Pedro Bondaczuk

Gente humilde

Por em 03/03/2015
Gente humilde

As cidades grandes afastam as pessoas. Muitas vezes vivemos em um bairro durante décadas e sequer chegamos a conhecer nosso vizinho do lado. Cruzamo-nos uma infinidade de vezes e na maioria dos casos, o máximo de relacionamento que nos permitimos é um bom dia ou boa tarde, distraídos, ou mero aceno de cabeça. Ou... »

Os dez endereços de Machado de Assis

Por em 24/02/2015
Os dez endereços de Machado de Assis

No que se refere a Machado de Assis, em quantas (e quais) casas ele morou? É uma pesquisa bastante complicada, principalmente porque o Rio de Janeiro (a única cidade que viveu em seus 69 anos e da qual raramente se afastou, mesmo que a passeio a outras localidades) sofreu muitas transformações desde a primeira... »

A verdadeira musa de Machado de Assis

Por em 22/02/2015
A verdadeira musa de Machado de Assis

O relacionamento de Machado de Assis com Carolina Augusta Xavier de Novaes – considerando namoro, noivado, casamento e vida conjugal de quase 35 anos – parece um desses romances de folhetim, tão a gosto dos sonhadores, com começo turbulento, contudo com meio e final felizes. Ou quase, porquanto a morte da esposa teve efeito... »

Fixação de Machado de Assis por borboletas

Por em 19/02/2015
Fixação de Machado de Assis por borboletas

Os títulos dos dois primeiros livros de Machado de Assis (por sinal, ambos de poesias), respectivamente “Crisálidas” e “Falenas”, sugerem certa fixação (obsessão?) do escritor por borboletas. Seria só coincidência? Não creio, levando em conta a inteligência dele e seu gosto particular por símbolos, ou melhor, por metáforas. O leitor, que não costuma... »

Machado de Assis vai às raízes da brasilidade

Por em 18/02/2015
Machado de Assis vai às raízes da brasilidade

O terceiro livro de poesias de Machado de Assis foi “Americanas”, datado de 1875. Na oportunidade o escritor estava próximo da maturidade literária, do seu período mais criativo e fértil, que seus biógrafos consideram como sendo o a partir dos seus 40 anos de idade. Embora sem chegar, ainda, ao auge, estava muito próximo... »

O inovador segundo livro de Machado de Assis

Por em 16/02/2015
O inovador segundo livro de Machado de Assis

O segundo livro de Machado de Assis, também de poesias – o primeiro, recorde-se, foi “Crisálidas”, lançado em 1864 – foi “Falenas”. Foi publicado em 1870, quando o autor tinha completado 31 anos de idade e já estava casado. Essa obra ainda faz parte da sua fase Romântica, posto que com várias inovações formais... »

O poeta Machado de Assis

Por em 14/02/2015
O poeta Machado de Assis

A genialidade de Machado de Assis foi tamanha que, ainda hoje, 107 anos após sua morte, ele concorre apenas com ele mesmo em termos de qualidade e de importância para a Literatura (e não somente a brasileira, frise-se). Explico. Quando seu nome vem à baila, a imensa maioria pensa nele como autor de marcantes... »

O leitor é soberano

Por em 10/02/2015
O leitor é soberano

A importância de Machado de Assis para a Literatura – e não me refiro só á Brasileira, da qual foi um divisor de águas, mas à atividade literária em si, seja quando e onde for que venha a ser praticada ou que tenha sido no passado – é incomensurável. Foi pioneiro, desbravador e inovador... »

Antecipação ou simulação da vida?

Por em 07/02/2015
Antecipação ou simulação da vida?

“A literatura antecipa sempre a vida. Não a copia, amolda-a aos seus desígnios”. Quem escreveu isso foi o polêmico, mas nem por isso menos genial, escritor inglês Oscar Wilde. Esta, todavia, é apenas uma visão específica, entre tantas outras, dessa atividade que tanto fascina e apaixona (e não raro obceca seus cultores e consumidores).... »

Trazendo ausentes para junto de nós

Por em 27/01/2015
Trazendo ausentes para junto de nós

Caso eu conheça os respectivos personagens (na maior parte dos casos, artistas, e mais especificamente ainda, escritores, embora não somente estes), consolido o conhecimento que tenho deles. Salvo exceções, escrevo a seu respeito, após reler suas obras (no caso dos que tenham se dedicado à Literatura) ou apreciar seus quadros (se pintores), ouvir suas... »

Busca

Colunistas