Principal » Artigos de Tiago da Silva Ribeiro
Tiago da Silva Ribeiro

A gente faz a história e aprende com ela

Continuo com raiva da forma como fui tratado pela polícia. Mas muito preocupado com o que vai acontecer em protestos travestidos de democráticos. A polícia está, sim, perdida. Mas os bandidos não podem ficar impunes. A escolha democrática tem de ser respeitada. A maioria escolheu, então não podemos desrespeitá-la. Cobremos, mas não caiamos na armadilha daqueles que querem a desordem, a barbárie, o caos, para, de repente, surgirem como salvadores da pátria. Querem acabar com a democracia. Como tirar um prefeito que acaba de ser reeleito em primeiro turno? Não suporto o Paes, mas ele foi escolhido democraticamente. Agora vamos ignorar a escolha do povo? Rasgar as regras do jogo? Reclamemos, mas mudemos nas próximas eleições, de forma democrática.
Tiago da Silva Ribeiro

Granada

Granada com pino. Jogada sem pino. Jogada nos pinos. Pinos de boliche. Cheios de bolacha. Bolacha nos pinos. Boliche sem bola. Organizados em rede. Imprensados na rua. Boliche com granada. Granada nos pinos. Strike, spare, espere. Grana, nada. Grana dá. Granada. Nada.
Tiago da Silva Ribeiro

Onde há fumaça…

Todos os caminhos nos levam a Roma! Depois de quase seiscentos anos (o último Papa a renunciar foi Gregório XII, em 1415), o maior líder da Igreja Católica pediu pra sair. Mas qual seria o real motivo dessa inesperada decisão? Será que alguém em Roma seria capaz de nos confessar? Quem diria que eles (com “e” minúsculo) seriam alvo de uma moderna inquisição. Seja por doença, cansaço ou divergência de opiniões com outros membros sacerdotais, o conservador Joseph Ratzinger, ao romper com o Vaticano, acabou por se mostrar inovador. Inovação essa que talvez seja necessária para que a Igreja volte a arrebanhar os milhares de fiéis que, assim como Bento XVI, mudaram de caminho nos últimos anos.
Tiago da Silva Ribeiro

Minhas férias

Minhas férias. Nessas férias, vi muitas coisas estranhas acontecendo. Parece até que o mundo vai acabar mesmo... Só porque eu tava ouvindo uma música que minha não gostou, que eu tinha baixado na internet, ela me colocou de castigo, dizendo que eu não podia falar aqueles palavrões, que aquilo não era música. Nem pude soltar pipa. Ah, mas eu não entendo, na novela que ela vê, tem uma porção de gente armando, querendo matar a outra só porque não gosta dela. Será que a música que eu ouvi é que traz violência? Ela também me proibiu de usar a internet, dizendo que eu estou dando sopa pro azar, porque lá tem pessoas ruins, e que só tem porcaria. Mas, poxa, depois que acaba a novela, ela me manda ficar quieto, porque ela quer ouvir as conversas do pessoal do BBB e como eles vão namorar lá dentro. Ela também gosta de ver um programa de tarde, de fofoca. Lá, estavam falando que tinha um cara mau dentro da casa, que agarrou uma mulher bêbada. Mas ainda bem que os heróis mandaram o vilão embora e só ficaram os bonzinhos, felizes e só fazendo coisas legais.
Tiago da Silva Ribeiro

E agora, se um anjo torto disser que tinha uma pedra no meio do caminho da verdade?

Nesta última semana, a mídia noticiou que, se estivesse vivo, Carlos Drummond de Andrade completaria 109 anos. Junto a esse fato, outras notícias em destaque na mídia deixariam perplexo o poeta, sempre comprometido com a realidade social. Ao saber de mais uma confusão criada por conta das questões do Enem, Drummond, chefe de gabinete do Ministro da Educação Gustavo Capanema entre 1934 e 1945, repetidamente diria que tinha uma pedra no meio do caminho. Mas os governantes, com seus ternos de vidros, suas incoerências, insistem em dizer que apenas havia uma pequena pedra no meio do caminho. O fato é que nossas retinas
Tiago da Silva Ribeiro

Politicamente correto?

Inocêncio Magalhães era um sujeito educado, fino, formado nas melhores escolas no Nordeste brasileiro. Filho de políticos influentes daquela região, seguiu o mesmo caminho dos pais, e, ainda jovem, já frequentava os corredores do Congresso de Brasília. Inocêncio era muito querido em sua região, pois sempre tratava seus correligionários de forma garbosa, cuidadosa. Certa vez, em um bar de uma cidade em que fazia campanha política, um sujeito humilde lhe indagou:
Tiago da Silva Ribeiro

Curiosidades sobre a língua

Em meu último texto, fiz uma crítica aos chamados "professores corretores", que vêm à mídia para mostrar à população a forma "correta" de se expressar. Muitos devem ter pensado: "como pode um professor de língua portuguesa defender uma linguagem cheia de erros como esse tal de internetês? Ele deveria corrigi-los, não apoiá-los." Aproveito, então, este espaço na mídia para solidarizar-me com os nobres colegas, que prestam um serviço indispensável aos falantes do português. Vejamos algumas curiosidades sobre a língua.
Tiago da Silva Ribeiro

Vossa Mercê conceder-me-ia a palavra?

Vemos atualmente na mídia uma enxurrada de artigos que costumam punir o mau uso da língua. "Professores corretores" fazem sucesso tanto na televisão quanto em outros meios de comunicação, corrigindo os chamados "erros comuns", que, segundo eles, ferem a nossa última Flor do Lácio. O problema é que, nesses casos, fala-se sobre o "correto", como se não existissem outras formas de comunicação, igualmente válidas, que variam conforme a situação. Ou seja, querem cobrir "nossas vergonhas" desde o descobrimento.