Principal » Artigos de Ana Loro Metan
Ana Loro Metan

O sexo dos anjos ou o sexo dos timorenses ladrões de 400 mil dólares

Em Timor-Leste decorre mais uma novela da vida real desde há uma semana: alguém foi “apanhado” com a boca na botija e transportava consigo cerca de 400 mil dólares norte-americanos para depositar em bancos australianos. No aeroporto de Darwin detiveram o ”correio” que continha aquela avultada quantia em voo proveniente de Díli. Caricato foi que em todo este tempo a comunicação social australiana nada referiu, apesar de se julgar saber que aquela enormidade de dólares era pertença de um ministro do governo de Gusmão, o PM da espécie de república corrupta de Timor-Leste. Por quase toda esta semana ninguém avançou com o que aconteceu e acontece na realidade, nem com os nomes dos intervenientes, pelo menos em narração editada em língua inglesa ou portuguesa, e até em tétum tudo tem aparecido muito vago e pareceu-me que a medo. As próprias fontes que na Austrália informaram o
Ana Loro Metan

“Democrata” Eduardo dos Santos, a cara da ditadura angolana em desespero

O regime de Eduardo dos Santos-MPLA está, ele próprio, a cavar a sua sepultura quando mostra a sua intolerância. Agora já não chega mentir sobre raptos e desaparecimentos, sobre detenções ilegais, sobre prisões arbitrárias. Uma vez mais a ditadura de Eduardo dos Santos demonstrou que tudo fará para se manter no poder, até a guerra. Isso é o contrário daquilo que o povo angolano ambiciona. Basta de guerra, de violência, de assassinar angolanos que com toda a legitimidade exigem o fim do regime do ditador. Basta de mentiras porque é tempo de libertar todos os angolanos que a ditadura teima em manter fechados nas suas masmorras.
Ana Loro Metan

Solidariedade dos países lusófonos com Portugal não deve ser cega!

Ajudar sim. Mas com condições que não permitam roubos. Mais ainda porque todos os outros países lusófonos já têm ladrões quanto baste dentro das suas próprias fronteiras (e muita miséria) não fazendo sentido que estejam a alimentar mais ladrões no retângulo da pátria lusa. A solidariedade deve ser destinada aos portugueses carenciados. Só. Nada mais. Cuidado, ser solidário com Portugal é propósito muito vago. Ser solidário com os portugueses carentes de justiça social é o objetivo correto. Não devemos aceitar uma solidariedade cega e injusta porque então não é solidariedade nem ajuda mas sim possibilitar mais roubos e injustiças do que aqueles que já vitimaram os portugueses de menores recursos.
Ana Loro Metan

Miséria, realidade timorense que tem sido escamoteada

Timor Leste está repleto de população carenciada e isso não é o que aparece em reportagens da comunicação social timorense, muito menos na internacional. Em poucos dias em Timor Leste, desde que se contactem as populações, sem sofismas ou baias político partidárias, temos oportunidade de constatar a realidade do nosso povo e ver o seu medo de falar, o seu encolher de ombros parceiro do descrédito e da desesperança. As próprias ONGs, a quem cabe muito mérito em denúncias e ajudas efetivas, talvez se devam aliar sem pruridos, cruzando dados e informações, assim como suas acções no terreno, para mostrar ao mundo e aos timorenses que parecem viver noutro país que há irmãos nossos, timorenses, no nosso país, a sobreviverem em condições deploráveis.
Ana Loro Metan

A independência conquista-se todos os dias

Em Timor Leste e por todo o mundo os timorenses estão a poucas horas da comemoração da independência. Passaram nove anos. É notório que estamos cada vez mais a exercer a nossa independência e a afirmar-nos enquanto nação com vontade própria. Nestes nove anos não aconteceu tudo que seria ideal para o povo massacrado. Vimos povo faminto e alguns que literalmente roubam o que a ele pertence. Não há dúvidas de que a responsabilidade é de Xanana Gusmão e de Ramos Horta, como antes terá sido de Mari Alkatiri enquanto foi primeiro ministro.