DO PENSAMENTO
Fernando Savater – Editora L&PM

A AVENTURA DO PENSAMENTO

Não há nada mais confortável para a mente humana, nem mais perigoso, do que as certezas. Nossa melhor defesa contra tal armadilha é a filosofia, que consiste em grande parte na arte de questionar, de se atrever a pensar, de interpretar as verdades estabelecidas e buscar o que elas ocultam. Neste passeio pela história da filosofia, Fernando Savater nos apresenta os grandes personagens que, com suas indagações – e às vezes com suas respostas – marcaram o pensamento ocidental. Platão, Aristóteles, Hobbes, Tomás de Aquino, Nietzsche, Marx, Wittgenstein e outros, chegando até Michel Foucault, desfilam aprazivelmente por estas páginas; Savater, com seu habitual estilo lúcido, suave e inteligente, explica as ideias mais importantes e resume as trajetórias desses grandes pensadores. Um verdadeiro louvor ao irrenunciável exercício de liberdade intelectual, este livro é, na verdade, um convite a compartilhar com os grandes filósofos a maravilhosa aventura de pensar.

A INVENÇÃO DA FAVELA
Licia Do Prado Valladares – FGV Editora

A invenção da favela

Este livro propõe uma “sociologia da sociologia” da favela carioca, cobrindo desde seu mito de origem até o momento presente de espaço-problema e favela virtual. Licia do Prado Valladares analisa as múltiplas imagens e representações que a favela suscita há um século, transformadas em “dogmas” pelas ciências sociais. Uma contribuição à historia das favelas e das ciências sociais no Brasil.

MAN REPELLER
Leandra Medine – Editora Novas Ideias

MAN REPELLER

Em seu primeiro livro, a badalada blogueira e queridinha do mundo fashion conta suas divertidas memórias. Com jeito insolente, uma franqueza desconcertante e fotos de seu arquivo pessoal, Leandra compartilha detalhes da noite em que perdeu a virgindade, quando esqueceu de tirar as meias soquetes brancas, e descreve o momento em que percebeu que a clutch Hermès vintage da sua avó, feita de pele de avestruz, poderia guardar muito mais do que a chave e o celular. Leandra é a prova de que não precisamos trair nosso estilo repelente nem mesmo ao procurar o vestido de noiva (que pode ser muito bem ser combinado com uma jaquetinha perfecto de organza). Exibindo as opiniões originalíssimas de uma blogueira que ganhou milhões de fãs, este livro reúne experiências divertidas e meio bizarras, uma história amor superdoce e, acima de tudo, um lembrete para celebrarmos um mundo que é feito pelas mulheres e para as mulheres.

REVOLUÇÃO RUSSA
S. A. Smith – Editora L&PM

Revolução Russa

A Revolução Russa foi uma das primeiras manifestações populares do século XX e culminou na renúncia de um monarca e no surgimento do primeiro Estado socialista do mundo. Dividida em duas partes, a Revolução de Fevereiro e a Revolução de Outubro de 1917, derrubou a autocracia e levou ao poder Lenin e seu Partido Bolchevique. A ruína da autocracia teve suas raízes em uma crise em meio à modernização, quando trabalhadores começaram a sair às ruas reivindicando melhores condições de trabalho e renda na esperança de derrubar uma estrutura de dominação. S. A. Smith faz um relato atualíssimo do que foi a revolução, dos impactos que causou e de como até hoje influencia a forma de vermos a política. Com uma linguagem clara, envolve o leitor nesta história de várias histórias através de seus marcantes personagens.

PARIS OCUPADA
Dan Franck – Editora LP&M

Paris ocupada

Em setembro de 1939, com a invasão da Polônia pelo Terceiro Reich de Hitler, teve início a Segunda Guerra Mundial. O avanço nazista sobre a Europa foi veloz, e, em junho de 1940, Paris – então capital cultural e intelectual do mundo – e parte da França foram ocupadas pelos alemães. O governo e boa parcela da população francesa capitularam; outra parte se envolveria no movimento clandestino de resistência. A Cidade Luz se ensombreceu; os museus se esvaziaram na meticulosa operação para proteger dos nazistas as principais obras de arte do país, e teve início um dos mais sombrios períodos da longa história de Paris, com intervenção política, toque de recolher, perseguição a judeus e a outras minorias, prisões arbitrárias, violência, medo e suspeita. Apenas em junho de 1944 a cidade seria libertada pelos aliados.

Dan Franck se debruça aqui sobre esses turbulentos e excitantes anos em que, enquanto o mundo assistia atônito ao desenrolar da guerra, os habitantes, as ruas, as vielas, os cafés e os museus parisienses padeciam sob o jugo inimigo.

Encontram-se retratados traidores e heróis, membros da resistência e colaboracionistas, artistas tentando trabalhar num clima político impossível, editores correndo atrás de papel para imprimir seus livros, cineastas em busca de bobinas de filme, escritores trabalhando com medo, outros morrendo sob tortura; Sartre escrevendo no Café Flore, com um cigarro na mão, sobre o engajamento e sobre o ser; também os escritores André Malraux, Ernest Hemingway e Marguerite Duras, o poeta Louis Aragon, Pablo Picasso, o destemido aviador e herói da Resistência Antoine de Saint-Exupéry e Sylvia Beach, proprietária da lendária livraria Shakespeare & Co. – personalidades inesquecíveis que, entre vários anônimos, habitam essa história frequentemente trágica, outras vezes heroica, mas sempre instigante.

INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS
Celso Castro e Julia O’donnell – FGV Editora

Introdução às ciências sociais

O objetivo deste livro é apresentar o leitor ao universo das Ciências Sociais. A tarefa não é simples; desde de pelo menos meados do século XIX, autores, ideias e conceitos vêm se acumulando nessa área de saber, compondo um repertório tão vasto quanto heterogêneo. Como então selecionar e ordenar o conteúdo por meio do qual o leitor entrará em contato com as Ciências Sociais? Como reunir em um único volume tantas vertentes de pensamento, sem deixar de lado sua complexidade e seus feixes de relação? A resposta a estes desafios aparece na forma como o livro foi pensado: um percurso analítico que conduza a uma reflexão crítica e desnaturalizadora a respeito de aspectos fundamentais da vida cotidiana.

Introdução às Ciências Sociais se estrutura, assim, em torno do desejo de desenvolver nos leitores a sensibilidade necessária para perceber a diversidade e a relatividade das formas da vida social.

SAPIENS – UMA BREVE HISTÓRIA DA HUMANIDADE
Yuval Noah Harari – Editora LP&M

Sapiens_uma breve hisstória da humanidade

Um relato eletrizante sobre a aventura de nossa extraordinária espécie – de primatas insignificantes a senhores do mundo. O que possibilitou ao Homo sapiens subjugar as demais espécies? O que nos torna capazes das mais belas obras de arte, dos avanços científicos mais impensáveis e das mais horripilantes guerras? Yuval Noah Harari aborda de forma brilhante estas e muitas outras questões da nossa evolução. Ele repassa a história da humanidade, relacionando com questões do presente. E consegue isso de maneira surpreendente. Doutor em história pela Universidade de Oxford e professor do departamento de História da Universidade Hebraica de Jerusalém, seu livro não entrou por acaso nas listas dos mais vendidos de 40 países para os quais foi traduzido.

Sapiens impressiona pela quantidade de informação, oferecida em linguagem acessível, atraente e espirituosa. Tanto que, na primeira semana de lançamento nos Estados Unidos, já figurava entre os mais vendidos na lista do The New York Times. Em Sapiens, Harari nos oferece não apenas conhecimento evolutivo, mas também sociológico, antropológico e até mesmo econômico. Ele se baseia nas mais recentes descobertas de diferentes campos como paleontologia, biologia e antropologia. E, especialmente para a edição brasileira, realizou algumas atualizações no final de 2014. Esta edição traz dezenas de imagens, mapas e tabelas que o deixam ainda mais dinâmico.

BEAUBOURG E BILBAO – O poder da imagem na sociedade do espetáculo
Beatriz Regina Dorfman – EDIPUCRS

Beaubourg e Bilbao

Através deste trabalho, consolidaram-se minhas reflexões sobre arquitetura e a vontade de representação deste mundo e da vida. A escolha desse tema foi motivada por antigas paixões por museus de arte e pelo desenho. Seduzida pelas imagens do Beauborg e do Museu de Bilbao, segui o caminho desta pesquisa. Desde muito jovem tive curiosidade e necessidade de apreciar a pintura e investigar a respeito de suas origens, o que me levou a freqüentar incansavelmente os museus de arte, conduzindo-me ao desafio de me expressar por meio do desenho.

HISTÓRIA DA VIDA
Michael J. Benton – Editora L&PM

História da vida

A origem da vida é, sem dúvida, um dos mistérios que mais intrigam o ser humano. Neste livro, o paleontologista britânico Michael J. Benton, professor da Universidade de Bristol, apresenta as principais teorias sobre como teria surgido a vida na Terra, explicando de que maneira os registros fósseis, as datações de carbono e a biologia molecular têm ajudado a vislumbrar algumas respostas. Em linguagem simples e direta, o autor indaga sobre as causas e os desdobramentos de mudanças que marcaram a história evolutiva. Uma leitura instigante, História da vida é uma afirmação poderosa de que nós, humanos, somos não mais que uma parte ínfima da vida no planeta – e ser a única espécie a se assombrar diante do enigma da existência é um privilégio e também uma responsabilidade.

VIRADA FINANCEIRA
Patricia Lages – Editora Vida Melhor

Virada financeira

No momento em que este livro é lançado, um em cada quatro brasileiros está endividado. Talvez seja sua vizinha. Talvez uma amiga. Talvez você. Seja por força de circunstâncias além de seu controle ou por simples falta de planejamento, é possível que você se sinta frustrada por não conseguir colocar as contas em dia. Isso, é claro, gera reflexos no humor, nos relacionamentos, nos sonhos, nas expectativas para o futuro.

Este livro propõe uma mudança de rumo. Uma transformação sólida na forma como você gerencia seu dinheiro com profundas implicações para as outras áreas de sua vida. E tudo isso em seis meses. Isso mesmo, uma guinada de 180 graus em 180 dias!

Autora de Bolsa blindada 1 e 2 — livros que juntos venderam quase 100 mil exemplares e se tornaram referência entre o público feminino —, Patricia Lages propõe 25 desafios semanais que ajudarão você a organizar suas finanças. São dicas valiosíssimas, transmitidas de forma bem-humorada e simples, sem economês ou missões impossíveis. Desafio por desafio, você pode se livrar definitivamente de todas as dívidas e alcançar a tão almejada estabilidade.

O CARRO DO POVO: A BIOGRAFIA DO CARRO MAIS POPULAR DO PLANETA
Bernhard Rieger – Editora LP&M

O carro do povo

Salão do Automóvel de Berlim. Ano: 1938. Adolf Hitler, num lance de propaganda política, apresenta o protótipo de um carro de passeio pequeno e barato, de formato peculiar, do qual todos os bons arianos poderiam desfrutar. Décadas mais tarde, esse mesmo automóvel – o Fusca da Volkswagen – é um dos bens de consumo mais amados do mundo.

Para revelar como um carro encomendado pelo Führer (com o pré-requisito de que sobre seu chassi se pudesse instalar uma metralhadora) e projetado por Ferdinand Porsche se tornou uma excepcional commodity global, o historiador Bernhard Rieger examina cultura e tecnologia, política e economia, desenho industrial e geniais jogadas de marketing. Para além de sua qualidade e custo baixo, o sucesso do Fusca deveu-se à sua perturbadora habilidade de capturar a imaginação de pessoas em variadas nações e culturas. Na Alemanha Ocidental, veio a representar o “milagre econômico” do pós-guerra e ajudou a impulsionar a Europa para a era da motorização em massa. Nos Estados Unidos, foi bem recebido nos subúrbios, e então eleito pela contracultura hippie como antídoto à conformidade. A seguir, popularizou-se no Terceiro Mundo, conquistando o México e a América Latina (triunfando sobretudo no Brasil), onde simbolizou uma robustez necessária para se viver em meio à instabilidade política e econômica.

Utilizando abundantes fontes, O carro do povo apresenta um elenco internacional de personagens – executivos e engenheiros, jornalistas e publicitários, operários da linha de montagem, colecionadores de carros e motoristas em geral – que transformaram o Fusca em um ícone planetário. A história desse sonho de consumo mundialmente famoso lança luz sobre as origens, os desenvolvimentos e as persistentes desigualdades que caracterizaram a globalização no século XX.

HISTÓRIA DA MEDICINA
William Bynum – Editora L&PM

História da Medicina

Entre os vários campos do conhecimento humano que mais avanços registraram nas últimas décadas, a medicina abre o século XXI com níveis quase inimagináveis de sofisticação que não raro lembram filmes de ficção científica. Resgatando a trajetória desta área do saber, William Bynum, professor emérito da University College, de Londres, refaz o caminho da história da prática médica salientando alguns dos seus momentos-chave, como os primeiros procedimentos cirúrgicos, o aparecimento dos hospitais, a introdução da anestesia, do raio X, das vacinas – sem deixar de lado polêmicas e debates éticos. História da medicina causará tanto deslumbramento quanto os mais modernos avanços médicos, que incessantemente redefinem os limites da vida e da morte.

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO APLICADAS AO DIREITO
Fábio Vinícius Primak – Editora Ciência Moderna

Tecnologias da informação aplicadas ao Direito

Nesta obra o leitor encontrará, através de um texto bem-humorado e sem o famoso “informatiquês”, os principais conceitos e princípios da tecnologia que são deliberadamente aplicadas ao Direito. O objetivo é desmistificar a falsa impressão de que somente os “nerds” e amantes da tecnologia é que entendem sobre informática. Além disso, em épocas que a vida real confunde-se com a vida virtual, os crimes virtuais são bastante evidenciados no livro. O leitor encontrará leis devidamente aprovadas como o Marco Civil Regulatório da Internet, Lei Carolina Dieckman, entre outras. Para facilitar e trazer à realidade, foram inseridos vários textos e estudos de casos em que houve o enlace entre a Tecnologia e o Direito. A Deep web e seus conceitos básicos também podem ser encontrados no livro. Ao final da obra, apresenta-se a profissão de Perito Digital.

FINANCIAMENTO DE PARTIDOS POLÍTICOS E CAMPANHAS ELEITORAIS
Elin Falguera, Magnus Ohman e Samuel Jones (organizadores) – FGV Editora

Financiamento de partidos políticos e campanhas eleitorais

A democracia é um sistema em que o governo é controlado pelo povo, e em que as pessoas são consideradas iguais no exercício desse controle. No entanto, a desigualdade no acesso ao financiamento político contribui para formar um campo de atuação política desigual. O rápido crescimento das despesas de campanha em muitos países tem agravado o problema. As enormes quantidades de dinheiro envolvidas em algumas campanhas eleitorais tornam impossível para aqueles que não têm acesso a grandes fundos privados competir no mesmo nível daqueles que são bem financiados.

A INTELIGÊNCIA A SEU ALCANCE
Diógenes Dantas Filho – Editora Ciência Moderna

A Inteligência a seu Alcance

A atividade de Inteligência é milenar. Com o passar dos anos ela vem sendo aperfeiçoada na sua metodologia e no emprego de meios. Falada por muitos, mas pouco entendida, não tem sido judiciosamente aplicada até nos diferentes níveis governamentais. Grandes tragédias, de repercussão internacional, ocorrem por falta de informações e de adoção de medidas preventivas. No mundo globalizado, os conhecimentos são fundamentais para subsidiar decisões precisas e oportunas. Nas atividades diárias também devemos agir com Inteligência para minimizar os riscos decorrentes da violência e da insegurança generalizada que assolam o nosso País. A Inteligência está a seu alcance para enfrentar problemas e situações, inclusive na sua segurança pessoal.

BRASIL: UMA BIOGRAFIA
Lilia Moritz Schwarcz e Heloisa Murgel Starling – Editora Cia. das Letras

Brasil_uma biografia

Aliando texto acessível e agradável, vasta documentação original e rica iconografia, Lilia Moritz Schwarcz e Heloisa Starling propõem uma nova (e pouco convencional) história do Brasil.

Nessa travessia de mais de quinhentos anos, se debruçam não somente sobre a “grande história” mas também sobre o cotidiano, a expressão artística e a cultura, as minorias, os ciclos econômicos e os conflitos sociais (muitas vezes subvertendo as datas e os eventos consagrados pela tradição). No fundo da cena, mantêm ainda diálogo constante com aqueles autores que, antes delas, se lançaram na difícil empreitada de tentar interpretar ou, pelo menos, entender o Brasil.

A história que surge dessas páginas é a de um longo processo de embates e avanços sociais inconclusos, em que a construção falhada da cidadania, a herança contraditória da mestiçagem e a violência aparecem como traços persistentes.

INIMIGOS: UMA HISTÓRIA DO FBI
Tim Weiner – Editora Record

Inimigos

O FBI tem como sua principal missão hoje, e há pelo menos cem anos, o trabalho de espionagem e inteligência secreta contra terroristas.

A pesquisa de Tim Weiner baseia-se em mais de sete mil páginas de documentos recentemente liberados, incluindo uma extraordinária coleção de arquivos de J. Edgar Hoover, e mais de duas mil entrevistas registradas por agentes que serviram durante e após os 48 anos de Hoover como chefe do FBI. Por meio do registro de prisões e detenções ilegais, entradas forçadas, invasões de domicílio, grampos telefônicos e aparelhos de escuta, Weiner aborda brevemente casos famosos da justiça criminal – como a guerra contra os gângsteres durante a Grande Depressão e o sangrento confronto com o culto do Ramo Davidiano – para focar nas operações secretas do FBI.

HISTÓRIA DA AMÉRICA LATINA
Stefan Rinke – Editora EDIPUCRS

HISTÓRIA DA AMÉRICA LATINA

A América Latina foi a “primeira América” no período dos Descobrimentos. Ela foi a base dos Impérios coloniais e ponto de interseção entre grandes levas de indivíduos e mercadorias de quatro continentes. Porém, sua história foi construída não apenas por seus “descobridores” europeus, mas também por suas populações nativas. Ela transformou-se numa terra da libertação do colonialismo e, ao mesmo tempo, num continente de ditadores. No período da nova globalização, a América Latina continua ainda sendo um ponto crucial e um laboratório de experiências, cuja dimensão transcende as suas fronteiras.

EU COMPRO, SIM!
Pedro de Camargo – Editora Novas Idéias

Eu compro, sim!

Entenda o comportamento do consumidor e aprenda a comprar com consciência!

Este é um livro divertido. O tipo de livro que a gente tem que ler nem que seja só para continuar uma conversa quando aqueles terríveis momentos de silêncio se instalam entre os interlocutores. Mas, além disso, este é um livro sério, muito sério. (Antes de começar a lê-lo, vale a pena dar uma olhada nas referências bibliográficas).

A proposta sensacional de Pedro de Camargo é demonstrar, da forma mais simples possível, como nosso comportamento de consumo está diretamente ligado aos neurotransmissores responsáveis pelas sensações de prazer. Parece complicado, mas sob a escrita de Camargo você vai compreender perfeitamente alguns de seus comportamentos pouco ortodoxos, embora comuns, como assaltar a geladeira em noites mais frias, ou comprar aquele monte de bobagens que nunca, em toda a sua vida, pretendeu usar…

E, como cortesia, com as dicas no fim de cada capítulo é possível aprender a combater seus próprios neurotransmissores endoidecidos — e consumistas — e conquistar o orçamento saudável com que sempre sonhou.

MEUS FILÓSOFOS
Edgar Morin – Editora Sulina

Meus filósofos

Este livro não é mais um dos inumeráveis manuais de ideias filosóficas escolhidas. O conjunto escolhido sugere uma atitude intelectual importante no que diz respeito à construção do conhecimento, porque expõe a dialógica dependência-autonomia do sujeito e nos convoca a empreender uma arqueologia das raízes de nossos argumentos, ideias, convicções, incertezas.

Como afirma o autor em seu texto introdutório, Meus filósofos é a expressão de uma dívida com pensadores que nutriram a unidade e a diversidade de suas interrogações. Seus filósofos não se limitam aos nomes consagrados de uma área de conhecimento. São todos aqueles nos quais reconhece as sementes que fecundaram as noções, argumentos e princípios de um pensamento complexo e transdisciplinar. Por isso, ao lado de Pascal, Descartes, Montaigne, Hegel, Spinoza, Freud, Heidegger, Marx, Husserl, estão Beethoven, Buda, Proust, Dostoiévski, dentre outros.

Meus filósofos chega ao Brasil por meio de uma tradução cuidadosa, própria de quem conhece a obra de Edgar Morin. Isso garante também a fidelidade ao fluxo narrativo de um autor tão instigante, tão pleno, tão sem censura.

O REPÓRTER ESSO
Luciano Klöckner – Editora EDIPUCRS/AGE Editora

O REPÓRTER ESSO

Resultado de 10 anos de pesquisa, o livro apresenta uma analise crítica das notícias, além dos depoimentos de historiadores, radialistas e jornalistas, mostrando que o noticioso não ficou livre de interesses políticos, sociais e econômicos que compuseram o cenário global dos anos 40, 50 e 60.

PARA ENTENDER A COMUNICAÇÃO
Ciro Marcondes Filho – Editora Paulus

Para entender a comunicação

Pesquisar comunicação é estudar o processo e a constituição da relação que se cria entre as pessoas. Para entender a comunicação tem o intuito de propor uma nova teoria, necessária e urgente, diante da velocidade da inovação tecnológica, da obsolescência das teorias correntes, da confusão entre as áreas temáticas e as pertinências que se estabeleceram nos últimos anos. Este volume traz, de forma simples e direta, algumas inovações em relação ao conceito de comunicação e suas novas formas de pesquisa.

AS CIÊNCIAS DAS RELIGIÕES
Carlo Prandi e Giovanni Filoramo – Editora Paulus

AS CIÊNCIAS DAS RELIGIÕES

Nunca como hoje a religião foi objeto de tantos estudos por parte das mais variadas disciplinas. Pensa-se na multiplicação das histórias religiosas particulares, que tendem a especializar-se numa atitude, muitas vezes, negativa e desgastante. Este livro ajuda a pessoa a descobrir o valor de viver o momento presente, desfrutando-o por inteiro.

NÃO HÁ ATALHOS PARA CHEGAR AO TOPO
Ed Viesturs e David Roberts – Editora Gaia

Não há atalhos para chegar ao topo

Não há atalhos para chegar ao topo é um relato inédito e completo de um dos grandes nomes de nosso tempo: Ed Viesturs, o primeiro norte-americano a escalar todas as catorze montanhas com mais de 8.000 metros do mundo. Nesta obra, o alpinista descreve com detalhes os erros fatais cometidos por seus amigos escaladores, bem como os riscos que correu e dos quais escapou por um triz. A obra – que conta com um pós-escrito do autor, fotos pessoais e um rico glossário – é o retrato de um corajoso e devotado pai de família e as crenças que o levaram a essa busca perigosa e admirável.

Viesturs narra de maneira surpreendente as aventuras e riscos que ele e seus colegas passaram rumo ao topo de renomadas montanhas como o K2 e o Everest. Embora guiado pela filosofia de que “chegar ao cume é opcional, descer é obrigatório”, Ed expõe também os tristes e emocionantes momentos em que amigos se despedem da vida durante o trajeto.

“Então, por volta de duas da tarde, Veikka e eu pisamos no cume! Nós nos abraçamos com força. Eu não conseguia falar, estava engasgado. Mas não sentia a onda de emoção que esperava. Eu pensei que explodiria em lágrimas, mas não explodi. Veikka e eu nos sentamos lá por um longo momento, enquanto eu tentava compreender que meu sonho de dezoito anos havia finalmente se tornado realidade. Eu gostaria de poder ficar lá por horas…”

O SAMBA-ENREDO VISITA A HISTÓRIA DO BRASIL
Rubim Santos Leão de Aquino e Luiz Sérgio Dias – Editora Ciência Moderna

O samba-enredo visita a história do Brasil

Dizem que no Brasil tudo acaba em samba ou em pizza. No caso deste livro O samba-enredo visita a história do Brasil, tudo acaba no enredo da História. Ou melhor, tudo tem sua história, até o samba-enredo, como bem atestam esses historiadores amantes do ritmo Aquino e Luiz Sérgio. O próprio Carnaval tem História que começa com o Zé Pereira e chega aos nossos dias, passando pelos Tenentes do Diabo, Fenianos e Democráticos, pela Vizinha Faladeira e pelo Ameno Rezedá, pelos Arrepiados que adotaram o verde e rosa e chegando até aquelas agremiações que hoje, desfilando no Sambódromo, formam o “maior espetáculo da terra” a “ouvir todo o povo aplaudir e minha ala (e a multidão) comigo cantar.”. E nessa História se incluem os sambas-enredos, suas motivações, o contexto em que foram produzidos, as informações que os compositores foram buscar para escrever suas letras. Ler esta análise sobre o samba-enredo e entender como eles refletiram e refletem, não apenas os fatos passados no processo histórico brasileiro, mas os anseios, vicissitudes e alegrias de nosso povo é quase que uma obrigação para aqueles que não são “ruins da cabeça ou doentes do pé.”. Lendo-o poderá compreender como nós, cidadãos brasileiros, estamos refletidos nessas letras cantadas na Avenida, muitas delas consagradas como clássicos de nosso cancioneiro.

ALEMÃES NA GUERRA DOS FARRAPOS
Hilda Agnes Hübner Flores – Editora EDIPUCRS

ALEMÃES NA GUERRA DOS FARRAPOS

A Guerra dos Farrapos carreou cerca de três mil imigrantes alemães ao longo do decênio de luta. Dentre eles distinguem-se dois grupos – os mercenários, com idéias liberais e treino de armas, ocupando cargos de comando; e os colonos, que na Europa sobreviveram em terras fracionadas praticando um artesanato complementar. No Rio Grande do Sul, como proprietários pela primeira vez, agilizaram suas profissões artesanais reforçando a agricultura, ambas bem sucedidas no minifúndio familiar, de mão-de-obra livre, caindo, pois, na mira do recrutamento de farroupilhas e legalistas.

IMAGINÁRIO EM REDE
Carlos Gerbase – Editora Sulina

Imaginário em rede

O imaginário não é apenas um novo conceito, é um modo diferente de olhar para o mundo da Comunicação. Conectar os imaginários e colocá-los em rede é uma tarefa que exige diálogo permanente com outras áreas do conhecimento humano. Nos ensaios deste livro, fica evidente que há um esforço coletivo na busca desses cruzamentos conceituais, mesmo que os próprios autores ainda não tenham percebido sua nova condição epistemológica. Estamos imersos num mundo complexo, que nos causa perplexidade e nos empurra para um fazer científico novo, mais ousado, com menos amarras metodológicas, com mais emoção, com mais riscos. As regras mudaram, e os jogadores precisam se adaptar. Sempre haverá espaço, é claro, para que os especialistas continuem aprofundando seus temas favoritos, mas o diálogo com os colegas “diferentes” é a melhor maneira de garantir relevância social às universidades e às pesquisas acadêmicas. Este livro aponta para várias direções, mas sempre com um olhar aberto e sem os preconceitos antigos quanto às fronteiras das áreas de pesquisa. Cabe a cada leitor descobrir o que há de novo neste novo mundo comunicacional.

LEITURA, ESCRITA E ENSINO
Victoria Wilson e Jacqueline de Fatima dos Santos Morais (Organização) – Editora Summus Editorial

LEITURA, ESCRITA E ENSINO

Hoje, é consenso que o acesso ao livro é fundamental para garantir a incorporação de práticas de leitura ao cotidiano. Destinada a estudantes de pedagogia e a educadores, esta obra aborda a democratização da cultura, o ensino de literatura e a alfabetização freireana – passando por temas como contação de histórias, livros infantis, EJA, ensino de língua estrangeira e redações de vestibular.

O FUTURO DAS CIDADES
José F. G. Mendes – Editora Interciência

O FUTURO DAS CIDADES

Embora seja comum a ideia de que as cidades se tornaram congestionadas, poluídas, inseguras e desiguais, o fluxo contínuo de pessoas que trocam as áreas rurais por áreas urbanas, em busca de melhores oportunidades, demonstra que a vida nas urbes é uma proposta de valor sem concorrência.

Este ensaio pretende endereçar a temática da adaptação das cidades a um mundo em profunda transformação. Não é um tratado urbanístico e não é um exercício de desenho futurista. Dedica-se, simplesmente, à tarefa de propor um conceito de futuro para as cidades do presente.

Partindo da análise de sete megatendências globais, José F. G. Mendes sintetiza um elenco de desafios que se colocam às cidades e, a partir daí, propõe um conceito inovador: a Cidade Incubadora. Esta formulação assenta em cinco dimensões do sucesso: a cidade intelectual, a cidade inovadora, a cidade conectada, a cidade sustentável e a cidade autêntica, coroadas pelo tridente visão-liderança-marca.

A obra ambiciona chegar àqueles que vivem a cidade, que a pensam, que a planeiam e que a gerem. Mas encontrará certamente um eco redobrado nos que a olham para além do tangível, como um espaço vibrante e aberto de criação de valor e de realização pessoal.

HABITAÇÃO AUTOSSUFICIENTE – Interligação e integração de sistemas alternativos
Antônio Domingos Dias Ferreira – Editora Interciência

HABITAÇÃO AUTOSSUFICIENTE

Questões referentes à sustentabilidade do planeta, como o desperdício de água e de energia elétrica estão entre os maiores exemplos de fatores causadores dos impactos ambientais observados na atualidade e vem merecendo crescente atenção em todo o mundo.

Na indústria da construção civil, o estudo e o desenvolvimento de tecnologias e técnicas construtivas que minimizem esses impactos, assumem grande importância para se chegar a uma cidade mais sustentável. Por isso, torna-se extremamente importante traçar diretrizes básicas para a construção de uma habitação autossuficiente no que se refere aos aspectos de:

· Captação de água de chuva e subterrânea e seu reuso.
· Coleta e tratamento de esgoto in loco.
· Aproveitamento da energia solar para aquecimento de água e para geração de energia elétrica.

O objetivo deste livro é apresentar as tecnologias já existentes para esta finalidade, integrando os diversos sistemas de maneira inteligente e mostrando sua viabilidade técnica e econômica. O conhecimento acerca desses sistemas pode ajudar na viabilização de habitações ambientalmente corretas, dando assim sua contribuição para um modelo mais sustentável para nossas cidades.

One thought on “Livros: Não Ficção

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *