Milton Corrêa da Costa

Alcoolizados ao volante

Por em 30/08/2014
Alcoolizados ao volante

Milhares de motoristas estão na iminência de serem obrigados a entregar a carteira de habilitação por terem os recursos indeferidos e transitados em julgado no Detran/RJ, em razão da Lei Seca, com penalidade de suspensão do direito de dirigir pelo prazo de um ano. O número de motoristas infracionados no Artigo 165, do Código... »

Ativistas da desordem e do desrespeito

Por em 02/08/2014
Ativistas da desordem e do desrespeito

A ousada agressão a profissionais da imprensa, na porta do presídio de Gericinó, dias atrás no Rio, merece séria reflexão. Estamos diante de um grave crime contra a incolumidade de cidadãos pacíficos e contra à ordem social. Crime praticado por ativistas da desordem e do desrespeito, com o intuito de agredir quem lhes faça... »

Seleção é vulnerável ao contra-ataque

Por em 07/06/2014
Seleção é vulnerável ao contra-ataque

Felipão andou dando bronca, nos jogadores do time titular do Brasil, durante um treinamento coletivo na Granja Comary, onde os reservas acabaram saindo vitoriosos de campo. O motivo é simples: a vulnerabilidade do time na falta da rápida reposição da marcação, no momento em que se perde a posse de bola após um ataque.... »

Turistas em alerta na Copa

Por em 06/05/2014
Turistas em alerta na Copa

Não é demais lembrar também que, assim como Bagdá é a capital mundial do terrorismo, o Rio é a capital mundial da violência do narcotráfico, onde os tiroteios diários, em morros e favelas, entre policiais e bandidos ou entre facções criminosas, com utilização de possantes armas de guerra, fazem parte de uma preocupante e... »

Ataque e destruição à UPA é ato de bestas humanas

Por em 30/04/2014
Ataque e destruição à UPA é ato de bestas humanas

Inadmissível, injustificável, absurdo e sobretudo bestial e anti-civilizado o ataque de bandidos (vândalos), verdadeiras bestas humanas, às dependências de uma Unidade de Pronto-Atendimento UPA), na noite de ontem, 28/04, na Estrada do Itararé, nas cercanias do Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. Como se não bastassem os ataques a algumas UPPs e... »

As dicas para uma viagem segura no feriadão

Por em 18/04/2014
As dicas para uma viagem segura no feriadão

Um feriadão, o mais longo do ano, que emendará a Semana Santa, o Dia de Tiradentes e o feriado de São Jorge, neste último caso no âmbito do Estado do Rio de Janeiro, levará milhões de motoristas para as não muito seguras estradas brasileiras. Ao final do longo feriado as estatísticas sobre acidentes mostrarão,... »

O trabalho da polícia e o direito de imprensa

Por em 15/04/2014
O trabalho da polícia e o direito de imprensa

Mais um lamentável incidente se deu entre a polícia e a imprensa, durante a cobertura de um conflito envolvendo uma ordem judicial de reintegração de posse de, na sexta-feira 11/04, na Zona Norte do Rio, fato que nos obriga a uma necessária reflexão. Mais um desentendimento, desnecessário, entre um policial e um repórter, ambos... »

Maré: o fim de uma zona de anomia

Por em 05/04/2014
Maré: o fim de uma zona de anomia

O Complexo da Maré foi ocupado no último domingo, 30 de março, pelas forças de segurança estaduais e federais. As autoridades decidiram, estrategicamente, que as Forças Armadas vão ocupar tal comunidade, por algum período, num primeiro momento, antes da implantação de UPP, em todo o Complexo da Maré. Louvável decisão, onde a coragem e... »

Sociedade refém dos protestos e da baderna

Por em 03/04/2014
Sociedade refém dos protestos e da baderna

Virou moda a realização, a qualquer instante, mormente em dias úteis, de protestos em vias trânsito, alguns são atos de baderna como nesta quarta-feira, 26/03, na Praça Seca, Zona Oeste do Rio, trazendo como consequência danosa à população gigantescos e estressantes congestionamentos de trânsito, muitas vezes em dias de alta temperatura em ambiente sob... »

A violência no Brasil é crônica, estrutural e midiática

Por em 19/03/2014
A violência no Brasil é crônica, estrutural e midiática

Detalhe: a violência é tão enraizada ao cotidiano do brasileiro que há horários específicos de televisão, diariamente, para vermos violência ao vivo e a cores. Há dois canais de televisão, em programas vespertinos, que disputam picos de audiência. Ou seja, a violência, como efeito colateral, fez crescer, também, nos últimos 20 anos, as editorias... »

Busca

Colunistas