Início » Archive by category "Irapuan Costa Junior"
Irapuan Costa Junior

Ronald Reagan e a queda do comunismo

Ao final de seus dois mandatos, Ronald Reagan ficaria conhecido como um dos principais presidentes americanos, com estatura comparável à de Theodore Roosevelt e Franklin Roosevelt. Sua política econômica, a “Reaganomics”, foi um sucesso, após os fracassos deixados por Jimmy Carter. Reagan cortou impostos, diminuiu gastos públicos, criou dezesseis milhões de empregos e conseguiu um crescimento médio de 8% no PNB americano
Irapuan Costa Junior
Irapuan Costa Junior

Fidel Castro socializou a pobreza em Cuba

Fidel Castro fez noventa anos dias atrás. A imprensa, com sua conhecida inclinação, tratou o nonagenário com a habitual boa vontade. Noticiou o fato quase festivamente, esquecida (ou lembrando, mas não se importando) que o ditador matou, prendeu, tirou a liberdade de movimento de duas gerações, além de mudar a ilha de próspera para indigente.
Irapuan Costa Junior

O cinismo do politicamente correto

O “politicamente correto” encampou em nosso país a indulgência com os criminosos e a severidade com os policiais, que tem resultado em graves prejuízos para a sociedade e para quem tem o dever de protegê-la. O “politicamente correto” chegou ao cume na vizinha e socialista Venezuela. Não há comida, e nem existem produtos de higiene. PT quer o mesmo para os brasileiros?
Irapuan Costa Junior

Comunistobrás destruiu a Petrobrás e está destruindo o Brasil

O Brasil é mesmo um país diferente (...) Característica nossa, e só nossa: comunista aqui não gosta de capitalismo, mas gosta de capital. Viver como comunista, só Mujica, no Uruguai. (...) A comunada está atrasando a vida de quem tem juízo e trabalha. Destruiu a Petrobrás e está destruindo o Brasil.
Irapuan Costa Junior

A caixa preta do BNDES

Nem vamos examinar os últimos escândalos envolvendo Petrobrás e Eletrobrás, já suficientemente anunciados (embora apenas em parte) na operação Lava-Jato. Vamos dizer algo de um problema que ainda está por ser revelado, na sua maior parte: chama-se BNDES. O governo de Dilma emprestou 33 bilhões para cinco aliados de esquerda. É a caixa preta do BNDES! O déficit do governo petista é de 30 bilhões. O petismo “subsidiou” investimentos em Cuba, Venezuela, Nicarágua, Argentina e Angola.