Principal » Artigos de Sérgio Tasso de Aquino
Sérgio Tasso de Aquino

Sentinelas dos mares

Ser oficial de Marinha é honra e privilégio. Somos herdeiros e guardiões de uma nobre tradição de dedicação e de serviço à pátria, na paz e na guerra, sem desfalecimento e sem medir sacrifícios e quaisquer restrições. Constituímos a longa linha branca da virtude, dos uniformes invictos e imaculados com os quais temos defendido a nação desde a independência e por todos os conflitos internos e guerras externas da nossa História de povo livre e altaneiro, senhor dos seus destinos. Nossa meritória tarefa é garantir os interesses e os objetivos nacionais do Brasil nos mares litorâneos e nos oceanos do mundo, nos rios, lagos e lagoas de nossa imensa extensão territorial. Para isso, temos de estar sempre prontos e adestrados.
Sérgio Tasso de Aquino

Joaquim José da Silva Xavier, será que o Brasil o esqueceu?

Nestes conturbados tempos, em que a servidão à ideologia vermelha domina o Estado e a maioria dos meios de comunicação social no Brasil, cultos e loas elevam-se a anti-heróis e anti-valores, enquanto esquecimento e desdém são concedidos a heróis e à virtude. Transcorre hoje a data comemorativa do sacrifício de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, em prol da independência e da dignidade da pátria. Tudo passa, porém, quase que completamente despercebido. A não ser por notinha de canto de página, quando ocorre, os jornais principais não dão relevância maior à comemoração. Idêntica atitude observa-se nos noticiários da mídia televisiva e falada. As escolas olvidaram-se de homenagear o mártir da liberdade do Brasil, certamente hoje completamente desconhecido das novas gerações, já que não mais dele se fala e do que representa e sempre representou para nós....
Sérgio Tasso de Aquino

A manifestação de 12 de abril em Copacabana

Mais de vinte e cinco mil pessoas, segundo as primeiras estimativas, marcharam vestidas de verde e amarelo e portando o símbolo augusto da pátria, o “auriverde pendão da esperança”. Misturamo-nos ao povo, dele fizemos parte, comungamos dos seus anseios, do seus brados em prol da liberdade, da decência e da extirpação do câncer da maldade, personificado pelos crimes seguidos cometidos pelo PT e suas figuras maiores e seguidores, contra o bem comum e o projeto de felicidade e de futuro acalentado por todos os patriotas. Sentimos o bater uníssono daqueles corações e a determinação firme daquelas mentes, dezenas de milhares, em prol do engajamento no bom combate em defesa do Brasil.
Sérgio Tasso de Aquino

A injusta remuneração dos militares

Os sucessivos governos da República, de 1990 aos dias atuais, pela deliberada vontade dos presidentes, trataram as forças armadas nacionais com desprezo, revanchismo ou ódio, com a possível exceção de Itamar Franco, político mineiro tradicional, que se viu inesperadamente alçado à suprema magistratura, mas que, no cômputo geral, foi o melhor de todos para o Brasil, talvez por suas raízes nacionalistas, fincadas no chão das gloriosas Gerais, não por acaso terra de Tiradentes. Tais mandatários desconsideraram de propósito que os militares são o povo fardado e que têm a honrosa e exclusiva missão de defender a pátria e de assegurar a independência e a soberania num mundo marcado de conflitos e de ambições dos mais fortes sobre o patrimônio nacional dos mais fracos.
Sérgio Tasso de Aquino

A nossa bandeira jamais será vermelha!

Tive oportunidade de ser entrevistado pela rádio CBN no meio do deslocamento, cujo repórter, tomando conhecimento de minha condição de militar, mostrou grande interesse em registrar minha opiniões. Declarei-lhe que o PT é como um câncer maldito, agressivo, que atacou o organismo nacional, em conluio com a parcela mais corrupta e nefasta dos políticos e partidos tidos como “conservadores”, que não passam de sôfregos comparsas no botim contra o Brasil e seu povo, na gigantesca corrupção que nos assalta e parece não ter fim e no tenebroso projeto de transformar o Brasil numa gigantesca Cuba. Precisa, pois, ser extirpado pelos brasileiros de bem!
Sérgio Tasso de Aquino

Brasil, um voluntário mergulho ao inferno!

Ao reeleger Dilma Rousseff presidente do Brasil e conceder mais quatro anos de poder ao PT, a maioria do eleitorado brasileiro talvez tenha privado o país da última oportunidade de, em paz, afirmar o primado da democracia entre nós. Passando por cima das abundantes provas de desvios de dinheiros públicos para fins inconfessáveis e bolsos e bolsas indevidos, tornadas públicas desde o processo do “mensalão” e assustadoramente ampliadas no processo revelado de liquidação da Petrobrás, o patrimônio-símbolo tão caro e duramente construído da nação brasileira; ignorando a péssima qualidade do governo e dos serviços que deveria ter prestado em saúde, educação, saneamento, segurança, infraestrutura de transporte e energia, preservação do meio ambiente e tantas outras atividades da sua responsabilidade, principalmente em face dos escorchantes níveis dos impostos arrecadados
Sérgio Tasso de Aquino

Retirar o PT do poder, tarefa essencial e urgente!

O PT, quando na oposição, gostava de posar como impoluto, fonte de todas as virtudes e julgador crítico de tudo e de todos. Desde que no governo, revelou sua verdadeira face e apresenta-se, na sua atuação deletéria, como um misto de máfia siciliana-napolitana-calabresa com a mais retrógrada manifestação do extremismo esquerdista, apenas sendo necessário entender que utiliza a criminalidade da corrupção institucionalizada e da associação com a narcoguerrilha das FARC e assemelhados, via Foro de São Paulo, como instrumento para realizar a revolução vermelha.
Sérgio Tasso de Aquino

O dever militar dos chefes

Nosso amado Brasil vive, nos tempos correntes, os piores momentos da sua História, com a séria e sempre presente ameaça de modificação da ordem vigente e substituição por outra, de marcante influência esquerdista radical e tendente à privação das liberdades públicas e individuais, à morte da democracia. Tudo corolário de nefasto processo iniciado em 1990 e agravado à medida que os anos se vão passando, sempre sob os auspícios dos sucessivos governos da República. As próximas eleições presidenciais de outubro serão um marco decisivo e, não importa qual for o resultado, é provável que enfrentemos duros e procelosos tempos no futuro, seja pela continuidade reforçada e acelerada do atual deletério esquema político-econômico-psicossocial imposto, se a situação for vencedora, seja pela possível erupção desatada da violência por conta de grupos extremistas inconformados, reforçados por milhares de agitadores importados do exterior, no caso de a oposição sagrar-se vencedora.
Sérgio Tasso de Aquino

O legado da Copa

Conhecendo-se a personagem e os atos, ações e atitudes que têm caracterizado sua vida, é razoável admitir-se que Lula da Silva, então Presidente do Brasil, quando celebrou, em 2007, o acordo que determinou a realização da Copa do Mundo de 2014 em nossa terra com os compadres da FIFA, os “padrinhos” dirigentes da entidade internacional que explora a paixão popular pelo futebol em proveito dos cofres da sua organização e dos seus poder, riqueza e projeção pessoais, tinha, ao menos, dois propósitos em mira.
Sérgio Tasso de Aquino

Brasil voltando à barbárie

É preciso estar atentos e em guarda diante da terrível batalha que se trava pelo futuro do Brasil. Até quando nossos homens e mulheres investidos ainda de qualquer forma de autoridade ou de poder, dignos, esclarecidos e responsáveis agirão como se tivessem sangue de barata, tudo de errado que se passa aceitando, como se no melhor dos mundos estivessem? Até quando nós, o povo antes bom e fiel do Brasil, ficaremos paralisados no canto, como se baratas que esperam o pisão final do gigante malvado, sem esboçar qualquer reação e sem levantar as gloriosas bandeiras, hasteadas nas lanças da bravura e da glória, do Brasil modelo e esperança para o mundo?
Sérgio Tasso de Aquino

Mensaleiros: da justiça divina não escaparão!

Os mensaleiros do PT estão dando boas gargalhadas e tripudiando sobre a fome por justiça dos brasileiros patriotas e de bem. Em breve, estarão livres nas ruas, recebendo homenagens como “mártires e heróis” da revolução “socialista“ dos fanáticos correligionários e admiradores de credo vermelho. Se tudo continuar como dantes no quartel de Abrantes e o planejamento e a programação em curso tiverem definitivamente o sucesso colhido até o momento, estátuas suas serão erguidas em praça pública, Brasil afora, depois da solene proclamação da República Democrática Socialista Popular do Brasil, em 2022, em comemoração ao centenário de Partido Comunista do Brasil e dos vinte anos do governo petista.
Sérgio Tasso de Aquino

E agora, Mensalão?

A compra de votos de partidos e parlamentares venais foi o caminho expedito e eficaz engendrado pela cúpula revolucionária do PT para desmoralizar o parlamento e a democracia, a fim de acelerar o processo de tomada total do poder em que está engajada, para transformar nosso país em mais uma republiqueta socialista na América Latina, de acordo com o planejamento sombrio do foro de São Paulo. Essa a essência do Mensalão. O sofrido povo brasileiro teve, assim, desviadas importantes parcelas dos impostos que paga para ter do Estado a contrapartida adequada de serviços de saúde e saneamento, educação, segurança, habitação, infraestrutura de transportes, energia e comunicações, cultura, lazer..., que foram gastas para o propósito nefasto de aparelhar o Congresso Nacional, em suas duas casas, tornadas de fato meros apêndices do Executivo, a fim de garantir a ampliação da base aliada, necessária para acompanhar o governo nos seus desígnios. Estava, desse modo, configurado o crime grave de corrupção com o propósito real de subversão da ordem vigente.
Sérgio Tasso de Aquino

A viagem brasileira do Papa Francisco e a JMJ

Sua presença e seu testemunho de fé e de vida tocaram o coração do carioca, modificando seu comportamento para o bem. Nos últimos tempos, de ordinário mal educado, egoísta e vítima de um mau humor que seguidamente descamba para a violência no relacionamento interpessoal do dia-a-dia, fruto das agruras, traições e desilusões por que tem passado às mãos e por culpa de péssimos líderes políticos e dirigentes - como de resto em todo o Brasil -, que geram desesperança, indiferença, descrença, revolta ou conformismo e acomodação, voltou a ser o que sempre foi, amistoso, acolhedor, simpático, solidário... Ao ponto de impressionar muito favoravelmente o Papa, os peregrinos estrangeiros e o mundo. Voltou a ser, por todos aqueles dias mágicos, o carioca verdadeiro, espontâneo, alegre, prestativo e hospitaleiro, como festejado em verso e prosa pelos tempos afora!
Sérgio Tasso de Aquino

Vamos falar e difundir a verdade!

A ordem vigente, as instituições, nossa forma de vida e a frágil democracia formal no Brasil estão sob grave ameaça de destruição por um processo totalizante que teve início em 1990, agravou-se em progressão aritmética de 1994 a 2002 e em progressão geométrica de 2002 a 2010, para assumir velocidade e força ainda maiores nos últimos anos. Estamos caminhando celeremente para nos transformarmos numa república ”socialista popular”, cujo grande modelo é Cuba dos “hermanos” Castro, objeto da reverente adoração dos atuais donos do poder em nossa Terra, sendo utilizados os recursos e facilidades da própria democracia para solapá-la.
Sérgio Tasso de Aquino

Carta-aberta ao prefeito do Rio de Janeiro

Prezado prefeito Eduardo Paes, cordiais saudações. Gostaria muito que, de alguma maneira, esta minha carta chegasse ao seu conhecimento, pois contém crítica construtiva que, se atendida, creio que traria muitos benefícios para o nosso Rio. Cheguei ontem de viagem ao exterior, que me manteve ausente da cidade por quase um mês. Primeiro, foi a extensa navegação por mar, de vinte dias, que me levou até Veneza. Depois, excursão de nove dias pela bela Itália. No trajeto, visitei várias cidades de muitos países e alguns continentes: Ilhéus, Salvador. Maceió e Recife, no Brasil: Santa Cruz de Tenerife, Laguna, Orotava e Puerto Santa Cruz, em Tenerife, Ilhas Canárias; Funchal, na Ilha da Madeira: Málaga, na Espanha: La Valletta, em Malta; Dubrovnik, na Croácia; Veneza, Pádua, Pisa, Florença, Siena, Assis e Roma, na Itália.
Sérgio Tasso de Aquino

O Papa Francisco

“Habemus Papam”. Os bons fiéis católicos, que se sentiam como órfãos desde que o querido e respeitado Bento XVI renunciou e deixou vacante o trono de Pedro, explodiram em alegria hoje, com o anúncio da escolha do novo Pontífice pelo Colégio de Cardeais. Na bela Praça de São Pedro, uma multidão composta de habitantes da cidade de Roma e, como testemunhavam as variadas bandeiras que ondeavam ao vento e à chuva, de peregrinos do mundo inteiro, “urbi et orbi”, aguardava a fumaça branca que anunciaria um novo Papa. Por fim, até que, desta vez, o processo foi rápido, já que, na quinta votação, no segundo dia do conclave, chegou-se ao resultado tão ansiosamente esperado.
Sérgio Tasso de Aquino

Projeto de nação x projeto de poder (2)

Fernando Collor de Mello, o “Caçador de Marajás”, foi uma personagem criada pela mídia televisiva e que entusiasmou a parcela boa do eleitorado brasileiro, com a imagem de guardião restaurador da moralidade que lhe foi atribuída. Além do mais, naqueles momentos de decisão, seu oponente na pugna presidencial era Lula da Silva, certeza então de desastre pela percepção do seu comprometimento com a esquerda radical e do seu envolvimento com os comissários stalinistas/castristas. Uma vez no governo, Fernando Collor logo demonstrou imaturidade e despreparo para o cargo, sendo responsável pela segunda grande frustração dos concidadãos que buscavam melhores caminhos para o Brasil: a primeira trágica experiência, quase trinta anos antes, havia sido com Jânio Quadros! Acabou retirado da Presidência, em meio a rumoroso e inédito processo de “impeachment”, motivado por acusações de corrupção e comandado pela mesma mídia que o havia criado, responsável pela convocação dos “caras-pintadas” que, barulhenta e eficazmente, clamavam por seu afastamentos nas ruas e praças do Brasil inteiro.
Sérgio Tasso de Aquino

Projeto de nação x projeto de poder

Quem estudar com isenção a História do Brasil, de 1964 a 1984, verá que os militares intervieram na política, para salvar o Brasil da ameaça de comunização que sobre ele pairava, de forma perigosa, imediata e real, e atendendo aos clamores do povo. Os índices de progresso e avanço da vida nacional, em todos os campos e setores, foram naquele então, e até hoje, inigualáveis. E havia honradez na gestão da coisa pública. De forma alguma, éramos, como atualmente, dos mais corruptos países do mundo. O Brasil se dava ao respeito e era respeitado e ninguém de fora, Estado, empresa, ONG, se metia em nossos negócios ou atrevia-se a querer dizer o que devíamos fazer. Éramos uma só grande Nação, soberana, altiva, una e indivisa, sem fracionamentos e lutas de classes e sociais, exemplo de convivência fraterna para o mundo. A grande civilização dos trópicos, que cria em seu radioso futuro, tinha fé, esperança e orgulho de ser Brasil!
Sérgio Tasso de Aquino

O caminho da liberdade

Tive a feliz oportunidade de assistir recentemente na televisão aberta ao filme sobre a vida de João Paulo II. A emoção foi muito grande, ao rememorar os passos desse grande pontífice sobre a Terra e ao reviver a contribuição magnífica, inspirada por Deus, que ofereceu à volta da Igreja Católica à fidelidade apostólica e pastoral ensinada na mensagem da boa nova de Cristo Jesus - depois dos desvios do pretendido “aggiornamento” preconizado pelos arautos internos da impossível “simbiose marxista-cristã”, os seguidores da “teologia da libertação” e da mensagem revolucionária vermelha -, e à derrubada do império soviético.
Sérgio Tasso de Aquino

Balanço de fim de ano

Os resultados estão à vista de todos: infraestrutura de transportes – estradas, ferrovias, portos e aeroportos - não funcional, insuficiente para a demanda e deteriorada. Escolas mal conservadas, sem as condições mínimas de cumprir sua nobre e imprescindível missão de formar e educar, quando não com instalações destruídas por vândalos ou pela falta de manutenção adequada. Hospitais e centros de saúde em que os pacientes são deixados à míngua do apoio reclamado, justo e necessário, ao Deus dará, jogados pelos corredores, em precárias condições de tratamento e de higiene, rejeitados à porta dos locais próprios em que buscavam lenitivo e tratamento para suas mazelas e sofrimentos, levados a peregrinar de um nosocômio para outros. Muitas vezes encontrando a morte no caminho por falta de assistência no tempo oportuno...
Sérgio Tasso de Aquino

Homenagem a Tamandaré

Todos os anos, em 13 de dezembro, o Brasil e a Marinha, agradecidos, reverenciam a memória e celebram os feitos e as virtudes do Almirante Joaquim Marques Lisboa, Marquês de Tamandaré, Patrono da Marinha. A data, mui justamente, é conhecida como Dia do Marinheiro. Desde a juventude, deu provas Tamandaré de grande bravura ao enfrentar a refrega. No início de sua vida na Marinha, participou da perseguição à esquadra portuguesa, que fugia do Brasil após o resultado desfavorável colhido nos combates pela Independência nacional, a bordo da Fragata “Nictheroy”, até próximo da embocadura do Tejo. Registra a História que Lord Thomas Cochrane, nosso primeiro Almirante e Comandante da Marinha Imperial, ao vê-lo em ação e testemunhar sua desenvoltura nas lides e fainas do mar e tranquilidade em face do inimigo, teria observado: “Esse menino ainda será o Nelson brasileiro”.
Sérgio Tasso de Aquino

A bandeira quase esquecida

Desde que se afirmou, com força, a influência estrangeira e internacionalista no Brasil, a partir de 1990, e com mais vigor desde que os partidos de esquerda assumiram o governo, em 1994, foram sendo relegados a segundo plano o ensino do respeito, o culto e as celebrações aos símbolos nacionais, as comemorações das grandes datas, dos feitos gloriosos da nossa história, e a memória dos grandes heróis que nos afirmaram, na paz e na guerra, como grande e altiva nação independente e soberana. A partir do início do consulado da esquerda radical, em 2002, foi ainda sendo introduzido, de maneira pouco sutil, o vermelho da lealdade mais profunda dos governantes nas logomarcas da propaganda oficial, como, por exemplo, a da Copa do Mundo de Futebol de 2014, na pretensão de que pudesse fazer companhia, em inaceitável pé de igualdade, aos venerados verde, amarelo, azul e branco que representam o Brasil e ir condicionando, acostumando e preparando o povo para a tomada total do poder pelos seguidores da ideologia vermelha...
Sérgio Tasso de Aquino

A guinada moral-ideológica do povo brasileiro e de suas elites

Os patriotas verdadeiros, que se devotaram a vida inteira a defender, promover e elevar a Pátria, encontram-se tristes e perplexos, sentem-se sós e abandonados diante do caótico quadro de desmazelo moral, desrespeito às leis e aos direitos dos semelhantes, corrupção e violência generalizadas, perversão ideológica que tudo vai levando de roldão, diante da mansa aceitação e até aplauso e apoio político da maioria desavisada e ignara do povo e das elites inertes, quando não coniventes e ativas participantes da destruição da alma nacional.
Sérgio Tasso de Aquino

O prefeito “cubanóide” de Maricá

O prefeito reeleito de Maricá, que atende pelo designativo de Quaquá, que não sei se é sobrenome ou apelido, distribuiu um panfleto de campanha política, em que se apresenta como candidato do PT, número 13, e em que, em foto montagem e acompanhado de seus dois mentores maiores, declara “o prefeito do povo é o prefeito de Lula e Dilma“. Entre suas promessas de futuras realizações, no renovado período de poder no executivo municipal, insere-se a conclusão do novo hospital, que estaria atualmente em construção e do qual aparece foto ilustrativa de como será a fachada, quando pronto. E daí a grande e mortificante surpresa: o nome estampado de “Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara”, seguido de gigantesca figura do rosto do chefe guerrilheiro argentino-cubano, em sua imagem mais conhecida, com a boina de estrela vermelha encimando os longos cabelos sem trato. Era tudo o que nos faltava!
Sérgio Tasso de Aquino

Um argentino canta o Hino Nacional Brasileiro

O jogo de futebol entre as seleções do Brasil e da Argentina, previsto para realizar-se na última quarta-feira, dia três de outubro, na pequena cidade de Resistência, capital da província do Chaco, no nordeste argentino e distante mais de mil quilômetros de Buenos Aires, acabou por apresentar diversos aspectos inusitados. rimeiro, findou por não ocorrer, frustrando as expectativas da pequena multidão que acorreu ao estádio do Sarmiento, com capacidade para vinte mil espectadores, e dos milhões e milhões de aficcionados, dos dois países e do mundo inteiro, que se haviam postado diante dos televisores, para assistir ao esperado embate. Um apagão na iluminação do campo, depois de mais de uma hora de espera sem solução, levou o árbitro chileno a suspender o evento.
Sérgio Tasso de Aquino

A defesa do Brasil e seus guerreiros humilhados e ofendidos

O Brasil encontra-se perigosamente desarmado até em face de vizinhos da América do Sul, como a Venezuela de nebulosos projetos bolivarianos, e ocorre sistematicamente o êxodo precoce de militares da carreira escolhida por vocação, a que se soma a recusa da fina flor da juventude brasileira em procurar a tão nobre profissão das armas, pela certeza de o retorno financeiro, que não é e nunca foi fator determinante na opção pela sacrificada vida militar, estar agora abaixo do nível de sobrevivência com dignidade. Sem esperança de melhora...
Sérgio Tasso de Aquino

A hora da verdade

Desde 1990, também e de forma persistente, tem crescido o cerco contra as Forças Armadas, apequenadas em sua histórica, patriótica e moralizadora participação na política nacional, restringidas nos recursos bélicos para defender a pátria, suas independência, soberania e integridade do patrimônio nacional, aviltadas na remuneração aos seus dedicados integrantes, que, nesse respeito, se viram crescentemente transformados em servidores de segunda classe do Estado. O resultado tem sido o afastamento prematuro da nobre carreira das armas por muitos, em busca de melhores condições de vida para as famílias, a renúncia dos jovens de melhores condições econômico-financeiras e sociais a ingressar nas escolas militares de formação, ao contrário do que era tão comum no passado.
Sérgio Tasso de Aquino

Não à justiça injusta!

A justiça brasileira sempre foi demorada no julgamento dos feitos, o que acabava por configurar uma espécie de injustiça, pois a ela incumbe, em última instância, a reparação de erros que repercutem na vida dos cidadãos comuns, com maiores ou menores gravidade e intensidade, e no próprio funcionamento harmônico dos Poderes e da República. Em verdade, a essência da democracia repousa na atuação equânime, justa, oportuna, isenta do Judiciário, cujo dever e razão de ser é o de dirimir e julgar controvérsias e conflitos que prejudiquem a paz social e o funcionamento das instituições, de defender o direito dos cidadãos contra eventuais abusos e excessos do Estado-governo.
Sérgio Tasso de Aquino

O estado brasileiro e o Santos FC

Daí tornar-se necessário falar no Santos FC e no seu recente desempenho contra o Barcelona FC. Como os governantes brasileiros atuais e recentes, Muricy Ramalho, endeusado pela imprensa áulica, julgava-se o “rei da cocada preta”. Encerrado no seu pequeno mundo, sem maiores cultura nem abertura para o exterior, que lhe revelariam a verdade, acreditou nas versões, sem base na realidade, da propalada superioridade do futebol brasileiro e do Santos. Como os governantes, que acabaram por iludir-se a si mesmos com as falsas versões sobre o Brasil que veiculam insistentemente, já que há tempos comprazem-se em mentir para os brasileiros e para o mundo, alardeando uma melhora na economia e na situação geral do Pais, que não tem qualquer fundamento na realidade, mas que encontrou crentes convictos e entusiasmados no nosso povo bom, porém desinformado e facilmente manipulável, devido às carências culturais e educativas a que, propositadamente e com maldosos propósitos, é submetido. Assim como nos governantes e dirigentes do mundo desenvolvido, que até aceitam ouvir pitacos e orientações e críticas dos “donos da verdade brasileiros” sobre como agir e governar seus países e o mundo, porque, de acordo com os costumes imperantes em suas terras, acreditam que um governante só diz verdades, porque lá, muito ao contrário de cá, o preço da mentira é demasiadamente alto (vide caso Nixon, por exemplo).
Sérgio Tasso de Aquino

A corrupção no Brasil e algo mais…..

Notícias veiculadas pela imprensa, nos últimos dias, dão conta de que o dinheiro público desviado pela corrupção dos agentes governamentais, nos três Poderes, nos três níveis administrativos e nas empresas públicas, e dos responsáveis pelas ONGs apadrinhadas pelos governos federal, estaduais e municipais, montou a 82 bilhões de reais, no último ano. Segundo a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo-FIESP, o assalto aos cofres públicos atingiu 720 bilhões de reais nos dez anos recentes. Em outra versão mais modesta, “O Globo”, na primeira página da edição de domingo, 23 de outubro, citando dados da Advocacia Geral da União, afirma que, “de 2003 a 2010, pelo menos, 67,9 bilhões de reais foram desviados dos cofres públicos para o ralo da corrupção”. De qualquer sorte, são números impressionantes, que atestam o desperdício gigantesco de recursos que poderiam ter sido empregados no aperfeiçoamento e no progresso nacionais, na melhoria real da qualidade de vida do nosso povo sofrido.
Sérgio Tasso de Aquino

Nossa Senhora da Conceição Aparecida, intercedei pelo Brasil!

Daí se iniciou, desde aqueles remotos dias do século XVIII, a veneração à pequena Virgem Negra, denominada Aparecida pela forma como surgira, origem da cidade que lhe leva o nome e do grande Santuário, o maior mariano do mundo, em que a Padroeira do Brasil reina sobre a Pátria e o coração dos brasileiros fiéis. Não por acaso, nossa Gloriosa Mãe da Conceição Aparecida é negra, como grande parte deste povo do maior país africano da América do Sul, exemplo de harmonia racial para o mundo e construído pelo sacrifício, o valor, a bravura e o sofrimento de brancos, índios e negros, que plasmaram nossa identidade nacional e nossos caminhos em busca da paz, da grandeza, da justiça, da abundância e da fraternidade.
Sérgio Tasso de Aquino

Tropa de Elite 2

Finalmente, via televisão, consegui assistir ao filme “Tropa de Elite 2”, cuja passagem pelos cinemas havia perdido. Foi um verdadeiro soco no estômago, pois apresenta, de maneira crua, a realidade brasileira, e a associação político-criminosa responsável pela infelicidade nacional. Ali está, tristemente retratada, a configuração atual e passada, velha de quase trinta anos, do nosso sistema governamental federal, estadual e municipal. O governador, os parlamentares, o secretário de segurança, o comandante-geral da polícia, o comandante de batalhão corruptos, trazem à memória ocupantes atuais e passados dessas funções e outras similares, em Brasília e em muitos estados e cidades do Brasil.
Sérgio Tasso de Aquino

Um sete de setembro longe da pátria

Nosso país maravilhoso é a terra muito bela da abundância, plena de recursos e de riquezas para fazer feliz, realizado e saciado o povo. É um dom de Deus e o resultado do trabalho heróico e esforçado dos nossos bravos ancestrais. Temos tudo para realizar, em paz, um futuro de justiça e de grandeza! Duas coisas apenas nos faltam, e é preciso que a nação tome consciência disso, desperte, reaja e pegue em suas mãos nosso destino: varrer do poder os políticos e governantes corruptos e ineficientes que nos têm explorado, aviltado e infelicitado, substituindo-os por pessoas sábias e do bem, e educar o povo!
Sérgio Tasso de Aquino

Em memória dos heróis da democracia

Por iniciativa dos Clubes Naval, Militar e da Aeronáutica, “na semana em que se comemora o Dia do Soldado”, foi celebrada missa “em memória dos 119 militares e civis que perderam a sua vida em defesa da democracia entre os anos de 1964 e 1974, por atos de grupos terroristas”, na Igreja da Santa Cruz dos Militares. O fato tornou-se marcante e extremamente significativo, porque, nos anos recentes, todas as homenagens públicas, inclusive reforçadas pela divulgação maciça de deturpações históricas que as apresentam como “combatentes da liberdade e defensoras da democracia”, por isso beneficiadas inclusive com vultosas indenizações do Estado, têm sido prestadas, exatamente, àquelas pessoas engajadas na alteração da ordem vigente no País desde a década de 1960, inclusive com o apelo à “violência revolucionária”, entre as quais as responsáveis pela execução dos atos terroristas.
Sérgio Tasso de Aquino

Atuais ameaças ao Estado Brasileiro

A freqüência e a amplitude da roubalheira perpetrada pelos agentes públicos ferem de morte a base ética e moral da Nação, já que a maioria do povo passou a aceitar como naturais os crimes cometidos, a aplaudir, apoiar e eleger e reeleger os responsáveis pelos malfeitos, perdendo a condição elementar de indignar-se e de tentar reagir. Mais grave que tudo, a corrupção serve como deliberado instrumento do projeto totalizante de poder em curso, para destruição da ordem vigente no País e substituição por outra, de extremismo marxista-populista.
Sérgio Tasso de Aquino

Conformismo inaceitável e suicida

Toda sorte de indignidade é estimulada e cometida, com toda a tranqüilidade, às escâncaras e, até, com certo orgulho pervertido da parte dos praticantes, diante da indiferença, mesmo do aplauso da maioria das pessoas, intoxicadas por falsos conceitos de “liberdade, autodeterminação, direitos humanos” e que tais, de livre curso e ampla difusão. Tudo é permitido, tudo é relevado, tudo é justificado, tudo é perdoado! Os maiores absurdos!
Sérgio Tasso de Aquino

“Não coloqueis vossas esperanças nas coisas do mundo”

A realidade nacional corrente, já tão marcada de escândalos e de agressões ao senso comum, à ética e à moral nos últimos 21 anos, apresentou quadro exponencialmente contristador nos últimos tempos: a designação de oito senadores com contas a ajustar com a justiça, por improbidade e comportamentos atentatórios aos bons costumes, para fazerem parte do Conselho de Ética do Senado e, portanto, investidos do múnus de julgar os deslizes e delitos dos seus pares; a elevação a membro da Comissão de Educação da Câmara de deputado que mal foi aprovado nos testes para comprovar que era alfabetizado,
Sérgio Tasso de Aquino

Adeus, Lula da Silva!

Exerço meu direito democrático de, discordando da maioria, não aceitar como certos e normais, Lula e seu governo. Por formação, convicção e crença profundas, sou contrário a qualquer forma de injustiça, corrupção e impunidade, especialmente no governo e praticada por seus responsáveis e agentes, e a toda e qualquer pretensão e tentativa de destruir a ordem democrática, para implantar ditadura extremista entre nós. Nos últimos oito anos, vivemos seguidas e constantes violações e agressões aos bons princípios éticos e morais e intentos repetidos de substituir a democracia por sistema marxista ultrapassado, sempre justificados, senão estimulados e apoiados pelo presidente que saiu.
Sérgio Tasso de Aquino

Governo Lula: Fim!

O futuro nos reserva muitas incertezas, a partir de hoje, 01 de janeiro de 2011, quando se inaugura o novo governo. A expectativa, para as pessoas bem formadas e com profunda convicção democrática, é de que daremos um salto no escuro, com grande possibilidade de agravamento da ameaça a valores como liberdade e paz social. De qualquer sorte, porém, um aspecto positivo de mudança tem de ser considerado: deveremos ficar livres da presença diuturna de Luís Inácio Lula da Silva, que assombrou nossas vidas com seus maus exemplos, sua linguagem chula, sua falta de condições mínimas para liderar uma naçào do porte do Brasil, seus ataques repetidos ao estamento ético e moral da nossa sociedade e ao ordenamento constitucional estabelecido,
Sérgio Tasso de Aquino

Rezemos pelo Brasil. Misericórdia!

Como brasileiro patriota, cristão e amante da liberdade e da democracia, estou muito triste, desapontado e preocupado com o resultado das eleições para a Presidência da República. Para que caminhos será nossa nação projetada nos próximos quatro anos? Vicejará, ainda, a frágil plantinha da liberdade e da democracia entre nós, ao final desse período? A que níveis de complacência com o vício e a leviandade na aplicação dos recursos públicos seremos conduzidos, além das barbaridades cometidas nos últimos anos, sempre diante da apatia indiferente da oposição inexistente, das pessoas e instituições de bem, inclusive daquelas cujo dever e cuja missão são, exatamente, de zelar pelo bem, pela manutenção da estrutura do Estado de Direito e pela aplicação da lei e pela preservação do ordenamento jurídico construído pelos nossos dedicados e esforçados ancestrais?
Sérgio Tasso de Aquino

“Nunca antes…”

Confiantes na impunidade que costumeiramente tem protegido os poderosos delinqüentes, um dos grandes males nacionais, roubaram ou desviaram, para fins ilícitos, tranqüila, seguida e repetidamente, vultosos recursos aportados ao Estado, pelos cidadãos em geral, na forma de impostos destinados originalmente para a realização do Bem Comum, ou pelos associados, como contribuições para a previdência social de cada grupo específico.
Sérgio Tasso de Aquino

Brasil atual: o que fazer?

As pessoas boas, honestas e sensatas, comprometidas com o bem comum e com o futuro da pátria, estão tristes e insatisfeitas com os rumos trilhados por nossa sociedade nos anos recentes. A roubalheira contra o patrimônio comum da Nação, a falta de pudor e de responsabilidade demonstrada a cada passo pelos detentores do poder e condutores do processo nacional agridem as boas e retas consciências, numa avalanche de atos indignos que parece não ter fim.
Sérgio Tasso de Aquino

Um país de escravos?

Os americanos não são melhores do que nós; ao contrário, faltam-lhes o calor humano, a alegria de viver, a espontaneidade, a abertura de coração e de braços (o abraço amistoso e carinhoso é nossa marca) que tanto nos distinguem e caracterizam. Mas construíram uma grande nação, graças ao seu arraigado sentimento de patriotismo e de cidadania, de trabalho dedicado e de cobrança, sem titubeio, delongas e quartel, do cumprimento das obrigações devidas por quem tem o múnus de governar, legislar, julgar. Lá, não impera a impunidade, e quem labora contra o bem comum, prevarica e rouba os haveres públicos não escapa das duras penas da lei, seja quem for, ocupe que cargo ou função, seja dono de qual nível de patrimônio!
Sérgio Tasso de Aquino

Formatura de Direito na UERJ: uma mensagem de esperança

Ficamos muito alegres, agradecidos e satisfeitos! A Faculdade de Direito da UERJ, padrão de excelência, seus devotados e competentes professores e funcionários, os magníficos, entusiasmados e bem orientados alunos ali formados estão todos de parabéns, pois preencheram todas as nossas melhores expectativas!
Sérgio Tasso de Aquino

Comunização por aclamação!

Depois das modalidades clássicas de imposição do jugo comunista sobre sociedades nacionais, a da violência pela via armada, como nos exemplos sofridos por Rússia, China, Vietnam e Cuba, e pela via política ou parlamentar, como ocorrido na antiga Tchecoslováquia do pós-guerra, o Brasil corre o risco de inaugurar, a continuar na atual toada, o modelo inédito da comunização por aclamação.