Gustavo Barreto

São Pedro pediu para você fechar a torneira quando escovar os dentes!

Por em 24/01/2015
São Pedro pediu para você fechar a torneira quando escovar os dentes!

O mundo terá até 2050 pelo menos 9 bilhões de pessoas. Hoje, cerca de 800 mil passam fome, no mínimo. Recursos não nos faltam, os possuímos em demasia, mas as instituições liberais insistirão em dizer que temos que ter mais água para fins agrícolas e aumentar a produção de alimentos, em vez de racionalizar... »

Por que você não terá acesso a esta notícia sobre terrorismo em tempos de terrorismo?

Por em 14/01/2015
Por que você não terá acesso a esta notícia sobre terrorismo em tempos de terrorismo?

Talvez você não tenha acesso a essa notícia acima, e existe um bom motivo para isso. Um homem chamado Dominic Ongwen se entregou e está em custódia. A sociedade civil internacional pede que ele seja levado a julgamento no Tribunal Penal Internacional. Mas quem é Dominic Ongwen? Trata-se de um dos comandantes do chamado... »

Mais vítimas da violência

Por em 12/01/2015
Mais vítimas da violência

Tendo nascido e/ou vivendo no Rio de Janeiro, eu e outras milhões de pessoas somos os maiores interessados no tema da violência urbana. E me assusta a lógica simplista com que se trata as possibilidades de solução. Quando um jovem é morto, há uma comoção. Se o(a) jovem é negro, pobre e da periferia/favela,... »

Velhos companheiros de luta

Por em 02/01/2015
Velhos companheiros de luta

O ministro da Pesca é investigado por peculato, lavagem de dinheiro e desvios de milhões da Sudam, o de Minas e Energia por fraudar licitações e superfaturar o preço do combustível fornecido a órgãos públicos, o da Aviação Civil por envolvimento em crimes em licitações de construção de barragens. A da Agricultura odeia índio,... »

As raízes do Brasil machista

Por em 12/12/2014
As raízes do Brasil machista

Um dos principais traços que os portugueses de outros tempos aqui deixaram foi justamente esse: a “família” vinha em primeiro lugar. Pouco animador: essa família tinha chefe, leis próprias e uma rigidez ímpar. Há mesmo casos na História do Brasil como o do fazendeiro que assassinara a nora por desconfiar de adultério. O homicídio... »

O machismo brasileiro

Por em 06/12/2014
O machismo brasileiro

O machismo brasileiro está sofrendo, me dizem, com uma espécie de “macartismo misândrico”, cujo contexto é o “discurso do ódio” crescente. O brasileiro não está mesmo acostumado a esse tipo de comportamento, escreveu Sergio Buarque de Holanda em 1936. Aqui, as relações de simpatia estão acima das regras impessoais do Estado weberiano, fortalecendo o... »

Para que serve o WhatsApp? Para te confundir!

Por em 08/11/2014
Para que serve o WhatsApp? Para te confundir!

Tudo o que temos à disposição, hoje, já garante uma ótima comunicação para diversos propósitos. Poucas pessoas no ano 2000 acreditariam no que temos atualmente disponível em termos de tecnologias de informação e comunicação. Na ciência, já se sabe há muito tempo: quantidade não quer dizer qualidade. Não há correlação, a não ser por... »

Cuba, o novo orégano!

Por em 01/11/2014
Cuba, o novo orégano!

Continuo estarrecido com a neurose relacionada a ‪Cuba‬, que é colocado no debate como se orégano fosse. É alguma espécie de tara da direita burra brasileira. E por que burra? Porque se essa direita efetivamente se informasse sobre a legislação eleitoral cubana, iria aplaudi-la de pé. É objetivamente, pelo menos em muitos dos princípios,... »

Votos nulos, brancos e abstenções: até que ponto trata-se de um protesto?

Por em 29/10/2014
Votos nulos, brancos e abstenções: até que ponto trata-se de um protesto?

Todos aqueles que votaram nulo, em branco ou se abstiveram não poderiam anular uma votação. Diante das diversas informações equivocadas sobre isso, é importante esclarecer este aspecto da nossa frágil democracia. Anular, votar em branco ou simplesmente não participar de uma eleição invalida a sua participação neste pleito. Os votos dos que participaram são... »

O jogo do poder

Por em 27/10/2014
O jogo do poder

Os processos eleitorais costumam ser, mesmo, tensos. Afinal, mesmo que nossa democracia divida responsabilidades em três esferas, a Presidência da República da sexta ou sétima maior economia do mundo não poderia mesmo deixar de ser intensamente disputada. Eram dois projetos que, a despeito de serem em alguns aspectos muito semelhantes, moldavam o futuro do... »

Busca

Colunistas