Principal » Artigos de Litza Mattos
Litza Mattos

Neurotecnologia lê a mente e conecta o cérebro

Os cientistas já sabem que o cérebro é a máquina mais poderosa de que se tem conhecimento, por ser ele que comanda todo o corpo. Por isso, tantos esforços são aplicados para desvendar os mecanismos de atuação da mente humana. Estamos próximos de uma revolução em que a atividade cerebral irá fundir-se aos computadores e dominar também os aparelhos
Litza Mattos

Decreto de Trump dificulta emissão de visto a brasileiros

Brasileiros que desejam solicitar o visto de entrada no Estados Unidos, a partir de agora, também serão impactados pela mesma ordem executiva emitida pelo presidente Donald Trump na última sexta-feira, dia 27, que baniu a entrada de refugiados sírios no país e vetou o ingresso de cidadãos de sete países de maioria muçulmana no país por 90 dias.
Litza Mattos

Cientistas descobrem como produzir petróleo com esgoto

Com uma pressão extremamente elevada e uma temperatura de mais de 350°C, em 45 minutos cientistas conseguiram transformar esgoto em um biocombustível com características semelhantes às do petróleo. O estudo com os resíduos que seguem vaso sanitário abaixo usa uma tecnologia chamada de liquefação hidrotérmica
Litza Mattos

50% das prisões são desnecessárias

Conforme último relatório do CNJ, a implementação das audiências de custódia no país já revelou que 50% das prisões preventivas são desnecessárias. Com mais de 600 mil presos, o Brasil é o quarto país do mundo que mais encarcera pessoas. Com isso, algumas penitenciárias acabam se tornando meros depósitos de detentos.
Litza Mattos

Custo por preso é 60% maior em penitenciárias privatizadas

A crise do sistema prisional brasileiro foi agravada nos primeiros dias do ano por uma onda de rebeliões que provocou a morte de 95 pessoas em presídios superlotados do país. Nos últimos anos, o déficit de mais de 250 mil vagas e o mau funcionamento do encarceramento fizeram o poder público apostar nas privatizações como solução para o caos nas unidades penais.