Livros: Ficção

OS ÚLTIMOS DIAS DA NOITE
Graham Moore – Editora Cia das Letras

No fim do século XIX, um thriller eletrizante sobre gênios, inventores e a disputa pela primazia de levar a luz elétrica para o resto do mundo.

Os últimos dias da noite, segundo romance do jovem talento Graham Moore, é uma trama vigorosa, inspirada em eventos e personagens reais. A história recria de maneira extraordinária a disputa que em fins do século XIX opôs o cientista sérvio Nikola Tesla e o americano Thomas Edison, inventor da lâmpada, dois dos maiores gênios da história. A briga, no entanto, não envolve apenas ciência. Quando George Westinghouse decide ser o primeiro a levar a luz elétrica para o resto dos Estados Unidos – e alcançar a glória e fazer fortuna -, Edison move contra o industrial 320 processos por quebra de patentes e cobra dele indenizações milionárias. Em meio a esse embate, e sem saber absolutamente nada sobre ciência, Paul Cravath, um jovem e inexperiente advogado, é contratado para uma missão inglória: defender Westinghouse nessa causa que todos dão como perdida. Com humor raro e excelente domínio narrativo, Graham Moore mergulha nesse universo em que gênios, cientistas e industriais colocam à prova suas vaidades e ambições, numa corrida alucinante para que, no coração da noite da América, se faça a luz.

NEVE NA MANHÃ DE SÃO PAULO
José Roberto Walker – Editora Cia das Letras

Romance histórico sobre a arrebatadora história de amor entre Oswald de Andrade e a normalista Miss Cyclone em uma garçonnière no centro da moderna São Paulo do início do século XX.

Uma das histórias mais encantadoras – e menos contadas – do modernismo paulista é a da garçonnière mantida por Oswald de Andrade entre 1917 e 1919 no centro de São Paulo. Por ali passaram figuras que anos depois transformariam a cena literária e artística brasileira, tais como, Guilherme de Almeida, Monteiro Lobato, Menotti del Picchia, e o desenhista Ferrignac. Eles mantiveram um diário coletivo batizado de “O perfeito cozinheiro das almas deste mundo”, no qual esse cotidiano boêmio era registrado em pormenores. No pequeno apartamento da Libero Badaró, jovens amigos se reuniam para discutir literatura, política, ouvir música, fazer saraus e, claro, namorar. Foi nesses dias que Oswald encontrou uma estudante de dezessete anos com quem se envolveu de imediato. Diferente em tudo das moças que aqueles rapazes conheciam, Daisy, ou Miss Cyclone, logo se integrou ao grupo como se fosse um deles. Esse amor, no entanto, desafiou Oswald de várias maneiras. A presença marcante de Daisy e o romance trágico ficaram claramente documentados no diário. Cabe a Pedro, amigo de infância de Oswald, e o único do grupo que não alcançou a fama nem se tornou escritor, o papel de narrador do drama do qual foi um dos personagens. A partir de sólida pesquisa documental, José Roberto Walker recria de maneira notável a atmosfera vibrante da cidade de São Paulo no início do século XX. Neve na manhã de São Paulo joga uma nova luz sobre personagens-chave desse período e mostra com brilho como o modernismo paulista – que surgiria com a Semana de 22 – já estava a mil.

ETHAN FROME
Edith Wharton – Editora Penalux

Considerado sua obra-prima (a escritora foi a primeira mulher a vencer o Prêmio Pulitzer de Ficção, em 1921), este livro tem por enredo a vida e tragédia de Ethan Frome, “a figura mais importante de Starkfield”, cidade imaginada pela autora para traçar um amplo painel dos costumes e das tradições de sua época. Neste romance, com um denso e forte teor psicólogo aliado a um lirismo romântico sem firulas, Edith Wharton conta uma história de amor repleta de desolação, expectativas, devaneios e frustrações. Difícil não ser tocado pelas desventuras amorosas das personagens marcantes que a escrita inventiva de Edith Wharton trouxe à Literatura Universal. Em suma, um clássico esquecido que a Penalux trouxe de volta aos leitores brasileiros.

JANTAR SECRETO
Raphael Montes – Editora Cia das Letras

No novo romance da maior revelação da literatura de suspense no Brasil, um grupo de amigos organiza jantares misteriosos.

Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. A partir daí, eles se envolvem em uma espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos e grã-finos excêntricos, e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.

AS MENTIRAS QUE OS HOMENS CONTAM
Luis Fernando Veríssimo – Editora Objetiva

O best-seller As mentiras que os homens contam não julga, apenas constata. Os homens não mentem. E, se mentem, é porque precisam. Para poupar as mulheres — e, também, para se proteger delas.

Quantas vezes você mente por dia? Calma, não precisa responder agora. Também não é sempre que você conta uma mentira, só de vez em quando. Na verdade, quando você mente, é porque precisa. Para proteger o outro — e, de preferência, a outra. Foi assim com a mãe, a namorada, a mulher, a sogra. Tudo pelo bom convívio social, pela harmonia dentro de casa, para uma noite mais agradável com os amigos. Você só mente, no fundo, para poupar as pessoas e, sobretudo, para o bem das mulheres.

Luis Fernando Verissimo, este observador bem-humorado do cotidiano brasileiro, reúne em As mentiras que os homens contam um repertório divertido de histórias assim — tão indispensáveis que, de repente, viram até verdades. Depende de quem ouve. Depende de quem conta.

O OUTRO LADO DO CRIME
Bruno Anselmi Matangrano e Debora Gimenes (organizadores) – Editora Llyr Editorial

Em O outro lado do crime, a atmosfera de mistério das narrativas policiais se mistura com a aura insólita do fantástico, em histórias que vão testar sua coragem e seu poder de dedução. Você está convidado a embarcar nestes microuniversos peculiares e tentar desvendar cada um dos nove crimes apresentados ao lado dos organizadores Bruno Anselmi Matangrano e Debora Gimenes, e dos autores Fernanda Borges, James Andrade, Luis Eduardo Matta, Marcelo Augusto Galvão, Natália Couto Azevedo, O. A. Secatto e Vera Carvalho Assumpção. Você está preparado?

O REVERSO DO DESTINO
Fernanda W. Borges – Editora Drago Editorial

Você acredita em destino? A sedutora Laura se infiltra na tradicional família Lutz, visando cometer um crime. Como babá de Marcelinho, ela percebe que seus patrões escondem segredos chocantes e, então, caça e caçador passam a se confundir. Os policiais Douglas e Renato lidam com as pessoas mais sórdidas e insuspeitas, enquanto elucidam o desaparecimento de Jéssica Lutz, prima de Marcelo, bem como o suicídio da mãe do garoto. Eles se deparam com um surpreendente Serial Killer, além de outros inimigos igualmente perigosos: seus colegas de profissão. Laura é obrigada a encarar as consequências de seus atos e descobre que tem o poder de reaver sua vida de quem a enganou e traiu.

O DESAPARECIDO
Dror Mishani – Editora Cia das Letras

Quando um adolescente desaparece num pacato subúrbio de Tel Aviv, o detetive Avraham Avraham pensa que tem uma tarefa simples pela frente, como costumam ser os inquéritos na região. Todavia, após uma conversa com o professor do garoto, Avraham se vê embrenhado numa complexa e perigosa investigação, que o fará questionar sua própria ideia de violência. Especialista em literatura policial, Dror Mishani cria neste seu primeiro romance uma memorável aventura — um labirinto de pistas falsas e mentiras que conduzirá Avraham aos cantos mais sombrios da alma humana, e de onde ele não voltará o mesmo.

O EXILADO POLÍTICO VEGETARIANO
Alexandre Kostolias – Editora Jaguatirica

o-exilado-politico-vegetariano

Simplesmente por ser vegetariano, Hernán López foi perseguido e virou preso político na província de Santa Fé, no interior da Argentina. Desapontado com seu país natal, seguiu para os Estados Unidos, buscando o sonho americano da completa liberdade de pensamento e expressão. No entanto, em seu exílio, passou por situações inusitadas e desafiadoras. Conheceu as tradições e costumes do budismo, viveu em uma comunidade hippie, juntou-se com uma socialite multimilionária e ainda tentou uma imersão cultural na Ásia, sendo sempre urgente e imprescindível contar com sua presença de espírito para fugir dos constrangimentos e, por vezes, até da morte certa.

Baseado em fatos reais – e com a prosa leve e divertida que lhe é peculiar – o escritor Alexandre Kostolias atravessa as décadas de 1970 a 1990 incursionando sobre o tema da tolerância, das liberdades, das crenças coletivas e suas contradições e, sobretudo, dos excessos de uma sociedade ocidental que se pretende moderna, intelectualmente superior e politicamente correta.

SURPREENDENTE!
Maurício Gomyde – Editora Intrínseca

SURPREENDENTE!

Pedro Diniz tem um desafio e um problema pela frente. O desafio: filmar um roteiro magnífico capaz de surpreender o público e conquistar o prêmio mais importante do cinema brasileiro. O problema: não ter a menor ideia de como fazer isso. Diagnosticado na adolescência com uma doença degenerativa que o condenaria à cegueira, ele contraria a lógica da medicina quando a perda de sua visão estaciona de forma inexplicável.

A perspectiva idealista de Pedro, porém, sofre sérios abalos. Atormentado por um segredo, ele parte com os amigos em uma longa viagem até Pirenópolis, em Goiás, a bordo de um Opala envenenado. Com câmeras nas mãos e espírito de aventura, a equipe técnica improvisada está disposta a usar toda a sua criatividade na filmagem, feita na estrada ao sabor de encontros inesperados e de sentimentos imprevisíveis. E o jovem cineasta descobre que, quando o destino foge do script, nada supera o apoio de grandes amigos.

ACIMA DOS DEUSES
Alexandre Sarmento – Editora Drago Editorial

acima-dos-deuses

Quando o mago Gënnlarioneth recebe um chamado enviado pelo Clube dos Ordinários, não tem ideia do caminho que ele e seus aliados terão de enfrentar e dos desafios que terão de superar daquele momento em diante. Certamente, um caminho sem volta. Ou seria, na verdade, um retorno às origens? Quando Lorde Glaehdre, líder da Guilda dos Duelistas, se une a velhos companheiros para descobrir os segredos por trás da existência dos míticos Agentes do Destino, ele não tem a mínima noção do que se esconde por trás das trevas que despontam no horizonte. Ou mesmo se, juntos, serão capazes de assumir o manto dos heróis que eles próprios foram um dia. Quando Faladriel, outrora Deusa dos Aventureiros, desperta de um longo e profundo sono, descobre que ainda há muito o que fazer para provar o seu valor para o Mestre de Ohmtar. E, com a desagradável ajuda da Senhora dos Segredos, ela fará o possível para dar um fim à guerra iniciada por um antigo aliado e, hoje, seu maior inimigo. Ainda que só tenha uma chance.

Mergulhe nesta aventura épica e caminhe lado a lado de heróis e vilões, deuses e mortais, nobres e plebeus, desbravando um cenário fantástico que tem como maior ameaça a vontade do seu próprio Criador. Aquele que está acima de nós. Acima dos Mundos. Acima dos Deuses.

PÓ DE LUA NAS NOITES EM CLARO
Clarice Freire – Editora Intrínseca

untitled

Quando a noite fica mais escura e as ruas se calam, a maior parte das pessoas dorme e sonha. Algumas, porém, preferem o silêncio para sonhar acordadas. Clarice Freire, autora do best-seller Pó de lua, faz parte desse grupo. É nessa hora que costuma criar suas poesias e seus desenhos. Em seu segundo livro, Pó de lua nas noites em claro, ela vira a madrugada ao avesso em palavras e imagens, dedicando uma hora a cada capítulo, da meia-noite ao amanhecer. Além dos versos que conquistam o público desde 2013, quando foi criada a página Pó de lua no Facebook, Clarice alterna passagens em prosa e poesia, acompanhando sua personagem durante um longo e mágico passeio pela cidade quase deserta.

Com um humor delicado e muita sensibilidade, a autora desvenda a angústia e a alegria daqueles que preferem a noite ao dia. Sua personagem insone se rende ao desejo de sair da cama e andar pelas ruas em busca de si mesma. Descobre que não está sozinha. Os sentimentos e as lembranças ganham vida, e ela esbarra em personagens como um homem que vaga por viadutos, um vigia noturno e até um misterioso carteiro que lhe entrega correspondências às três da manhã. Com lápis de cor e tinta nanquim, Clarice ilumina a escuridão e continua fiel à missão de Pó de lua: diminuir a gravidade das coisas.

CABEÇAS DE SEGUNDA-FEIRA
Ignácio de Loyola Brandão – Editora Global

Cabeças de Segunda-feira

O absurdo da vida moderna em uma cidade grande encontra em Ignácio de Loyola Brandão um crítico cruel e impiedoso, com um humor agridoce que pode ser, no fundo, simpatia, condescendência ou a suprema forma de sarcasmo. Ou todas reunidas, batidas em liquidificador e bem misturadas. Pode ser. Cabeças de segunda-feira, com as suas situações insólitas, suas frustrações e suas obscenidades, exprime um pouco desses sentimentos, mas também a relação de amor e asco, fascínio e repulsa que o autor mantém com a sua época e a cidade em que vive. O livro divide-se em cinco grandes temas (a criação, o desejo, o amor, o homem, a mente), que podem servir de inspiração para histórias de todo tipo e formato, bem comportadas, quadradas, redondas. Loyola deles extraiu uma mistura ácida de insólito e gozação, um pouco além ou aquém da realidade (a anã pré-fabricada, a irrefreável parideira), e flagrantes do caos urbano, em visão cínica e implacável: o gozo atrás das árvores, obscenidades para uma dona de casa. Mas há também lampejos de simpatia (em realidade simpatia e crueldade, um jogo sadomasoquista com a personagem) pelos sonhadores frustrados, quase sempre inofensivos, como no sarcástico “45 Encontros com Vera Fischer”. Simpatia e sarcasmo se aguçam ainda mais quando trata do sonhador erótico que às mulheres de carne e osso prefere as mulheres irresistíveis das revistas pornográficas (“Anúncios Eróticos”). A fantasia superando a realidade, a fuga da vida, temas tão frequentes na obra do autor.

FÃS DO IMPOSSÍVEL
Kate Scelsa – Editora Intrínseca

fas-do-impossivel

Fãs do impossível conta a história de três amigos, Mira, Sebby e Jeremy, em meio aos complexos conflitos da adolescência. Mesmo sentindo-se despedaçados, sem motivos para serem amados e tentando não sucumbir à solidão, os três lutam pela vida, cada um à sua maneira. Mira está começando em uma escola nova, depois de passar um tempo no hospital. Ela se sente insegura no novo ambiente e acha que não vai conseguir ficar longe de seu melhor amigo, Sebby, um garoto brincalhão que leva a vida com boas doses de mentira e bom humor, até que seu lado mais destrutivo vem à tona. Jeremy está retornando à antiga escola, depois de um tempo afastado por causa de um incidente traumático que arruinou seu ano letivo. Tímido e quieto, ele deseja se aproximar de Mira e Sebby. Juntos, contra todas as expectativas, eles vão viver o impossível.

O GRITO DA ALMA NO ABISMO DA CARNE
Wanderlley Queiroz – Editora Livre Expressão

o-grito-da-alma-no-abismo-da-carne

O Grito da Alma no Abismo da Carne é um conto narrado em linguagem poética com cunho filosófico cujo protagonista, a Alma Humana, realiza uma viagem, pela qual dialoga e reconhece os atributos do Ser, levando o leitor a refletir sobre profundas questões a cerca da existência. É um livro de inspiração existencialista com o estilo do diálogo platônico.

VIDA E MORTE NO PRATA
João Zaleski Neto – Editora UDESC

Vida e morte no Prata

Do gênero ficção histórica, o livro narra a trajetória de diferentes gerações de uma família com participação em episódios históricos em Santa Catarina, no Paraná e no Rio Grande do Sul. A obra mescla dados biográficos e fatos fictícios para contar a história de quatro protagonistas – o marechal Floriano Peixoto e outros três militares, identificados com pseudônimos – tendo como pano de fundo acontecimentos marcantes do Sul do Brasil. Entre eles, estão a Revolução Farroupilha, a Guerra do Paraguai, a Proclamação da República, a Revolução Federalista, a Campanha do Contestado, a Revolução de 1924 e a Campanha da Legalidade. Segundo o professor, a obra retrata “a luta dos homens por ordem e liberdade, mostrando o envolvimento de pessoas comuns com conflitos que marcaram os rumos do país”.

Doutor em Engenharia, João Zaleski Neto é professor colaborador da Udesc Esag, onde leciona disciplinas de Gestão da Produção e Logística. A ideia do livro partiu de suas pesquisas sobre história e genealogia, que considera um hobby: “Esse trabalho me possibilitou um reencontro com minhas raízes, que muito têm em comum com as de outras famílias do Sul do Brasil, que ajudaram a construir a sociedade em que vivemos hoje. Essa foi minha principal recompensa”.

SENTEL YORK III: TERRA SALVA
Diego de Lima – Garcia Edizioni

Sentel York

É chegada a hora do confronto nal. De um lado, Bu e seus éis generais, do outro, Eric e os rebeldes. Tirania contra democracia. Opressão versus liberdade. Neste nal épico a cidade de Sentel York, vê seu destino traçado numa grande luta entre os que querem reconstruir o mundo numa ditadura sangrenta e desumana e os que sonham em instaurar um mundo de seres livres e independentes. Num plano arriscado, Eric desaa o Imperador Bu e seus generais num confronto em campo aberto para decidir, de uma vez por todas, quem governará Sentel York. Enquanto isso, Noah e Cassius vão numa missão suicida até Sub-York que, se der errado, acabará de vez com a rebelião. A missão de Noah. O segredo de Sara. Vencer a guerra. Tudo estava interligado.

O ENTERRO DA CAFETINA
Marcos Rey – Editora Global

O Enterro da Cafetina

O mundo dos personagens de Marcos Rey começa quando o sol se põe e a noite cai sobre a cidade de São Paulo. Então, boêmios, garotas de programa, gigolôs, guerrilheiros urbanos (o livro foi escrito nos dias da ditadura militar), dançarinas de cabarés, taxi girls, alcoólatras começam a sair das tocas, como ratos famintos, em busca de aventuras, de divertimento, de um trouxa, de um trocado, de uma garrafa de álcool, ou do simples e exato exercício de suas profissões. Como diz o autor, “são homens e mulheres que param nos bares, restaurantes, inferninhos, cabarés, boates e em certas casas onde tudo se tolera”, por vocação ou erro de educação, dor de cotovelo ou outra dor qualquer, vagabundagem. A noite paulistana, seus mistérios e misérias, faz a unidade de O enterro da cafetina, atando os sete contos entre si e formando um grande painel. O que contam essas histórias? Coisas terríveis que acontecem na noite, como diz a Bíblia, mas também casos surpreendentes, quase patéticos, insuspeitas generosidades. Noitadas de amigos, regadas a muito álcool, que terminam de forma trágica; o gigolô bem-sucedido, homem de muitas mulheres, apaixonado por uma moça de família, a quem auxilia financeiramente; a morte e o enterro retumbante da velha cafetina; jogos de sedução em que cada um procura lograr o outro; a ação de guerrilheiros mais ou menos trapalhões; um caso de ciúmes neurótico; o redator alcoólatra lutando pela sobrevivência. Com um texto fluente, enxuto e domínio absoluto do conto, Marcos Rey acompanha com naturalidade e sarcasmo, por vezes zombeteiro, as pequenas odisseias de suas criaturas, trituradas pela cidade grande, incapazes de encontrar um sentido para a vida e se lixando para isso, interessadas apenas em viver o imediato. Como autênticas criaturas da noite.

ORGASMOS FATAIS
Fernanda Borges – Editora Drago Editorial

Orgasmos Fatais

Até que ponto as tentações podem mascarar a verdade? Até que ponto o amor pode se transformar em ódio? Até que ponto o prazer se transforma em dor? A bela Mariana Alves é assassinada brutalmente em seu apartamento. Daniela Vidal, igualmente linda e sexy, porém insensível e sarcástica, é apontada ferozmente como autora do crime por familiares da vítima. A razão seria a rivalidade entre ambas, cujo pivô é Rodolfo Mendonça, noivo de Mariana, um homem calculista, influente no meio político e ex-amante de Daniela. Douglas Ferreira é o policial civil encarregado das investigações e apesar de sua experiência em desvendar homicídios, se vê envolvido em uma rede de manipulação, onde o bem e o mal se confundem e as pessoas demonstram que nem sempre são o que aparentam. Policial e suspeita sentem uma mútua e tórrida atração e ele luta para que seus desejos não o impeçam de cumprir o seu dever. Sexo, relacionamentos explosivos e mortes caminham de mãos dadas neste suspense policial, que prende a atenção do leitor do primeiro ao último capítulo.

O OFÍCIO DE MATAR SUICIDAS
José Ewerton Neto – Editora Arte Paubrasil

O OFÍCIO DE MATAR SUICIDAS

Um anúncio de uma ajudazinha para suicidas sem coragem, nas páginas dos jornais não deveria interessar a ninguém, a não ser que o leitor do anúncio seja um suicida em potencial ou, pelo menos, já tenha pensado nisso, não é mesmo? Pois foi essa história, (a aventura de um homem que se oferece para matar suicidas sem coragem) que, nos idos dos anos oitenta em São Luis, ganhou um concurso literário e, a seguir, obteve grande sucesso de vendas em sua cidade origem. Somente a tibieza do nosso mercado de livros fez com que a obra não tivesse tido repercussão nacional. Na ocasião, o mestre do romance-reportagem na crônica policial brasileira, José Louzeiro disse da obra: “Um verdadeiro romance policial. Denso. De suspense. Com a irônica narrativa do matador de ‘suicidas indecisos’ aproveita o autor para mostrar em profundidade, a fragilidade das pessoas, e a sociedade como um organismo contaminado, doente.” Assim, faz com que de tragédia em tragédia, de crime em crime, de mistério em mistério se estabeleça uma atração irresistível pelo destino do personagem central, o que levará o leitor rapidamente à página final do livro no afã de saber mais.

O ANÔNIMO CÉLEBRE
Ignácio de Loyola Brandão – Editora Global

O Anônimo Célebre

Uma das pragas de nossa época, sintoma de uma sociedade em crise que procura preencher o vazio interior com a admiração externa, a busca da celebridade tem feito vítimas e glorificado imbecis. A maior parte deles aparece e some com rapidez. São os quinze minutos de fama, a que se referia o pintor norte-americano Andy Warhol, o que não desestimula, antes parece incentivar milhares de candidatos. A busca da fama a qualquer custo é o tema de O anônimo célebre, de Ignácio de Loyola Brandão. Sarcástico, debochado, impiedoso, esse “reality romance”, como diz o subtítulo, conta uma história de amor, a de Letícia, e várias sub-histórias de anônimos em busca da celebridade.

As formas e as fórmulas para obtê-la se encontram generosamente espalhadas pela obra, constituindo-se em autêntico curso de acesso à celebridade, com a revelação de truques, rituais, dicas, maneira de se comportar em festas, o que beber, o traje adequado para cada circunstância, as grifes do momento, para onde viajar, como se aproximar de promoters, os profissionais que contratam para filmes, novelas, fotos, os lugares quentes para alguém conhecer celebridades e começar a se enturmar.

Atenção: para o autêntico aspirante à fama tudo é válido, desde que sirva a seu objetivo maior. Indispensável esquecer escrúpulos, princípios, ética, o medo ao ridículo. O bom aspirante deve se acostumar a se curvar, trair, ser humilhado, virar lixo, desde que seja para conseguir seus nobres ideais. Se chegar lá, saberá como se vingar nos anônimos que surgirem em seu caminho. Afinal, a própria filosofia do século XXI reconhece que no jogo da vida vale tudo para se chegar à televisão. Mas, cuidado, a celebridade pode trazer em si os próprios elementos de destruição. Como observa Deonísio da Silva, “este é um livro que entristece e diverte”.

HORIZONTE AZUL
Leo Silva – Editora ADOS

Horizonte azul

Não foi fácil escrever a história repleta de episódios e não sentir emoção. E o sofrimento da personagem que determina vencer profissionalmente, nega o amor, mas se apaixona e descobre uma doença que muda todos seus planos. O texto trata o amor e as surpresas do passado. A trajetória do desespero para alcançar a paz parece mais curta quando os personagens abrem o coração para o amor. É notável a necessidade de ter Deus quando tudo parece estar perdido. A dor do corpo e da alma se misturam e se dissipam quando os personagens enveredam pelo caminho da luta contra o tempo, assim a esperança emerge como a âncora que permite as embarcações seguirem seus rumos. O leitor se envolverá no sofrimento da personagem, pois sentirá em cada episódio sinais de que o passado estava intrínseco e que ela estava presa as decisões que tomara em esquecer, mas dificilmente se libertaria de fatos tão fortes em sua vida. A doença foi um sinal que a levou a entender que ela pulara algumas páginas marcantes, e que só no sofrimento entendeu que não valeu trocar tudo e esconder em prateleiras porque mesmo empoeiradas, guardavam sua história. E o destino estava presente cobrando respostas de suas frustrações e negações e os valores que ela escondeu por um motivo importante, mas que terá sido a melhor escolha? Ela se recusou a resolver o que a incomodava, preferiu mudar de lugar, mas sua história continuava presente, pois ela recusava a ter novos amigos para não ter laços, era uma exigência e uma busca para a perfeição egoísta.

SOY LOCO POR TI, AMÉRICA!
Marcos Rey – Editora Global

Soy Loco Por Ti, América!

Autor de mais de quarenta títulos, que alcançaram uma vendagem superior a cinco milhões de exemplares, Marcos Rey (pseudônimo de Edmundo Donato) foi antes de tudo um contador de histórias. Alheio a teorias, coerente consigo mesmo, sabia como raros prender a atenção do leitor e torná-lo parceiro, e cúmplice agradecido, das pequenas e grandes canalhices de seus personagens, como nos sete contos de Soy loco por ti, América!. Neste, como nos seus demais livros, o grande personagem é a cidade de São Paulo, essa “máquina de moer gente” (João Antonio), cenário da luta implacável pela sobrevivência, envolvendo malandros e solitários, notívagos e angustiados, cada um se virando como pode, em busca de um trocado, de um instante de simpatia, de sexo barato. Uma fauna humana meio grotesca, que o escritor trata com ironia, irreverência, humor cáustico, segundo ele “a melhor forma de apresentar uma crítica”. Crítica, a sua, na verdade impiedosa da sociedade moderna, com a sua filosofia de consumismo, o egoísmo implacável, a alienação generalizada, o desespero do mundo noturno, com seus bares e inferninhos, garotas de programa, marginais e desesperados de todos os tipos. A noite é o horário preferido pelos heróis de Marcos Rey para saírem da toca e se revelarem: a fã que surpreende o locutor, madrugada alta; o passeio noturno de um publicitário desempregado; os grã-finos em sua jornada vazia noite adentro, com farto consumo de álcool e lança-perfume. Mas a gente do dia também é fascinante, sobretudo quando se trata de um refinadíssimo vigarista, como o personagem de “A Enguia”, ou de um irremediável apaixonado por política (“O Adhemarista”). Qualquer hora é hora para um personagem de conto sobressair quando quem escreve tem as artes, artimanhas e astúcias de Marcos Rey.

AMOR, SOMENTE AMOR
Marcos Muniz – Editora Drago Editorial

AMOR, SOMENTE AMOR

Que chances um garoto pobre, negro, morador de uma comunidade do Rio de Janeiro, teria com uma bela menina rica, branca, frequentadora da alta-sociedade carioca? Teoricamente, nenhuma! Pior… para Breno, não bastará apenas conquistá-la, terá que lutar contra o preconceito imposto por todos… principalmente, pelo próprio pai dela! Seu Levi é um homem autoritário, extremamente preconceituoso e arrogante, jamais permitirá que sua filha venha a namorar um “favelado”. Mas Breno encontrará em Lucas – um playboyzinho que mora no mesmo condomínio de Sabrina e que frequenta a mesma comunidade de Breno em busca de saciar seu vício –, um forte aliado. Será com sua ajuda e companheirismo que ele tentará romper com todas as barreiras impostas por nossa sociedade e conquistar o coração de Sabrina.

O BEIJO NÃO VEM DA BOCA
Ignácio de Loyola Brandão – Editora Global

O Beijo Não Vem da Boca

Depois de quarenta anos de atividade literária, com uma obra que se caracteriza pelo pessimismo e o sarcasmo, Ignácio de Loyola Brandão publicou um inesperado romance de amor com final feliz. O beijo não vem da boca aborda, em forma de ficção, sem a pretensão de respondê-la, uma das perguntas mais inquietantes formuladas pelo ser humano, desde o momento em que começou a indagar o porquê da vida e do destino: o significado do amor e a sua influência em nossas vidas. Ana, sedutora, fascinando a todos que dela se aproximam. Breno, mergulhado numa crise pessoal angustiante, que envolve a sua identidade, a masculinidade, a sexualidade, os conceitos de vida e comportamento. Num balanço de sua vida sentimental, revê amores passados e traça a própria história da sexualidade brasileira nos últimos quarenta anos. Há saída para a sua situação? O que o amor representa em sua vida? O que deseja das mulheres?

Encontros, conflitos, desencontros, uma história de avanços e recuos, em busca do mais procurado de todos os saberes: o saber amar. Expandindo-se e retraindo- se, como o próprio sentimento de amor, a história se desenrola ao longo de três décadas, em cenários diversos: Brasil, Cuba, Dinamarca, Alemanha. Conflitos de cultura, identidades humanas, divergência de opiniões políticas, posições extremas, refletindo um mundo em crise através da redescoberta do amor.

Como uma espécie de símbolo, digamos político, do destino das nações, há um momento, dos mais intensos do livro, em que brasileiros e alemães se reúnem em Berlim, para uma feijoada, alegres, despreocupados, sem desconfiarem que estão vivendo os últimos anos de um mundo dividido em dois grandes blocos. A presente edição de O beijo não vem da boca foi inteiramente revista e expurgada, tornando-se mais enxuta e atraente. É como um novo beijo.

DOIS EXTREMOS
F. J. P. Jesus – Editora Drago Editorial

DOIS EXTREMOS

Os quatro contos que escrevo neste livro, tratam-se de pura ficção. Poderia até ser verdade, sim, histórias que estão em todos nós. Pelo menos, em uma delas você vai se espelhar, ver se aconteceu com você, ou algum ente de sua família, amigos ou vizinhos. Espero que divirtam-se com esses contos que apresentam diferentes propostas.

NOITE INCLINADA
Ignácio de Loyola Brandão – Editora Global

Noite inclinada

Noite Inclinada, que antes se chamava O Ganhador, talvez seja o romance mais sarcástico de Ignácio de Loyola Brandão. Conta as peripécias de um anti-herói, um músico meio amalucado, figurinha carimbada em todos os festivais de música do país, dos internacionais, reunindo os maiores astros da MPB brasileira, aos realizados em cidades remotas, sem qualquer repercussão, em busca de um prêmio que nunca alcança e de um filho, gerado por uma amiga lésbica cujo sonho era ser mãe. Transcorrendo em sua maior parte nas estradas, o romance revela um Brasil cheio de contradições, patético, cruel, meio absurdo, mas sempre bem-humorado, povoado por personagens a um passo do grotesco: a pastora de uma religião que adora um grande peixe, encontrado dentro do gelo; as prostitutas indignadas em ato de protesto; a hippie dos anos sessenta, transformada em uma tranquila dona de casa; o vingador que odeia banheiros sujos; o homem que mora dentro de uma sereia; a ex-bailarina de corpo escultural, agora com uma imensa gordura e uma perna amputada, sem perder a alegria de viver; a quarentona que se julga princesa, membro de um incrível fã-clube provinciano. O Ganhador não foge à regra. Alucinado, patético, julgando-se por vezes um ser superior, capaz de encontrar a oitava nota musical, oscila entre o idealismo e o conformismo, o delírio e a desilusão. Adora o aplauso, tem voz melodiosa e boa presença. Por que não vence? Por que nunca consegue brilhar? “Porque sou uma mentira. Minha chance passou, não vi quando beirou”, raciocina, quando nada mais podia aspirar. Divertido, irreverente, delirante, retrato alucinante do Brasil das décadas de 70 e 80, Noite Inclinada, título inspirado em um poema do poeta português Helder Macedo, agride o leitor como um soco bem dado. Agride para despertá-lo.

O SINO – Máquina do Tempo Nazista
Rogério Silva – Editora Drago Editorial

O sino

O Sino é uma obra de ficção científica, histórica e realidade alternativa. Um experimento nazista conduzido em 1940, com um dos primeiros HAUNEBU (Discos Voadores), torna possível viajar no tempo. Dois viajantes nazistas são mandados à plena revolução hippie, em Londres, para verem “A Glória Vindoura do 3º Reich”, mas retornam trazendo livros que revelam que a Alemanha perderá a guerra cinco anos depois, em 1945. Então, um plano é elaborado para impedir que vários fatos históricos aconteçam, o que leva a Alemanha à vitória, em 1943. Porém, enquanto o plano é executado, verifica-se que os livros de história começam a se alterar automaticamente e que as pessoas não têm mais lembrança do passado que existia antes das alterações, exceto por um livro e o diário de um Oficial. Rudolf Scherner, que o passa a seu filho Werner, antes de morrer. No presente, o filho do oficial, de posse do diário, foge para o Brasil com sua família, ao ser perseguido por neonazistas que querem, a todo custo, obtê-lo para reconstruir a máquina do tempo e, mais uma vez, alterar a história a seu favor. Caberá a Roger, personagem do livro que encarna várias características do próprio autor, salvar a família Kant e impedir que o diário caia em mãos erradas. Se a história foi mudada, porque não nos lembramos de nada?

PÉROLA – O ANO DO DRAGÃO
Rosana Rios e Georgette Silen – Editora Callis

Pérola - O Ano do Dragão

Pérola – ou Lila, como prefere ser chamada – é uma adolescente que vive em São Paulo. Ela não é nada popular e é perseguida por algumas garotas da escola que se acham ‘Demais’. Para completar, nunca teve um namorado, sequer havia beijado alguém. A história toda começa a mudar quando a mãe de Lila pede para ela comprar algumas coisas na loja chinesa que fica no caminho para a escola. Enquanto aguarda sozinha na loja cheia de coisas velhas, encontra um bracelete de dragão com pedras preciosas, guardado em uma misteriosa caixa. Não resiste e o experimenta, porém, quando tenta tirá-lo do braço, ele não sai de maneira alguma. Depois disso, estranhos incêndios começam a acontecer toda vez que Lila fica brava… Seria ela a culpada? O que Hien, um jovem ladrão que viveu na China no século XIV, tem a ver com tudo isso?

ARTÍFICES DA VONTADE
Igor Feijó – Editora Drago Editorial

ARTÍFICES DA VONTADE

Uma temida data marca a chegada de uma força desconhecida que lança sua presença nefasta sobre o mundo. Essa força é chamada de Sombra. A magia está morrendo e o mundo está desacreditado. Seres de fantasia estão aos poucos sendo esquecidos pelo povo. Órgãos secretos são criados pelos governos para proteção… A única chance parece estar nas mãos dos libertos – pessoas capazes de moldar a realidade – em devolver o espírito à humanidade e no meio disso ainda encontrar forças para lutar contra escuridão impedindo que tudo se torne vazio. Mas e se encontrarmos escuridão dentro de nós? Quantos irão querer enxerga-la a ponto de combatê-la?

Leia mais aqui.

O JARDIM ANIMADO
Maira Moura – Editora Multifoco

O jardim animado

Marcando a estreia de Maira M. Moura na literatura, O jardim animado surpreende exatamente pela maturidade. A voz peculiar que Maira constrói ao longo de seus nove contos aparentemente independentes é uma voz que evoca um universo à la Neil Gaiman e deixa escapar uma ou outra herança de Allan Poe, mas ultrapassa – e muito – essa junção. Na mistura inusitada, a narrativa segue abraçando elementos até então opostos (ou, no mínimo, de combinação inimaginável), indo da mitologia grega a Jorge Ben Jor, de sereias fantasmáticas a alienígenas com máscaras de tragédia grega no lugar do rosto. Em comum, personagens que – tragados pelo absurdo da vida – parecem desistir de questioná-lo e, ao invés disso, nutrem uma espécie de consciência do inevitável. Se a ironia é a possibilidade de dizer duas coisas opostas ao mesmo tempo, é precisamente aí, nesse ponto de encontro entre ambos, que os personagens de Maira se desenvolvem: melancólicos e cômicos, sombrios e inofensivos. Fantasiosos e, ainda, estranhamente verossímeis. Maira, na realidade, não apenas diz duas, mas múltiplas coisas ao mesmo tempo, tornando O jardim animado um labirinto desdobrável e infinito em que o leitor encontra muito além do que pensava estar procurando.

O HERÓI QUE QUERIA TER MEDO
Anderson Câmara – Editora Drago Editorial

O HERÓI QUE QUERIA TER MEDO

Numa terra banhada por mares frios, no alto de uma cadeia de montanhas, um pequeno vilarejo é guardado por uma ordem de guerreiros em gradativa extinção: os Drakuins. Dentre esses, Hendor se destaca por ser o único totalmente incapaz de sentir medo, mesmo cercado por homens poderosos, corajosos e valentes. Seus atos destemidos o põem em perigo constante, de modo que seus companheiros sofrem para salvá-lo da morte durante as ações dos Drakuins. Contudo, um inesperado ataque à vila traz a promessa de destruição por parte de uma antiga criatura de olhos ambiciosos. Os conselheiros da vila, antigos guerreiros cujas cicatrizes contam histórias, decidem então que o jovem herói deve aprender a ter medo antes de aceitar este desafio. E assim Hendor abandona o conforto de sua vila para se empenhar numa jornada em busca daquilo que todos os guerreiros evitam.

Leia mais aqui.

O PROFESSOR E O ESPERTO
Leo Silva – Editora ADOS

O Professor e o Esperto

Funcionário público há mais de 20 anos, Leo Silva tem sua estreia literária com O professor e o esperto. Um professor que representa a educação, ensina a paz, a ética e a moral, tem agora um novo desafio na sua vida: Educar um esperto. Não perca essa divertida estória.

“A partir do momento em que conheci a literatura, através de ótimos professores, pude perceber a importância de ler e escrever. Estou muito feliz em poder compartilhar a minha escrita, desejo que ela sirva de ferramenta à educação, família e escola”, diz o escritor.

O SEGREDO DA CATACUMBA
Tom Egeland – Editora Callis

O Segredo da Catacumba

Abaixo das ruas de Roma, em uma catacumba escura, Robert, um garoto norueguês de 14 anos de idade, está procurando por uma saída em seus corredores cobertos de caveiras e símbolos misteriosos quando percebe algumas pegadas recentes e tem certeza de que não são suas. Neste livro, mitos romanos e as expedições vikings se entrelaçam. Descobertas arqueológicas acarretam consequências fatais e Robert se encontra por diversas vezes em perigo mortal. Perseguido por um grupo de monges fanáticos, Robert volta à Noruega, onde mais segredos e ameaças o esperam.

ABDUÇÃO
B. A. Garrett – Editora Drago Editorial

Abdução_

Ao despertar no leito de um hospital, após semanas desaparecida, Janete não poderia imaginar que sua vida mudaria para sempre. Seus dias de estudante universitária no interior do Rio de Janeiro estavam contados. Agora ela era a futura mãe de um ser metade humano, metade extraterrestre, do qual dependia o destino de toda uma espécie em franco declínio. E para piorar, eles queriam levar a criança para longe dela, muito longe. Será que Janete conseguirá lutar contra as forças alienígenas que invadiram seu presente, fizeram parte de seu passado e querem alterar seu futuro?

ONZE REIS – PRINCIPIA
Tiago P. Zanetic – Editora Callis

Onze Reis - Principia

Renascido das cinzas de uma guerra antiga, o continente de Relltestra vive um longo período de paz. As sombras do passado – os heroicos anjos e os temidos feiticeiros – partiram, levando todo tipo de magia com eles. Mas a Era do Primeiro Aço, em que o único poder existente é a forja de metais, está chegando ao fim e as trevas estão retornando. Os reis que governam Relltestra levantam suas armas com um objetivo claro: trazer de volta o poder daqueles seres esquecidos!

PIJAMA VERMELHO
Sérgio Coelho – Editora CRV

PIJAMA VERMELHO

Durante uma ida ao supermercado, o personagem para em um bar para tomar algumas cervejas. Logo conhece alguns homens e se torna amigo dos mesmos. Após ser convidado a sair com os mesmos e apresentar-lhes a cidade, é levado a participar de vários crimes, que o levam para trás das grades. Dentro da prisão Sérgio conhece pessoas de todos os tipos, entre elas está o Paulo, que o ensina a lei da sobrevivência no inferno e como sair dele. Naquele presídio, teve um encontro inusitado com Deus, Jesus e o Espírito Santo, os quais o instruem sobre as perguntas que fazemos sobre a vida, morte, fé, dor, perdão, amor e salvação. Diante de todas as perguntas que fazemos neste mundo mal e insano, PIJAMA VERMELHO, nos capacita a refletir sobre o porque de passarmos por situações tão intensas e difíceis para resolvermos e não vemos a ação de DEUS ao nosso favor. As experiências e respostas alcançadas por Sérgio são as mesmas que buscamos e assim como foram decisivas para uma transformação de vida para ele e sua família, poderá também te impactar ao ponto de transformar a sua e os seus. Ao compartilhares este livro com todos os que amares, estarás dividindo mais que apenas uma leitura, estarás dando descanso as mentes.

ESTAÇÃO JUGULAR – Uma estrada para Van Gogh
Allan Pitz – Editora Dracaena

Estação Jugular - Uma estrada para Van Gogh

No romance filosófico Estação Jugular, de Allan Pitz, um viajante perdido e desmemoriado entra em um ônibus vazio fugindo do sol inclemente que abandonou o céu e, como um foco teatral em movimento, tenta queimá-lo. A partir daí, Franz, o passageiro, segue confuso ao lado do motorista para encarar a psicodélica jornada final de sua existência. Assim como um Van Gogh, Estação Jugular é desconfortável, perturba o normal, desafia o óbvio, faz as pessoas caminharem a esmo, tentar ver o mundo pelo lado inverso do binóculo.

A ENTREGA
Dennis Lehane – Editora Cia. das Letras

A entrega

Bob é um bartender solitário e desiludido, que tenta encontrar razões para continuar vivo. Três dias depois do Natal, seu marasmo é interrompido por um latido abafado. Esse filhote de cachorro mudará para sempre a sua vida. Nessa mesma noite, ele conhece Nadia, uma garota sofrida que, como ele, busca algo em que acreditar. Unidos pelo desejo de resgatar o cachorro, Bob e Nadia estreitam seus laços. Quando as coisas parecem ter tomado rumo, eles se encontrarão em um jogo sujo, que envolve a máfia chechena, um assassino, dois trambiqueiros profissionais, um policial e o próprio dono do cachorro. Em A entrega, Dennis Lehane volta às ruas de Boston num explosivo enredo de morte e traição.

DEAD FALL – A CAÇADA
Anna Carey – V&R Editoras

Dead Fall

Há uma semana a garota acordou sobre os trilhos de Los Angeles sem se lembrar quem ela é. E descobriu que faz parte de um jogo. Mas a única coisa de que tem certeza é que estão tentando matá-la. Depois de ter sido traída por seu único amigo, ela foge para Nova York com um garoto que diz conhecê-la. Mas será que pode confiar nele? O que adianta encontrar os outros? Quem são essas pessoas? À medida que a perseguição esquenta, ela vai aos poucos recuperando a memória. Porém, seu passado não pode salvá-la, e um só movimento errado pode acabar com este jogo.

BLACK BIRD – A FUGA
Anna Carey – V&R Editoras

Blackbird - A Fuga

Uma garota acorda nos trilhos do metrô de Los Angeles sem lembrar quem é. Há uma mochila a seus pés contendo uma troca de roupas, mil dólares em espécie, um número de telefone e a instrução “Não ligue para a polícia” Perguntas rodopiam em sua cabeça: Quem é ela? Como chegou ali? O que ela fez? O que significa a tatuagem de um pássaro e o código FNV02198 em seu pulso? Ela mal tem tempo para descobrir sua identidade, e logo percebe que está sendo caçada. Precisa fugir desesperadamente. Não sabe quem são eles, não sabe em quem confiar. Só há uma coisa que sabe com certeza: estão tentando matá-la.

O DIÁRIO DOS TRINTA ANOS
Joyce Xavier – Editora Penalux

O diário dos trinta anos

O Diário dos trinta anos é uma comédia sobre Malu, uma mulher que ganha um diário no seu aniversário. Sempre louca com uma pitada de dramática, Malu vem para fazer você rir!

Maria Luisa Fernandes, Malu, Maluí ou Maluca, formada em Ciências Contábeis e Psicologia, trabalha com a sua amiga de faculdade, Diana em seu próprio escritório contábil. Com a vida economicamente bem, porém depressivamente louca, Malu ganha de presente no dia seu aniversário de trinta anos, um diário – que o nomeia de Ginger – da debochada Carol Portinari, atual do seu ex, Marcelo. Protagonista de inúmeros relacionamentos fracassados pela traição, ela sofreu uma depressão quando terminou com Rafael, um relacionamento intenso e forte e preferiu jogar fora todos os seus remédios e não ir mais para a terapia. Rendeu-se a embriaguez. Com as suas noites de bebedeiras ao lado de seu amigo Brit, ela sempre é salva por Dona Dalva em seu escritório. Os dias de ressaca são normais nos dias de solidão ela ouve Spice Girls. Sempre com um jeito de menina e apaixonada por sexo, Malu não quer crescer – “É um paraíso ser criança. É um inferno ser adulto.” – A mesma diz em um de seus dias melancólicos. Procura homens em redes sociais e aventura-se com Fernando, o motoboy da sua empresa e PH, o pipoqueiro do bairro, ambos relacionamentos de carência e tesão. Nos dias de TPM, ela sempre se desgasta com a sua amiga Antunieta e no seu pior dia de porre reencontra seus amigos de longa data: Amanda, Rodrigo, Thiago e Arthur. Além de ir para uma rave e descrever todas as páginas deste diário com inúmeros palavrões. Sua essência é desbocada. Neste diário, você encontrará uma mulher que faz piada da sua própria desgraçada. Você soltará gargalhadas com o jeito espontâneo e libertador de Malu, você perceberá o quanto pode perder tempo sofrendo por alguém, se ao seu redor pode ter alguém que realmente te ame.

BOURBON STREET – Os Fantasmas de Cornelius
Philippe Charlot – Editora 8INVERSO

Bourbon Street – Os Fantasmas de Cornelius

A lendária Bourbon Street, em Nova Orleans, hoje tem seu espaço dividido entre as chamadas “casas de entretenimento masculino” e os clubes musicais. Alvin é um veterano guitarrista que ainda sonha em fazer sucesso com o som do velho jazz. Ele convoca os amigos Darell e Oscar para cuidar da sessão rítmica, mas ainda falta o som de um trompete para que a mágica seja feita. Para tanto ele quer achar Cornelius, que sumiu há 50 anos. Quem fornece as pistas para o enigma é nada menos do que Louis Armstrong, cujo fantasma ainda paira sobre Nova Orleans. O traço realista de Chabert e o roteiro doce/amargo de Charlot retratam todo o charme e contradições da cidade.

LAVÍNIA E A MAGIA PROIBIDA
Lucinei M. Campos – Autor independente

Lavínia e a magia proibida

Imagine se você tivesse uma fada a seu dispor para realizar seus desejos e desbravar aventuras utilizando a magia? E, com isso, conhecesse muitas outras criaturas mágicas como goblins, curupiras, ninfas, titãs, minotauros, centauros e bruxos? Foi o que aconteceu com Lavínia, uma menina de agora dez, quase onze anos, um pouquinho diferente das meninas de sua idade. Mas se como Lavínia você descobrisse não ser alguém que teve a simples sorte de ganhar esse presente, e sim ser o pivô de grandes acontecimentos antigos e futuros?

Em Lavínia e a Magia Proibida, a menina se verá em uma maravilhosa e ao mesmo tempo perigosa aventura, na qual um bruxo misterioso chega à cidade, à sua procura. Ela vai conhecer a Rua Transversa, um local escondido, onde criaturas mágicas se encontram em meio ao nosso mundo. Além de tomar um delicioso suco no RAB’S e descobrir que seres malignos desejam capturá-la para fins sombrios, cercada de uma magia forte e proibida. Isso desde que souberam do seu nome na Árvore dos Tempos. Lavínia e seus amigos terão de lutar para que nada de mal aconteça a ela e nem aos que estão ao seu redor.

LAVÍNIA E A ÁRVORE DOS TEMPOS
Lucinei M. Campos – Autor independente

Lavínia e a árvore dos tempos

Imagine se você ganhasse de presente uma fada, para passar um ano humano inteirinho com você? Esse foi o presente de Lavínia, uma menina de 9nove, quase dez anos de idade, um pouquinho diferente das meninas de sua idade. Mas, e se essa fada também fosse um pouco diferente das fadas tradicionais, essas que a gente vê nos contos? Pois é, Lorivaldo é assim: uma fada homem, bem rabugenta, que detesta seres humanos e carrega como instrumento uma peixeira, ao invés de uma varinha.

E se você descobrisse que existem outros seres que nunca havia visto antes? Goblins, faunos, boitatás, ninfas, curupiras, dentre outros, irão integrar essa aventura, aonde Lavínia se descobrirá em um mundo misterioso e mágico, que mudará a sua solitária vida. Dos galhos de uma imponente árvore, a Árvore dos Tempos, que dá pergaminhos no lugar de frutos, traços de que coisas misteriosas e em comuns há entre Lavínia e Lorivaldo e o mundo aos quais pertencem…

MENTIRAS QUE CONFORTAM
Randy Susan Meyers – Editora Novo Conceito

Mentiras que confortam

Cinco anos atrás… Tia apaixonou-se obsessivamente por um homem por quem nunca deveria ter se apaixonado. Quando engravidou, Nathan desapareceu, e ela entregou seu bebê para a adoção. Caroline adotou um bebê para agradar o marido. Agora ela questiona se está preparada para o papel de esposa e mãe. Juliette considerava sua vida perfeita: tinha um casamento sólido, dois lindos filhos e um negócio próspero. E então ela descobre o caso de Nathan. Ele prometeu que nunca a trairia novamente, e ela confiou nele.

Hoje… Tia ainda não superou o fim do seu caso com Nathan. Todos os anos ela recebe fotos de sua garotinha, e desta vez, em um impulso, decide enviar algumas delas para a casa do ex-amante. É Juliette quem abre o envelope. Ela nunca soube da existência da criança, e agora precisa desesperadamente descobrir quantas outras mentiras sustentaram o seu casamento até hoje.

BOURBON STREET 2 – Turnê de Despedida
Philippe Charlot – Editora 8INVERSO

Bourbon Street 2 – Turnê de Despedida

Após encontrarem Cornelius, Louis Armstrong acompanha as dificuldades enfrentadas pela Bourbon Street – agora em turnê por bares e casas noturnas decadentes, com uma fraca recepção do público. Em tom nostálgico e traço realista, o enredo aprofunda-se nos personagens e nas suas relações, delineadas pelo fracasso do sonho e pelo amor a música. Um enredo permeado pela truculência dos empresários, a falta de tato dos donos das casas noturnas, o preconceito racial, além claro, de seus dramas pessoais e amor pelo jazz.

MEMÓRIA FALSA
Dan Krokos – V&R Editoras

Memória falsa

Miranda acorda sozinha em um banco de praça, sem memória. Em pânico, percebe que sua presença é capaz de provocar terror nas pessoas ao redor, gerando o caos. Ela afeta a todos, exceto um garoto chamado Peter, que parece não se assustar. Sem escolha a não ser confiar nesse estranho, Miranda descobre que é parte de um grupo de adolescentes geneticamente modificados com habilidades de combate quase perfeitas. Ela foi treinada para ser uma implacável arma de destruição em massa. Mas o acerto de contas com sua vida anterior não será fácil – sobretudo com Noah, seu namorado, por quem Miranda não lembra estar apaixonada. Em meio ao turbilhão, Miranda descobre uma verdade assombrosa que pode salvar sua equipe. E quando o futuro está em risco, seu passado parece não mais importar.

SIMPLESMENTE ACONTECE
Cecelia Ahern – Editora Novo Conceito

Simplesmente acontece

Todo mundo acha que Rosie e Alex nasceram para ser um casal. Todo mundo menos eles mesmos. Grandes amigos desde criança, eles se separaram na adolescência, quando Alex se mudou com sua família para os Estados Unidos. Os dois não conseguiram mais se encontrar, mas, através dos anos, a amizade foi mantida através de emails, mensagens de texto, cartas, cartões-postais… Mesmo sofrendo com a distância, os dois aprenderam a viver um sem o outro. Só que o destino gosta de se divertir, e já mostrou que a história deles não termina assim, de maneira tão simples.

11 CONTOS E 1 FÁBULA
Bruna Karyne – Editora Livre Expressão

11 contos e 1 fábula

“11 Contos e 1 Fábula” – Uma miscelânea de narrativas psicológicas e atuais é a base de um livro que combina reflexões e dinamismo em um universo diatópico e juvenil. As frustrações e os sofrimentos da vida nos são mostrados em toda a sua realidade a partir de 11 histórias de anti-heróis corajosos que revogam, com bravura, o direito à felicidade e enfrentam de cabeça erguida as desventuras de um destino caprichoso e cruel. Da maternidade à infância, o amor à vida é exposto sob diferentes perspectivas: a força de um sonho, a persistência de uma amizade capaz de superar a distância ou o horror de uma inveja mortal. As decepções que tanto nos ultrajam ao longo da vida se materializam como uma verdade realmente perturbadora em uma coleção de histórias que criticam tanto a nossa indiferença em relação aos problemas do cotidiano, tão erroneamente considerados corriqueiros, quanto o nosso derrotismo e submissão frente à imponência de um futuro irremediavelmente imprevisível.

A ARTE DA INVISIBILIDADE
Allan Pitz – Editora Dracaena

A arte da invisibilidade

A arte da invisibilidade visa condicionar o homem moderno ao intelectualismo de avanço real e lógico, natural, em acordo com sua época. E, ousadia das ousadias, visa trazer de volta o homem pensador, que vagaria pelas prisões hipnóticas sem se deter a nenhuma delas. Apenas isso.

PROMETO FALHAR
Pedro Chagas Freitas – Editora Novo Conceito

Prometo Falhar

Prometo falhar é um livro que fala de amor. O amor dos amantes, o amor dos amigos, o amor da mãe pelo filho, do filho pela mãe, pelo pai, o amor que abala, que toca, que arrebata, que emociona, que descobre e encobre, que fere e cura, que prende e liberta. Em crônicas desconcertantes, Pedro convida o leitor a revisitar suas próprias impressões sobre os relacionamentos humanos. A linguagem fluida, livre, sem amarras, faz querer ler tudo de uma vez e depois ligar para o autor para terminar a conversa. Medo, frustração, inveja, ciúme e todos os sentimentos que nos ensinaram a sufocar são expostos sem pudores. Mergulhe de cabeça numa obra que mostra que é possível sair ileso de tudo, menos do amor. Você escolhe a ordem em que vai ler as crônicas do jovem escritor que tem 21 obras publicadas e é sucesso de vendas em Portugal.

A MÁQUINA DE CONTAR HISTÓRIAS
Maurício Gomyde – Editora Novas Páginas

A máquina de contar histórias

Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias, o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das filhas, sem amigos… O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar. Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V. Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.

PARA CONTINUAR
Felipe Colbert – Editora Novo Conceito

Para continuar

Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer a sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa do seu coração defeituoso. Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade. A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento. O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*