Principal » Artigos de Herivelto Quaresma
Herivelto Quaresma

Ainda os velhos padrões de manipulação da informação, infelizmente!

Para o pessoal de memória curta que alerta que a Venezuela está descredenciando a CNN do território nacional, segue notícia que, eventualmente, pode interessar: "Estados Unidos aprovam medida para interferir no sinal da TV Sul". Além de tentar interferir no sinal da Telesur na própria Venezuela, os EUA tentam impedir a atuação da emissora no país (bem como já fez o presidente do México), por meio de diversos artifícios conhecidos dos colegas, como o não credenciamento em coletivas. Pelo simples princípio da reciprocidade, já seria mais do que o suficiente para o presidente venezuelano Nicolás Maduro adotar a medida, soberana. Lembremos que a CNN é uma espécie de emissora queridinha da Administração Obama, em contraposição a outras emissoras locais, bem mais críticas. A justificativa para o atropelo à soberania do país latino-americano em relação ao sinal da Telesur: a "necessidade de contrapor o anti-americanismo" do então novo canal, fundado por Uruguai, Argentina, Cuba e Venezuela.
Herivelto Quaresma

Punições relativas e oportunistas

Desde junho de 2013, absolutamente NINGUÉM foi punido pela violência contra manifestantes. Centenas de pessoas ora ficaram cegas, ora morreram, ora feridas, ora tiveram sua saúde prejudicada saúde, ora perderam seus equipamentos e outros bens. Agora, um cinegrafista é morto. Em uma semana a presidenta da República se pronuncia, o caso conta com apoio federal e é resolvido. Antes que algum oportunista suponha que isso "relativiza a vida": toda morte trágica, especialmente a que é fruto de violência social, deve ter nosso repúdio e rápida solução para a punição exemplar. Quem dera nossas autoridades e parte da imprensa não relativizassem tanto assim as vidas, como foi claramente este caso.
Herivelto Quaresma

Estado e mídia de braços dados!

Estou absolutamente impressionado com a cobertura das redes de TV e rádio, principalmente a Rede Globo e seu jornal impresso principal, "O Globo", sobre a violenta repressão contra professores e manifestantes nesta semana no Rio de Janeiro. Impressiona o descompasso com as ruas. Uso inacreditável da palavra “confronto”, sem que haja uma única foto que comprove isso; a tal “infiltração” dos Black Blocs, quando a raiva era de todos contra um sistema opressor – eu vi desde meninos de 05 anos até executivos muito bem vestidos quebrando bancos, ninguém me contou, eu vi – e minimização da violência policial contra manifestantes pacíficos, uma violação flagrante dos direitos humanos.
Herivelto Quaresma

Os 109 anos do América Futebol Clube

O América Futebol Clube é um verdadeiro fenômeno, porque mesmo quem não gosta de futebol e não tem um time de coração, simpatiza com o América. Eu sou um desses. Não entendo nada de futebol, nem de esporte algum, mas simpatizo com o América. E simpatizo com seus torcedores de coração, já que nunca os vi provocando brigas ou desordem, até porque como não são tantos, eles formam uma espécie de confraria, sempre muito divertida. Tenho uma vivência interessante com o América. Meu pai é “americano” de coração, daqueles que vão ao estádio do América lá no calorento município de Mesquita assistir aos jogos da segunda divisão ou série B, já que hoje em dia raramente o América está entre os grandes times do Rio de Janeiro, embora sempre seja um grande time.
Herivelto Quaresma

Rio de Janeiro: entre os crimes de Estado e a criminalização da pobreza

Os atuais governantes do Poder Executivo do Rio de Janeiro – o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes – chegaram ao poder com um importante discurso de combate à violência. Cabral, por exemplo, fundamentou sua campanha de 2006 na criação do policiamento comunitário e do combate ‘sem tréguas’ da criminalidade. Em 2008, o então candidato Eduardo Paes chegou a propor em um programa de televisão que a “polícia mineira”, formada por “policiais e bombeiros”, poderia “recuperar a soberania” de uma região da Zona Oeste do município. Paes começou sua carreira política como subprefeito na região, na gestão César Maia.
Herivelto Quaresma

Registro de caso de tortura em praça pública no Ceará em junho de 2011

Mais um registro de como o Brasil – neste caso em específico, o Ceará – ainda precisa aprender o que é democracia. Um rapaz tenta ver seu filho e negocia com a ex-mulher sua entrada na casa. Ela nega, o que é um direito. A polícia é chamada, até aí tudo bem. Eis que os policiais, após realizarem diversas ameaças, agridem covardemente o rapaz, em vez de agir de acordo com a lei. O registro de tortura e espancamento do rapaz é feita por um vídeo amador, em plena luz do dia, e os policiais nem sequer se importam com isso. O vídeo foi divulgado pelo Portal Jangadeiro no dia 21 de junho deste ano.
Herivelto Quaresma

Homem-forte de Eduardo Paes é testemunha de defesa de milícia no Rio, denuncia deputado Marcelo Freixo

Na última terça-feira (18/10), ocorreria no Rio de Janeiro um importante julgamento de parte das poderosas milícias que atuam no Estado. Entre os nomes, estavam um ex-deputado e um ex-vereador, indiciados pela CPI das Milícias e presos posteriormente. O ex-deputado Natalino José Guimarães; seu irmão, o ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho; o ex-PM Luciano Guinancio Guimarães; e Leandro Paixão Viegas, o ‘Leandrinho Quebra-Ossos’, respondem pela tentativa de homicídio do ex-cobrador de van Marcelo Eduardo dos Santos Lopes, que denunciou o grupo em 2005.
Herivelto Quaresma

Gasto com dinheiro público para evento de um dia da Copa de 2014 no Rio de Janeiro chegou a R$ 30 milhões

No dia 30 de julho de 2011, houve um ato político de propaganda e lançamento dos grupos eliminatórios da Copa do Mundo, no salão de festas da Marina da Glória, no Rio de Janeiro. O ato durou aproximadamente três horas, teve ampla cobertura do Jornal Nacional e da grande mídia brasileira. Participaram dele a Presidenta Dilma Rousseff, o presidente da FIFA, o governador do Rio de Janeiro Sergio Cabral, o prefeito Eduardo Paes, o Ministro dos Esportes, o todo poderoso presidente da CBF Ricardo Teixeira e artistas globais que se revesavam entre chefes de cerimônia e apresentadores culturais.
Herivelto Quaresma

Para não ter mais dúvidas sobre onde estão os bandidos no Rio de Janeiro

É isso o que o Governo do Estado do Rio de Janeiro chama de “autonomia com responsabilização”: dá o cargo para qualquer bandido e retira eles só depois que, por exemplo, uma juíza independente que estava acabando com quadrilhas inteiras de grupos de extermínio é morta, cruelmente morta. Não era só a juíza Patrícia Acioli que estava ameaçada, nem era a primeira vez que queriam matá-la. Um inspetor da Polícia Civil de São Gonçalo também estaria marcado para morrer por “distorcer” os registros de auto de resistência
Herivelto Quaresma

Setor de segurança privada emprega 20 milhões em todo o mundo, quase o dobro de policiais!

Estudo alerta para descontrole do setor, que ameaça respeito aos direitos humanos. Documento também aponta que, em 2008, Brasil esteve entre os líderes da exportação de armas de pequeno porte e munições, após os Estados Unidos, a Itália e a Alemanha. O setor de segurança privada já emprega aproximadamente 20 milhões de pessoas. O número é quase o dobro da quantidade de policiais em atividade no planeta. O rápido crescimento é fruto da tendência dos governos em terceirizar suas funções de segurança, conforme relatório lançado essa semana com base nos
Herivelto Quaresma

“Se, para entrar no Conselho de Segurança, é preciso ser subserviente, é preferível não entrar”

Celso Amorim, nosso ministro: “Se, para entrar no Conselho de Segurança, é preciso ser subserviente, é preferível não entrar”. Hillary Clinton que se conforme com sua política belicista e imperialista. Esse ministro é do Brasil e, felizmente, não é do mesmo espécime que nossos jornalistas. Outra pergunta que os jornalistas costumam fazer, há pelo menos 10 anos – imaginem o tamanho da paciência requerida – é em relação à pretensão do Brasil de ser um membro permanente do Conselho de Segurança. Estas últimas ações, perguntam em uníssono, não “atrapalharia” tais pretensões?