Principal » Artigos de Orlando Castro
Orlando Castro

Vivam as eleições, diz o povo faminto!

5.660 antigos combatentes e veteranos da Pátria (Angola) estão a receber, no Huambo, as respectivas pensões em atraso, referentes aos meses de Dezembro de 2009 e 2010, incluindo o 13º mês. A informação foi dada pelo director provincial dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Moreira Janeiro Mário Lopes, segundo o qual o montante a ser pago está avaliado em – cito ipsis verbis a Angop - “180 milhões, 492 mil, 554 kwanzas e 87 cêntimos”. Moreira Janeiro Mário Lopes esclarece que os pensionistas que não têm contas bancárias estão a receber o seu dinheiro nas administrações dos municípios onde vivem, ao passo que os utentes de contas bancárias recebem directamente nas suas contas.
Orlando Castro

Jornal de Angola a caminho do Pulitzer

Num texto, mais um, digno de vencer o Prémio Pulitzer, o órgão oficial do regime angolano, também conhecido por Jornal de Angola (JA), mostra o que é a democracia do MPLA e ensina ao mundo o que é o jornalismo. Diz o pasquim do regime que os órgãos de informação privados nada mais são do que um “Cavalo de Tróia que vomitava do seu seio a subversão dos mais elementares valores que regem o jornalismo.” Dando como adquirido que tal como José Eduardo dos Santos está para os angolanos (e não só) como Deus está para os cristãos, e que o JA está para o jornalismo como o MPLA está para Eduardo dos Santos, todos os jornalistas do mundo são obrigados a aceitar a superioridade moral, ética, deontológica e o que mais por aí houver deste legítimo filho do Pravda, o principal jornal da União Soviética e órgão oficial do Comité Central do Partido Comunista da União Soviética entre 1918 e 1991.
Orlando Castro

Timor-Leste segundo a ONU

O relatório da relatora especial da ONU sobre pobreza extrema e direitos humanos, Magdalena Sepúlveda Carmona, baseado na sua missão em Timor-Leste entre os dias 13 e 18 de Novembro de 2011, arrasa as autoridades: “A extensão e a profundidade da pobreza em Timor-Leste são ainda mais graves do que o sugerido pelas estatísticas da pobreza em termos de rendimentos. De acordo com o Índice Multidimensional da Pobreza, que identifica privações múltiplas nos lares relativamente a educação, saúde e nível de vida, 68 por cento da população timorense sofrem de privações várias, sendo que outros 18 por cento são vulneráveis.
Orlando Castro

Fátima, fado e futebol

Cristiano Ronaldo, Madonna, Lady Gaga, Beyoncé e Elton John são algumas das celebridades que se associaram a uma campanha de luta contra a fome no Corno de África. Quando, no dia 11 de Junho de 2009, o Real Madrid ofereceu ao Manchester United 93 milhões de euros pela transferência de Cristiano Ronaldo, ficou a saber-se que mais de 200 milhões de crianças continuavam a ser forçadas a trabalhar diariamente no Mundo. A ONU estima em mais de 12 milhões o número de pessoas no Corno de África ameaçadas e aponta a necessidade de uma ajuda de 1600 milhões de euros.
Orlando Castro

Cartilha do reino português só permite a existência de jornalistas… domesticados!

Portugal, tal como a restante comunidade internacional, sabe que é mais fácil, muito mais fácil, negociar com ditaduras do que com democracias. É mais fácil negociar com quem está, é o caso de Angola, há 32 anos no pode do que com alguém que possa ter de abandonar o cargo pela escolha do povo. Angola é um dos países mais corruptos do mundo? É sim senhor. É um dos países com piores práticas democráticas? É sim senhor? É um país com enormes assimetrias sociais? É sim senhor. Mas as instruções que o MPLA deu a Miguel Relvas, e que este certamente transmitiu à Fátima Campos Ferreira, proibiam a abordagem destes temas.
Orlando Castro

Porcos portugueses em alta!

Catorze animais de raça suína, avaliados em 5.000 euros, foram furtados de uma propriedade situada na freguesia de Vimieiro, no concelho alentejano de Arraiolos. Os porcos são, aliás, uma fonte inspiração para o governo de Pedro Miguel Passos Relvas Coelho, nomeadamente na vertente da dieta alimentar que está a impor aos portugueses para equilibrar o défice. De facto, se os porcos propriamente ditos comem farelo e não morrem, os escravos portugueses também o podem fazer. Os animais a que respeita a notícia foram furtados na semana passada, indicou hoje fonte da GNR à Agência Lusa, adiantando que um funcionário da exploração agrícola disse ter visto, posteriormente, os suínos numa outra propriedade localizada na mesma freguesia, no distrito de Évora, mas os animais "não foram recuperados".
Orlando Castro

Cavaco queixa-se de barriga cheia

Cavaco Silva evitou falar sobre a sua reforma que, como ele diz, mal chega para pagar as despesas. Foi pena. Se calhar algum dos jornalistas que ainda não foi domesticado poderia recordar-lhe coisas importantes. Por exemplo, que ele em termos vitalícios tem direito a 4.152 euros do Banco de Portugal, a 2.328 euros da Universidade Nova de Lisboa e a 2.876 euros de primeiro-ministro, ou, ainda, que no seu curriculum consta que foi primeiro-ministro de 6 de Novembro de 1985 a 28 de Outubro de 1995, que venceu as eleições presidenciais de 22 de Janeiro de 2006 e foi reeleito a 23 de Janeiro de 2011. É claro que um dia destes os portugueses o vão ouvir dizer que a dívida externa existe, mas que ele nada tem a ver com o assunto. Como todos sabem, até mesmo ele, as sucessivas políticas de desmantelamento do aparelho produtivo, na indústria, na agricultura e nas pescas; aas negociatas com as parcerias público-privadas; os negócios como o BPN, as derrapagens orçamentais em obras públicas; a fraude, a evasão fiscal, a corrupção etc. são culpa exclusiva dos trabalhadores.
Orlando Castro

A primavera tarda em chegar a Angola

Em Angola "vive-se uma democracia com medo", diz o "rapper" angolano Mona Dya Kidi. Mentira. No reino de Eduardo dos Santos existe a mais avançada democracia de que há conhecimento… Duvidam? É só perguntarem, entre outros, a Cavaco Silva, Passos Coelho ou Armando Guebuza. Falar, no caso de Angola, de democracia com medo é uma forma de branquear a situação, compreensível no contexto de que os angolanos sabem que o regime mata primeiro e pergunta depois. Aliás, se existe medo é porque não existe democracia.
Orlando Castro

Greve geral em Portugal para quê?

No próximo dia 24, os trabalhadores portugueses estão convocados para tomar uma atitude. Há, de facto, muitas razões para lutar. Mas, creio, reduzir a luta a uma greve é o mesmo que confundir a lagartixa com o jacaré. Como diz o Sindicato dos Jornalistas no apelo à participação da classe, a dívida externa existe, mas não é por culpa dos trabalhadores. Existe por causa de sucessivas políticas de desmantelamento do aparelho produtivo, na indústria, na agricultura e nas pescas; das negociatas com as parcerias público-privadas; dos negócios como o BPN (cinco mil milhões de euros que já nos custou ou vai custar); de derrapagens orçamentais em obras públicas; da fraude, da evasão fiscal e da economia paralela.
Orlando Castro

Conta-me como é não ser pobre

O salário mínimo nacional dos portugueses de segunda (todos aqueles que não pertencem ao mundo putrefacto da política e actividades correlativas) teve um acréscimo de apenas 88 euros desde 1974, enquanto que as pensões mínimas de velhice e invalidez aumentaram apenas 38 euros nos últimos 36 anos. E depois venham dizer que o direito à indignação só passa por manifestações pacíficas, do tipo: quanto mais me bates mais gosto de ti. E depois venham dizer que houve uma revolução em Portugal.