Principal » Artigos de Sebastião Fernandes Sardinha
Sebastião Fernandes Sardinha

A busca da identidade docente e a Globalização

É importante notar como a colonização, no mundo moderno só podia ser uma atividade DOCENTE, onde a memória era o dom mais requisitado. A tal ponto que historiadores contemporâneos nossos julgam acreditar que a origem de uma “inteligência brasileira” se dê quando colégios são criados no século XVI.
Sebastião Fernandes Sardinha

A sociedade em rede e o militantismo docente

Manuel Castells, salienta que o poder tem como base o Estado e seu monopólio institucionalizado pela violência, embora o que Foucault chama de microfísica do poder, incorporada nas instituições e organizações, difunda-se em toda a sociedade, de locais de trabalho a hospitais,
Sebastião Fernandes Sardinha

O incrível exército de Brancaleone.

A educação brasileira continua sendo submetida a mesma configuração da Europa feudal, prestando o sistema a tudo que é artifício político visando manter a massa (alunos) e os esfarrapados (professores) ao nível da escolástica cristã.
Sebastião Fernandes Sardinha

O delírio da mosca azul e a dominação legal.

Assim, dentro da estrutura de uma civilização concentrada na segurança, mais liberdade significa menos mal-estar. Dentro da estrutura de uma civilização que escolheu limitar a liberdade em nome da segurança, mais ordem significa mais mal-estar.
Sebastião Fernandes Sardinha
Sebastião Fernandes Sardinha

Professores: nós, os covardes!

Na atualidade, o papel do professor extrapolou a mediação do processo de conhecimento do aluno, o que era comumente esperado. Ampliou-se a missão do profissional para além da sala de aula, a fim de garantir uma articulação entre a escola e a comunidade.
Sebastião Fernandes Sardinha

A Cela de Aulas

A “sala” é ergonomicamente construída para oprimir, vexaminar o educando e reafirmar o poder opressório do sistema, na figura do professor, consolidando seu status superior.