Principal » Artigos de Marcelo de Oliveira Souza
Marcelo de Oliveira Souza

Os pinguins voltaram

Os pinguins estão de volta aos trópicos! Eles sempre se perdem do seu grupo quando estão passando pelo nosso país. As poderosas correntes de água os fazem mudar o seu destino, chegando cansados e muitos aparecem esgotados por causa da viagem. Normalmente eles desembocam no sul e sudeste do Brasil, mas agora começaram a aparecer no litoral da Bahia, o que faz muitas pessoas se extasiarem com a exótica beleza das aves. Mas, o importante não é isso, é o quanto o nosso povo está avançado na proteção aos animais, pois os pequenos não ficam sozinhos, aparecem órgãos de proteção de tudo quanto é jeito para amparar o animalzinho.
Marcelo de Oliveira Souza

O que fazem com a água?

As pessoas estão esquecendo que a água é um bem precioso, que se esgota. Mesmo o Brasil tendo uma das maiores reservas do mundo, estamos sujeitos a ter dificuldade de ter esse precioso líquido, como já acontece no sertão. Apesar de possuirmos diversos meios de captação, inclusive os tecnológicos, não pensamos como esse precioso bem tende a se esgotar, aumentando a grande dificuldade de prover o bem natural. As pessoas se acostumaram a desperdiçar esse insubstituível produto. Quando criança, auxiliado pelos professores, a consciência floresce. Contudo, ao crescer isso vai embora junto com litros de gastança.
Marcelo de Oliveira Souza

Independência do Brasil

Um país grande onde tudo é grande, inclusive os seus problemas, onde a falta de esperança permeia a cabeça do cidadão. A nossa sociedade acostumou-se a conjugar esse verbo PAGAR. Quem não o conjuga sofre, é colocado de "escanteio". Pagamos saúde, educação, seguro de carro, quem não o faz ou é louco ou é taxado de louco ou de pobre. Assim o consumo estimula a violência e a violência oprime quem paga, pagando ainda mais por diversos itens para a sobrevivência sua e dos seus familiares. Vamos declarar de fato a nossa independência. Pensemos nisso e vamos nos tornar independentes da corrupção, da obrigação de gastar e de votar.
Marcelo de Oliveira Souza

Assassinato da língua Portuguesa

Essa semana fomos resolver alguns projetos numa gráfica. À nossa frente havia um homem que passou quarenta minutos para corrigir um texto a ser impresso e nessa agonia da espera apareceu uma mulher com um ”banner” na mão, onde existia uma homenagem ao seu genitor, referente ao dia dos pais. Ela chegou argumentando que o digitador escreveu seu “banner” errado, confessou que era “fraca” em português e quando os parentes foram ler a homenagem, passou a maior vergonha, tudo escrito errado e faltando até palavras. Assim caminha a nossa sociedade, maltratando nosso idioma, depois é só culpar o professor, que “está tudo bem”.
Marcelo de Oliveira Souza

A cafonice de ser correto

Hoje em dia, com a degradação da família, todos os bons conceitos são criticados. A atenção e o cuidado dos pais viraram invasão de privacidade. Muitos adolescentes impuseram aos seus pais um território paralelo, o seu quarto; uma linha particular, o seu celular; suas anotações e bolsas, viraram “sigilo bancário” e assim por diante. Com os parâmetros deteriorados por programas de televisão e permissividade dos pais, os genitores que ainda têm um cuidado maior com seus rebentos, são criticados abertamente. Numa reunião de pais, uma palestrante colocou uma propaganda onde uma criança de uma faixa etária de cinco anos de idade, cobra do seu coleguinha uma ligação para o seu aparelho de telefone, onde o menininho justifica não ligar por ter um dedinho quebrado.
Marcelo de Oliveira Souza

O presente de ser pai

Vem chegando mais uma oportunidade para comemorarmos o dia dos pais. O comércio se alvoroça todo só em pensar nas vendas que irão atingir. Aquele velho consumismo vem à tona, todos falando em presente, mas nunca falam em presença. A presença é sempre o mais importante, já que os pais não estão fincando mais presentes na vida dos filhos, que muitas vezes estão sendo criados por babás, creches e tudo que uma sociedade nova e com valores deteriorados possa permitir. A relação de pais e filhos está estragada na maioria das famílias. O poder paterno vem diminuindo diante de tanta permissividade e no dia dedicado aos pais vem toda aquela questão do presente. O presente não é importante. Repetindo, o amor sim, é o mais importante é o maior presente que podemos dar no cotidiano e o que podemos receber.
Marcelo de Oliveira Souza

Caminhando em sociedade

Todos de nós, independente de classe social, somos recebidos cheios de festas e expectativas, para adentrar nesse mundo cheio de oportunidades e opções positivas e negativas. Quando atingimos a nossa adolescência, uma etapa difícil na vida de muitos, pensamos em externar toda a nossa alegria de conhecer as novidades do mundo, as inúmeras opções de um relacionamento com o próximo, com outros adolescentes e todos que rodeiam o nosso caminho. Muitos rotulam logo o outro como amigo, inimigo, chato, incompetente, mesmo sem saber direito o que é realmente isso, pois se nessa fase da adolescência ainda não nos conhecemos, como podemos conhecer realmente o nosso amigo, colega, pais e outras tantas pessoas que por ventura virão ao nosso encontro?
Marcelo de Oliveira Souza

Salve a natureza!

A peça escrita pelo roteirista Gilberto Filho, “Salve a natureza”, aborda de forma lúdica a problemática das grandes cidades. A história versa sobre um jardim de flores que sofre pela especulação imobiliária, onde é questionado o desenvolvimento urbano de forma desordenada. Em meio a muitas brincadeiras e sons, os atores e atrizes personificam a dor da flora ambiental, como a natureza está sendo dizimada, fazendo uma pequena alusão à nossa cidade de Salvador. Dentre tantos questionamentos, a história leva o público a pensar como o nosso progresso poder ser planejado e pautado na valorização do nosso ambiente.
Marcelo de Oliveira Souza

Mais um assado na ONU

A Organização das Nações Unidas é sediada logo nos Estados Unidos, atestando que a neutralidade ali não existe, assim como não existe na política internacional o mau e o bonzinho. É como na política daí da sua esquina, tudo é uma questão de interesse, só muda mesmo a nomenclatura e dimensão, pois quem vence sempre será bom e o coerente. Por outro lado, quem perde sempre será o errado, desonesto e ditador, assim é a lei dos poderosos do “Olimpo”, que brincam de deuses aos seus interesses e agora é hora de churrasco, fogo brando, bem abanado, tempero adequado e vamos assar direitinho o Assad.
Marcelo de Oliveira Souza

Médicos sem besteiras

Todos nós sabemos como é difícil marcar uma consulta particular hoje em dia. Os planos de saúde cobram cada vez mais, ao passo que temos cada vez mais gastos com esse nosso principal bem. Se a coisa anda difícil para quem tem dinheiro, imagine para quem não tem nenhum plano de saúde, só direito a SUSto. Os nossos governantes ficaram impassíveis durante muito tempo, vendo o drama crescer, em ambas as redes particulares e públicas e, agora que Dilma baixou um decreto contratando médicos de outros lugares para trabalharem onde nenhum médico de cidade grande quer sujar seu jaleco de lama, eles começar a protestar.
Marcelo de Oliveira Souza

Torcedores em fúria

Muitas pessoas que não estão envolvidas com o esporte questionam o que move um bando de pessoas a torcer por um time. O time de futebol não é apenas jogadores. São as cores, a união de um time de torcedores pelejando por algo em comum. O representante das massas, aquele jogador que veio do nada, agora é tudo para muita gente. Muito dinheiro envolvido, a fama, a idolatria e tudo que a bola envolve. Quem assiste a partida, torce para que naquele último minuto o campeão, defensor das suas cores, do seu final de semana, da sua auto-estima e principalmente do bolso dele e de muita gente, se supere fazendo o gol, ao passo que todos os torcedores explodem de alegria e satisfação.
Marcelo de Oliveira Souza

A educação na Bahia é um lixo!

Na foto vemos um colégio estadual chamado Zumbi dos Palmares, em Tancredo Neves, Salvador, como todo colégio público estadual de hoje, não transformou-se somente num depósito de alunos, agora os colégios são enormes depósitos de dejetos e de muito lixo. A comunidade local desesperada, perdeu já a expectativas quanto ao governo e prefeitura; em meio a um tiroteio, eles têm ainda que aguentar o fedor e o pior: escolher entre os carros na rua ou escalar a montanha de lixo. Essa é mais uma luta cotidiana que o sofrido povo do subúrbio tem que escalar.
Marcelo de Oliveira Souza

Semana Santa

A Semana Santa nos alcança mais uma vez, sendo de vital importância para que as pessoas possam refletir sobre o martírio de Jesus Cristo. Muitas pessoas sabem da importância dessa data e pregam para os seus filhos como foi a vida do nosso eterno personagem religioso. Contudo ao chegar essa época, não parecem lembrar do martírio de Cristo. Constatamos isso ao vermos o comportamento de muitas pessoas durante as festividades, percebemos que existe algo fora do lugar. Celebremos a nossa fé em Cristo com paz no coração e lembremos que a bondade do criador serviu para nos unir e não nos matarmos em “comemorações etílicas” e desastre nas estradas.
Marcelo de Oliveira Souza

O que fazem com a água?

As pessoas estão esquecendo que a água é um bem precioso, que se esgota. Mesmo o Brasil tendo uma das maiores reservas do mundo, estamos sujeitos a ter dificuldade de ter esse precioso líquido, como já acontece no sertão brasileiro. Apesar de possuirmos diversos meios de captação, inclusive os tecnológicos, não pensamos como esse precioso bem tende a se esgotar, aumentando a grande dificuldade de prover o bem natural. As pessoas se acostumaram a desperdiçar esse insubstituível produto; quando criança, auxiliado pelos professores, a consciência adulta floresce. Contudo, ao crescer, isso vai embora junto com litros de gastança.
Marcelo de Oliveira Souza

Empress

As pessoas vão tão animadas para entrar no navio que às vezes esquecem de conferir o estado da documentação, principalmente se forem para outros países. Para passarmos na alfândega e embarcarmos no Empress, a dificuldade é muito grande, pois temos que fazer o check-in e isso demanda muito tempo e paciência. Quando entramos no navio percebemos que o número de pessoas é muito grande, de várias partes do nosso imenso Brasil e outros cantos da América do Sul. A tripulação constitui-se de pessoas de vários idiomas. Cada recanto do navio parece um capítulo de um lindo sonho, onde a lei principal é divertir-se com muita pontualidade e ter muitos dólares para gastar, pois tudo lá é nessa moeda estrangeira.
Marcelo de Oliveira Souza

Visitando Ilhéus

Sentada em berço esplêndido a bucólica cidade de Ilhéus colhe os louros da natureza, com grande apelo turístico. Contudo, quando é para o investimento nesse grande dom natural, ela descansa na fronha do ostracismo. O município precisa investir no seu maior potencial, reformando a sua linda e imensa orla marítima, criando opções de turismo ecológico. Se existe, é para poucos, e o serviço não está sendo bem feito, pois lugares como a Lagoa Encantada, ficam escondidos de quem vai conhecer a região e dificilmente vai saber o que o lugar tem de melhor.
Marcelo de Oliveira Souza

Carnaval de novo?

Mais um carnaval vem chegando, agora com “gerente” novo. Até que sentimos que a cidade está tomando um rumo. Como muitas pessoas estão acostumadas com a tradicional baderna, vai ser muito difícil colocar as coisas nos seus devidos lugares. Os “abadás” começam a ganhar espaço e voltaram a valer como ouro, os camarotes pipocam pela cidade, ninguém quer saber nem se vai ter a devida segurança, vai logo entrando - esquecendo do desastre no Rio Grande do Sul – e preparando-se para a grande folia dos ricos. Existe um camarote que mesmo contra tudo e todos resolveu instalar-se logo encima de um posto de gasolina e se conseguir seu intento, o povo vai lá mesmo! Não importa se o local é de alto risco, acham que o risco maior é perder a folia momesca.
Marcelo de Oliveira Souza

A festa do caos!

O verão já chegou! O calor domina a nossa região nordeste. Salvador festeja o grande número de turistas que visita a nossa cidade, que aparecem de todos os cantos. Hoje uma grande porta para a nossa cidade soteropolitana é a visita de grandes navios transatlânticos, embarcações super modernas que atracam em nosso porto. Em um triste contraponto, logo ali de junto, vemos as filas enormes de carros que percorrem praticamente toda a região. São pessoas que tentam sair da cidade via “ferry-boat”. São poucas embarcações e, as que ainda resistem, são sucateadas. O povo ainda festeja na fila, numa paciência sepulcral, outros até festejam com muita cerveja a fila interminável, inigualável; abrem os seus carros com sons que tomam o porta-malas, abrem também o isopor de cerveja e comemoram a fila que não termina. Não querem saber a horas que irão sair daquela triste situação, “adernam” o seu veículo e deixam ao sabor do tempo.
Marcelo de Oliveira Souza

Amor por relógios

Essa peça preciosa deixou de ser uma ferramenta para o cotidiano para ser parte do vestuário. Só que esse amor podia ser muito perigoso, pois os que “amam” demais os relógios alheios não se controlavam, passando a fazer diversas falsetas em prol do “amor” pelo alheio. O dia que eu percebi o amor incontido por esse contador de horas, foi quando era adolescente, fui pegar uma paquera na escola e nos conduzimos ao coletivo, como naquela época a gente entrava pela frente e saía por trás, era uma beleza para esses apaixonados pelo “bobo”, a gente estava logo no banco que ficava na frente da porta de saída, a “traseira” como dizem aqui, foi quando uma mão escura passou como furacão, puxando o relógio de Adriele, ela se assustou e eu mais rápido ainda peguei o dito cujo pelo pulso, ele logo soltou a peça e saiu pulando igual a canguru, saltando do carro, foi um susto só, melhor para mim que ainda saí de herói e depois fica a cargo da sua imaginação a premiação.
Marcelo de Oliveira Souza

Alunos x Professores

A relação entre alunos e professores vem se deteriorando cada vez mais e os noticiários apontam para a falta de preparo dos profissionais de educação como sendo a causa desse grande problema. Muitas crianças estão criando autonomia, como muitos já afirmam. Usam celulares, internet e tudo que possa ostentar a maravilhas do mundo moderno, de forma desregrada, crescem e não tem orientação nenhuma sobre respeito, amor ao próximo e tampouco como se comportar na sala de aula. Muitos acham que os professores, por estarem dividindo o espaço, são meros coleguinhas, e o pior que são tratados como o “coleguinha” que veio reprová-los.
Marcelo de Oliveira Souza

O dia da consciência humana

O dia 20 de novembro passou a ser chamado o dia nacional da consciência negra, em homenagem ao grande herói Zumbi dos Palmares, um escravo fugitivo que conseguiu lutar contra o martírio da escravidão do homem pelo homem. Muitas pessoas esquecem de lembrar que esse importante dia poderia muito bem ser lembrado como o dia da consciência humana, porque a distinção de raças ainda assim vai ser evidenciada. Não podemos esquecer que somos humanos e por isso temos a obrigação de fomentar a união e não separação, com mágoas e protestos onde o tempo passa. A exploração do homem pelo homem continua de diversas maneiras, o ataque à natureza continua, aos pobres e desvalidos também, independente de raça.
Marcelo de Oliveira Souza

Trânsito mortal

A cidade de Salvador, nos tempos de hoje está sendo campeã em todas as formas de violência e de desgoverno. Como se não bastassem os assaltos, saidinhas e entradinhas bancárias, agressões às mulheres, uma outra forma de violência que está crescendo muito, a violência no trânsito. Muitos carros em ruas apertadas, avenidas sem planejamento e, quando nada, muito desrespeito ao próximo. O motorista soteropolitano é rival um do outro. A direção defensiva inexiste, o que vigora nesse trânsito do cão é o contrário, se o condutor sinaliza para um lado, o outro vem de trás desesperado apitando, empurrando o outro para o lado; se um motorista encosta no outro, o risco é de morte; essa semana um motoqueiro derrubou um retrovisor de um carro, o louco dono do veículo avariado saiu em sua perseguição e só sossegou quando deflagrou vários tiros, gerando mais um assassinato fútil no trânsito de Salvador; outro motorista que desviou-se de um dos inúmeros buracos que infestam a cidade, sem querer fechou o carro ao lado, ele ergueu o polegar, se desculpando e tomou um tiro na mão.
Marcelo de Oliveira Souza

Dia dos professores!

Nesse dia dos professores, vamos glorificá-los, pois a situação não está pior ainda porque os nossos heróis da caneta ainda norteiam muita gente que quer crescer, senão a anarquia geral e irrestrita já estaria dominando a “terra brasilis”. Grandes profissionais do magistério sigam em frente, sem olhar para trás, pois não existe mal que dure para sempre, e a vitória de quem pratica o bem é certa! Sempre comentamos com as pessoas que o professor de hoje é um verdadeiro super-herói. Tentamos passar adiante o que os profissionais da educação fazem em prol da sociedade, a sua importância no nosso meio.
Marcelo de Oliveira Souza

O prazer de brincar

O dia das crianças está chegando. Muitas lojas se animando e, como sempre, o consumismo vigora, tomando o espaço da mídia com muitas “ofertas” para comemorar o seu dia. O consumismo é tão grande que querem trocar o feriado nacional, que é de Nossa Senhora Aparecida, pelo dia das crianças. A homenagem do feriado é da padroeira do Brasil, mas como a nossa padroeira só alimenta a alma e não os bolsos dos empresários, a sociedade está esquecendo o feriado católico.
Marcelo de Oliveira Souza

A volta do horário de verão!

Quando há propaganda política percebemos como a falsidade reina, políticos rindo à toa, abraçando com humildade a classe desfavorecida. Antes de entrar no poder os “poderosos” nos chamam de patrão, amigo, colega, tomam café com o povão, na xícara sem asa. Até em ônibus eles passam a frequentar! Até hoje não sabemos porque o povo aceita esse afago maldito, sabendo que ao chegarem ao poder o “jogo” muda. Aproveitemos que a memória ainda está fresca e percebamos o quanto estamos sofrendo com o prefeito João que desistiu da cidade e com o governador Jaques, que castiga o nosso povo de tudo quanto é forma, agora ele inventa o retorno do horário de verão, ninguém que trabalha e acorda cedo quer, e o que recebemos?
Marcelo de Oliveira Souza

Brasileira vende virgindade

Antes, essa condição que era tão valiosa, um símbolo que era levado até o casamento, uma prova de amor para com o cônjuge, hoje virou mercadoria. Assim que a estudante Catarina fala sobre a sua virgindade, a mulher foi selecionada por um programa australiano Procurando Virgens, essa pessoa que colocou a sua condição em leilão, já tem diversas propostas, a maior delas já ultrapassa duzentos mil reais. A sua genitora foi inquirida sobre esse leilão, foi dito que ela queria somente a felicidade da filha, não falou em apoiar, mas a imprensa sensacionalista já disse que os pais apóiam.
Marcelo de Oliveira Souza

Dezesseis anos de violência

Quando as pessoas falam que o Apocalipse está chegando, muitos incrédulos torcem o bico, pensam que pertencemos a alguma religião. Entretanto há muitos casos que a bíblia antevê comportamentos que não podemos aceitar, como o caso de filhos baterem em pais e mães, roubarem seus genitores, humilhá-los e até os comerem. Isso mesmo, lá no Rio de Janeiro, na Baixada Santista, um adolescente de dezesseis anos atacou sua mãe de trinta anos de idade, arrancou o seu olho e o comeu.
Marcelo de Oliveira Souza

Os pingüins são humanos!

Os lindos pingüins da Patagônica estão pegando carona em uma correnteza e estão chegando às dezenas em Salvador, eles vêm cansados e estressados com toda essa turbulência. Os órgãos ambientais preocupados com a vida dos animaizinhos estão recolhendo os bichinhos para dar uma assessoria, eles são recolhidos e alimentados com sardinhas e uma mistura de alimentos rica em proteínas para se recuperarem e voltarem ao seu habitat natural. Infelizmente, a vida animal está valendo mais do que a de muitas pessoas. Os mendigos que permeiam muitas partes da cidade e inclusive o centro urbano, são verdadeiras peças invisíveis, não tem nenhum órgão que os ajude ou os encaminhe para um tratamentos ou assistência social. Muitos deles adorariam receber sardinhas na boca e principalmente uma mistura rica em proteínas, nem precisa colocar na sua boca, eles mesmos fariam o serviço.
Marcelo de Oliveira Souza

Solar do abandono!

Até hoje ninguém sabe por que o Parque Solar Boa Vista não teve a devida atenção dos governantes. Se falássemos a qualquer pessoa instruída, em qualquer parte do mundo, que existe um lugar com uma belíssima área, com muitas árvores frondosas, ambientes propícios para equipamentos infantis, com um anfiteatro, além de abrigar um teatro, que ainda tem uma área para estacionamento, justamente em uma cidade que não tem opções de lazer, que vive espremida entre favelas e esse lugar está perdendo espaço para lava-jato, estacionamento de caminhões, caçambas e carro, e que esse mesmo lugar é histórico, onde residiu um dos maiores escritores da literatura brasileira, Castro Alves, o que uma pessoa em seu perfeito juízo iria dizer?
Marcelo de Oliveira Souza

Subúrbio entregue, cidade entregue…

Nessa época eleitoral parece até que o nosso prefeito jogou a toalha, ninguém vê mais nenhum sinal que Salvador está sendo administrada. A cidade de Salvador está totalmente entregue ao próximo prefeito, não precisava nem esperar até janeiro, pois quem vai sofrer mais ainda são os moradores da soterópolis, que estão ficando cada vez mais sós. A Estação da Lapa está deprimente, as pessoas que transitam pela região já não agüentam mais, escadas quebradas, violência, escuridão, vazamento, temos que torcer para o local não cair, pois só falta mesmo isso, a insegurança é total, estão falando até que tem um estuprador oportunista, porque oportunidade não falta, pessoas com interesses escusos e desocupados ficam rondando as pessoas que ficam sofrendo na fila, quando o ônibus aparece vêm junto outros desocupados que ficam assediando as pessoas que adentram no transporte para que elas usem o cartão “deles” ou de outras pessoas que ninguém sabe quem é, o motorista vê o erro e finge não perceber nada.
Marcelo de Oliveira Souza

Querem assar o Assad

Quando surgiu a “Primavera Árabe” muito ditadores “levantaram as orelhas” para se precaver contra a cultura dita democrática, que os países fazem questão de exportar para os outros lugares como receita de sucesso para todo o globo terrestre. Antes disso já havia o fato de Saddam Russain ter sido perseguido e derrubado sob o pretexto dele ter armamentos de destruição em massa, que até hoje procuram; o que não resistiu mesmo foi o pescoço do antigo ditador, que num instante saiu como culpado por inúmeros crimes de guerra, feitos contra o “seu” povo. Mas o tempo passou e o primeiro a sentir o poder do martelo da democracia foi o “dono” do Egito, Hosni Mubarak, ele ainda tentou resistir, mas se atolou diante da revolta do povo e começou a revolução, depois de muita luta e desistência de sua equipe militar o homem sucumbiu, sendo julgado por crime contra a humanidade.
Marcelo de Oliveira Souza

A maioridade penal

Todos nós sabemos que o índice de violência vem aumentando, nas grandes e até nas pequenas cidades, devidos a vários fatores. O principal fator é a dissolução da família, a primordial instituição, pois quem não respeita pai e não respeita mãe, certamente não irá respeitar mais ninguém, indo sofrer as conseqüências na rua. O outro fator é a maioridade penal, com a nova lei que defende os menores, eles se equivocam bastante, achando que não podem ser presos, mas para isso criaram o eufemismo “apreendido” ou pena sócio-educativa, esse equivoco causa um monte de confusão na cabeça dos adolescentes.
Marcelo de Oliveira Souza

Independência do Brasil

No dia sete de setembro é comemorada a maior data cívica brasileira, quando foi proclamada a nossa independência. Muitos comentam sobre o que aconteceu para que D. Pedro I resolvesse proclamar a independência de seu pai, D. João VI, onde ele recebeu uma mensagem e irritado gritou que as cortes portuguesas estavam querendo nos escravizar. O homem resolveu dar uns gritos aos quatro cantos do riacho Ipiranga e já estava proclamada a nossa independência, depois de um tempo o novo imperador começou a ter problemas para lidar com o povo brasileiro e assim cedeu o seu trono para seu filho ainda pequeno, tendo como tutor José Bonifácio.
Marcelo de Oliveira Souza

Ponto do caos!

Todos que moram em Salvador sabem que a nossa cidade está um caos, no trânsito, na saúde, na violência, na falta de educação de muitas pessoas. Tudo isso junto ainda não é o fundo do poço, pois como vemos na foto, as pessoas não respeitam nem ponto de ônibus, é carro parado em todos os cantos, do lado também tem, tem até carro oficial estacionado no ponto de ônibus, as pessoas que saem do conjunto Edgar Santos, Boa Vista de Brotas, Salvador, são obrigadas a dar a volta por trás do transporte quando eles param no meio da rua para pegar os passageiros, correndo grande risco de colisão.
Marcelo de Oliveira Souza

Olimpíadas para os outros

Chegam ao fim os Jogos Olímpicos, muita festa para os países que se esmeram durante anos para desfilar suas bandeiras e mais do que isso, a sua ideologia, posição social e tudo que uma nação possa divulgar ao mundo. A hora de uma “naçãozinha” “gritar” para o globo a sua existência, pois todos somos parte do nosso imenso e lindo planeta. Contudo, quando vemos um país de dimensões continentais, com uma população de vários biotipos como o Brasil, é inaceitável que essa nação fique atrás de Irã, Cazaquistão e Coréia do Norte; até mesmo da Jamaica.
Marcelo de Oliveira Souza

A cidade dos errados

Estacionamento na cidade do caos existe muito pouco, quando colocamos o carro na rua, têm aqueles “flanelinhas”, que cobram para não riscar o seu veículo, ou até fazer coisa pior, todos sabem dessa “lei”, mas o pior que a “lei do cão” vigora e ninguém tem peito para coibir esse absurdo! Placas de sinalização não são respeitadas, motoristas de ônibus disputam com os taxistas e motoboys. Na companhia de trânsito não tem gente suficiente para multar, pois o que tem de gente infringindo a lei do trânsito e o que tem de multas não dá para mensurar, o que não entendemos é para onde vai esse dinheiro, porque em melhorias de sinalização e asfaltamento não é.
Marcelo de Oliveira Souza

Mídia, cinema e violência

A mídia trabalha como um pêndulo apontando para o bom e do mau caráter, contudo o que pensar sobre uma greve de professores que possa passar mais de cem dias e a imprensa não comenta diariamente e o governo finge não acontecer nada? Em contrapartida, quando aquele time de massa perde, o horror se estampa no rosto da torcida, pois podemos ficar cem dias sem educação, mas se o time do humilde ficar três partidas sem vencer, o mundo acaba. A imprensa vai diariamente às ruas para cobrir esse fato, até comediantes são contratados para isso.
Marcelo de Oliveira Souza

Escadaria do desespero!

Acreditem! A prefeitura de Salvador inventa um metrô que demora doze anos, ainda não é concluído e nem temos a idéia de quando será! Entra prefeito e sai prefeito, milhões jorram na fonte inesgotável do orçamento público e ainda querem mais dinheiro para poder concluir uma obra que não é longa. O pior é que muitos trilhos já estão enferrujados e algumas estações depredadas, além de não zelar pelo patrimônio público, essa escadaria que fica atrás da estação de Brotas, é um antro de porcaria, as pessoas que descem de um ponto de ônibus criado para descer na frente da estação são obrigadas a subir nesse local lamacento e perigoso.
Marcelo de Oliveira Souza

Condução

Chegando ao trabalho tomei aquele susto com uma pessoa, sentada na parada do transporte, perna inchada e jogada no chão dia após dia, a sua necessidade era tão grande quanto o seu tamanho, com problemas de saúde, ninguém a notava. Na nossa correria ela estava ali, sofrida despercebida por muitos, outros enojados torcem o nariz para ela, que diante de tantas dificuldades, não sucumbe diante da dor, balança o corpanzil e sorri, esperando a providência divina, porque se depender dos mortais ela continuará ali, ocupando o terminal de ônibus, parecendo esperar a hora da condução eterna.
Marcelo de Oliveira Souza

Salão da enganação

O poder da imprensa é tão grande e inquestionável que se uma repórter de um canal de televisão disser que vai chover, todos saem de guarda-chuva num perfeito dia de sol. As pessoas acostumaram a não questionar a televisão, os senhores da verdade, poder de quem manipula a mídia. Como a repórter saiu falando maravilhas do Salão do Chocolate, provando as maravilhas do cacau, no Centro de Convenções, quem vai dizer que não é verdade?
Marcelo de Oliveira Souza

A política do açougue

Com a aproximação das eleições, os partidos políticos se arvoram para conseguir o poder, outros para continuar acima da carne seca. Surgem muitas coligações com todos os tipos de partidos, inclusive os partidos formiguinhas, aqueles inexpressivos, que estão aí aos montes, correndo para lá e para cá, sem ter condições de sustentar um candidato de peso, ficam à procura de um lugar ao sol, esperando desesperado um convite para integrar uma legenda, inventam um nome bonitinho como “Salvador vai mudar” e pronto é só sair pela cidade gritando e prometendo tudo, mas o importante é que esse partido formiguinha tenha uma parte nesse pedaço de carne fresca retalhada, nem que seja o rabo.
Marcelo de Oliveira Souza

Dois de Julho

Data magna da Bahia, comemorada mais que a independência do Brasil, essa grande festa cívica mobiliza toda sociedade baiana. Comemorada todos os anos a partir do dia 25 de junho, cujo governo se transfere temporariamente para a histórica cidade de Cachoeira, onde foi o início de toda essa vitoriosa conjuração. Muitos personagens ganharam os murais da história, em que a população juntou-se com os militares locais para consagrar a independência do Brasil.
Marcelo de Oliveira Souza

Dia dos namorados do século XXI

Os namorados de antigamente tinham ainda uma visão romântica do relacionamento: cartas de amor, o carinho de pegar na mão, o olhar de atenção e cumplicidade entre os casais; nem precisou demorar muito tempo, mas a barreira do século XXI parece que foi um divisor de águas. Hoje em dia as coisas se transformaram, as cartas de amor sucumbiram para a rede social, o msn; as pessoas têm medo umas das outras, costumam confiar mais no mundo virtual; os crimes hediondos tem aumentado, muitos amantes abandonados agora passam a odiar e ameaçar o seu antigo amor. Por isso, no dia dos namorados, não adianta jurar amores, muito menos arranjar namorado ou namorada de última hora para ganhar presente, o que importa mesmo é quando aquela semente do amor brota devagarinho com o primeiro olhar e vai amadurecendo no cotidiano e aos pouco vivermos a verdadeira plenitude de amar no dia dos namorados.
Marcelo de Oliveira Souza

Suicídio virtual no mundo real

Todos sabem da grande importância que tem os meios de comunicação, e sabemos mais ainda da revolução tecnológica que ocorreu nesses últimos dez anos com o advento da internet. Contudo é deveras preocupante o direcionamento que os relacionamentos de redes sociais, comunicadores e outros tantos programas e sites, que mexe com a cabeça da criança e do adolescente. As redes sociais são proibidas para menores, contudo muitas crianças cansam de fazer perfis, de usar comunicadores e até chat de bate-papo, os pais pensando que em casa elas estão seguras, não ligam para o que elas fazem, desde que estejam trancadinhas em seus quartos.
Marcelo de Oliveira Souza

O quarto poder

A nossa democracia de fachada, vem se adaptando e, ao contrário da ditadura que persegue os poderes da liberdade, os políticos assumem os maiores desmandos. Como o brasileiro tem memória curta, um dia sai na imprensa sobre o político corrupto, chegando até a ser expurgado no meio dos mal feitores do planalto central; mas demora um tempinho eles voltam com toda pompa de salvador da pátria. A imprensa acostumou-se a ter um papel fundamental na nossa “democracia”, mas aos poucos esse mesmo órgão poderoso, ultrapassa o limite da investigação dos fatos e passa a ser delegado, interrogando no ar suspeitos, fazendo chacota com o suposto bandido; outras vezes toma a clava da justiça para julgar e disseminar sua opinião sobre determinado assunto.
Marcelo de Oliveira Souza

Cidade destruída

Não é de hoje que é comentado sobre os maus tratos que a cidade de Salvador vem sofrendo. Buracos crescem a cada dia, praças abandonadas e tudo referente ao poder público vai se destruindo. O metrô que rende críticas a mais de metro, não termina nunca, o sistema de transportes claudica em meio a um trânsito caótico, cheio de engarrafamentos e de motoristas sem preparo principalmente psicológico. A cidade de Salvador tornou-se um cartão postal devido à sua importância, mas esse trabalho de décadas pode ruir.
Marcelo de Oliveira Souza

A verdade está lá fora!

Será que podemos dizer que só nós podemos ter um planeta habitável? Será que tudo isso não é de interesse de um pequeno grupo de pessoas, para que a sociedade não entre em colapso? Essa questão de existência de vida fora do planeta é muito controversa, contudo temos que ter a nossa mente aberta, preparada para todas as hipóteses, isso é pensar cientificamente, será que Deus deu o dom do pensamento e criatividade somente para a raça humana, tão arrogante e imperfeita? Dentre inúmeros planetas existentes, será que somente o nosso é o premiado com civilização? Aqui mesmo na Terra temos diversos ambientes, muitos improváveis para vida como conhecemos, mas existindo formas variadas de vida.
Marcelo de Oliveira Souza

Dia das mães

Como todos os anos, esse dia é muito marcante para toda a nossa sociedade e como toda grande comemoração importante, essa data serve como reflexão. Em tempos de internet e redes sociais, a velocidade da informação é instantânea, muitas mães aproveitam isso para poder se aproximar dos rebentos, mas o excesso de liberdade à criança e, principalmente, aos adolescentes pode prejudicar a relação ao invés de ajudar; as mídias televisivas como novelas, muitas vezes mostram mães sendo agredidas verbalmente, achincalhadas e tudo que possa denegrir essa sublime função de ser a “maestra” do lar.
Marcelo de Oliveira Souza

Perdidos na tribo

A nossa sociedade é plural, assim como as famílias, todo mundo tem um pensamento, um modo de agir, uma rotina. O ser humano também tem as suas idiossincrasias, tornando maior ainda a complexidade humana, quando viajamos para uma cidade vizinha ou para um estado vizinho, principalmente aqui no nosso país de dimensões continentais, percebemos as diferenças da nossa cultura; imagine se viajássemos para um país onde somos praticamente obrigados a dormir em cima de porcos e outros animais domésticos, usar excrementos de cabra como colchão, mulheres obrigadas a não tomar banho e o pior, as pessoas não conhecem o papel higiênico, usam confortavelmente a pedra no meio do caminho.
Marcelo de Oliveira Souza

Dia do trabalhaDOR 2012

Lá pelos anos de 1886, realizou-se uma grande manifestação para redução da carga horária, esse evento teve a participação de milhares de pessoas, que cansadas de exploração, reivindicaram a redução de jornada de trabalho, mesmo com muita luta, conseguiram o seu intento. Como isso era um caso incomum, foi até criado o dia do trabalho em homenagem a esse evento de luta do trabalhador. Mais de um século depois, os trabalhadores ainda são explorados, seja pelos empresários, seja pelos governadores, que dirigem os seus cargos como se fossem donos perpétuos desses postos, para muitos até pode ser, pois o poder muitas vezes é revezado de pai para filho, de marido ou esposa ou para alguém de extrema confiança, mostrando que na política, não é qualquer um com boas intenções que pode ser eleito para um cargo público, é preciso muito dinheiro, a grande mola da humanidade.
Marcelo de Oliveira Souza

O Brasil vai bem e o seu povo vai mal!

A mídia sempre alardeia o bom momento em que o Brasil passa, o consumismo acelera, quem está fora do país pensa que a nação está muito bem, grandes investimentos, Copa do Mundo, mas a nossa pátria continua com a segregação entre ricos e pobres, honestos e bandidos. Infelizmente, o ser humano íntegro está perdendo espaço, virou modelo de “idiota”. Eem todos os cantos vemos os maus exemplos triunfando. A nossa sociedade separa, aponta, e vende a falsa idéia do brasileiro esperto. O Brasil precisa mudar. Se tivesse governantes em sua totalidade honestos e com bons pensamentos, jamais poderia admitir pessoas brigando por lixo. A sociedade cega finge que isso não existe, mas a revolta está aí, a violência, o tráfico de drogas cresce, o peculato também, somente o pobre vai preso ou morto, os ricos agora compram carros blindados, mas infelizmente eles não podem blindar toda a família, inclusive a sua alma.
Marcelo de Oliveira Souza

Semana da PÁZcoa

Todos os anos durante essa semana, sempre falam sobre a importância do sofrimento de Jesus Cristo, para a melhoria da humanidade, a sua compaixão e o seu amor descomunal pelas pessoas. Através dos anos a sua mensagem ficou, principalmente nas festas de final de ano, seu nascimento e durante a quaresma, marcando o seu passamento, onde nessa época as pessoas se reúnem para “comemorar” com presentes e muita bebida. Agora chegou a vez da Semana Santa, as indústrias já planejam o faturamento desde o início do ano, ovos de todos os tipos, tamanhos e formas, com tudo dentro, desde recheio até brinquedos, transformando essa data de consternação e reflexão na “festa do vinho” e do “ovo de páscoa”, nenhum segmento de imprensa ou até de propaganda não mostra qual é a relação do vinho, sangue de Jesus e do ovo, a transformação da vida terrena na vida espiritual
Marcelo de Oliveira Souza

O cachorro do Ronaldinho

De repente aparece uma grande fã do jogador, com um animalzinho branco nos braços, presenteando-o em rede nacional, no seu programa matinal. Na mesma hora, pego-me pensando quanta gente queria ser aquele cachorrinho, algumas do sexo feminino até abanariam o rabo, mas não seria bom, porque elas logo queriam dar encima do seu novo dono, assim só poderia mesmo ser do sexo masculino, um macho, desempregado, sem família, sozinho no mundo, mas educado para ser um animalzinho de estimação, ele teria todos os mimos dos cãezinhos dos famosos, garanto que não ia faltar gente, poderia acompanhar o dono em todas as suas facetas, dividir o amor e carinho das grandes personagens do mundo esportivo, seria uma verdadeira estrela.
Marcelo de Oliveira Souza

Mulher admirável

Quando falamos daquela mesma história da mulher ser o sexo frágil, ainda pensamos naquele estereótipo do século passado, onde o sexo feminino não podia nem votar, expressar os sentimentos, cujo homem seria o chefe da família. Nos tempos modernos, felizmente isso mudou muito, as mulheres mostram que a diferença entre os sexos está na cabeça de quem enxerga, ela conquistou o seu espaço e hoje não precisa mostrar mais nada. Hoje todos nós percebemos que o “sexo frágil” não existe, a força de vontade sempre esteve com ela, faltava era a oportunidade de mostrar todo o seu valor, sua garra, pois a mulher é um corpo só que se divide em vários, produzindo, acalentando, apaziguando, amando e até governando.
Marcelo de Oliveira Souza

Vamos salvar o Hospital Aristides Maltez!

Todos nós sabemos que a saúde no nosso imenso Brasil anda claudicando, tropeçando encima da má vontade política, na melhor das hipóteses. Os hospitais públicos de Salvador não ficam por menos, falam-se de reformas estruturais de altos conceitos, mas no final é sempre aquela agonia, O SUSto é o último reduto dos desesperados, aquele que infelizmente não se planejou para ter um seguro saúde ou pior, aquele que não tem a mínima condição de se planejar para tal “luxo”. Pondo sua vida em risco, o desesperado paciente ruma para um dos hospitais públicos, totalmente abarrotados de gente, à proporção que a cidade cresce, os leitos diminuem, numa imperfeita equação.
Marcelo de Oliveira Souza

Ano letivo 2012

Imaginemos o aluno que em seu primeiro dia de aula, aparece sem material escolar, com o celular na mão e até com aparelho de som; cheios de brincadeirinhas, conversinhas, será que encontramos o aluno interessado? Quando o professor chega à sala de aula, ele observa isso tudo, percebe o aluno comprometido e o que não está se importando muito com o próprio futuro, pois quem pula etapas ou quem vai para escola somente para passear, fingindo estudar, não está prejudicando ninguém, somente a si mesmo; o pior é que tem uns que admitem que não querem nada, mas ficam dois turnos no colégio somente abusando colegas e professores, chegam ao ponto de ficar na porta ou até entrar numa sala de aula, mesmo que não seja a dele somente para provocar e agredir a todos que estudam e ensinam, é um grande problema.
Marcelo de Oliveira Souza

Vai começar a agitação!

A agitação toda na greve dos policiais foi somente por causa da aproximação do carnaval que move multidões, aqui na nossa cidade. As pessoas passam a esquecer os problemas do cotidiano, a saúde continua se arrastando, a dengue vai contaminando, ninguém mais fala em doenças sexualmente transmissíveis, o que é transmissível nesse momento é o tal do “Abadá” o pano de chita mais disputado do mundo e, por conseguinte, o mais caro, os “felizardos” começam a se assanhar para pegar o seu trapo e tentar minimizar o prejuízo, procurando alguém que possa modificar o visual do seu paninho. A cidade se prepara da maneira que pode, sem estrutura nenhuma, as pessoas têm que se prevenir contra os assaltos, furtos, empurrões e bebedeiras; o engarrafamento que já é “normal” na cidade passa a ser um absurdo, o caótico trânsito vira um pandemônio, todos indo para o mesmo lugar, os donos da rua que dominam cada região em Salvador, extorquem mais ainda, pois na área “deles” ninguém estaciona sem o seu “aval”.
Marcelo de Oliveira Souza

Caos em Salvador

De repente o que nós sempre temíamos aconteceu, mesmo com todo aquele drama ocorrido na antiga greve dos policiais. Começando devagarzinho o trânsito foi parando, na paralela que vive engarrafada, incautos encapuzados tomam dois ônibus para atravessá-los na avenida; corre-corres em todos os lugares; lojas saqueadas em todos os cantos; ônibus e bancos alvos de atentados; a Estação Pirajá virou um verdadeiro limbo de sofrimento, diversos arrastões, assassinados, o povo esperando a condução durante horas e só o que aparecia mesmo eram pessoas horrorizadas e assustadas com tanta barbárie, em prantos usuários ou sofredores da estação imploram pelo transporte que não aparece, pânico geral.
Marcelo de Oliveira Souza

A cidade que encolheu

A cidade de Salvador gradativamente vai perdendo os seus espaços públicos de lazer, deitada no berço da fama ela vai encolhendo. As oportunidades de diversão soteropolitanas estão reduzidas, parques como o da Lagoa do Abaeté, a lagoa reduziu o tamanho; o parque de Pituaçu, muito bonito, mas não podemos dar a volta com segurança nesse belíssimo local; o Parque da Cidade, também inseguro, somente podemos ficar na frente, se resolvermos adentrar no local, podemos não voltar.
Marcelo de Oliveira Souza

O Rio de Janeiro…

Logo quando chegamos, ficamos perdidos diante da imensidão do aeroporto, só para contrariar ainda o nosso translado para o hotel nos deixou na mão, não aparecendo na hora combinada, caímos na velha conversa do taxista carioca de não existir taxímetro, pagando assim um preço absurdo pela viagem. Passando por esse trauma, começamos a nos aclimatar, vislumbrando aquela paisagem que só o Rio de Janeiro tem, aquele ar bucólico de montanhas onde a jóia do desenvolvimento soube usar perfeitamente os seus espaços, tudo em seu devido lugar.