Início » Políbio Braga » Atividade industrial paulista avançou em maio

Atividade industrial paulista avançou em maio

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista mostrou alta de 0,6% entre abril e maio, descontada a sazonalidade, conforme divulgado ontem pela Fiesp/Ciesp.

A indústria paulista é a locomotiva do setor industrial brasileiro.

A expansão apontada pela Fiesp, por sua vez, deu-se de forma disseminada e refletiu o desempenho positivo de treze dos dezoito setores pesquisados. As maiores taxas de crescimento concentraram-se nos setores de impressão e reprodução (4,3%) e de móveis (3,5%). Na comparação inter-anual, houve elevação de 3,0%, ainda acumulando retração de 5,0% nos últimos doze meses. O nível de utilização da capacidade instalada ficou estável em 75,0% entre abril e maio.

Apesar desse resultado positivo da indústria paulista, economistas como os do Bradesco, responsáveis por estas informações, ocorrerá pequena contração da produção industrial brasileira no período, levando em conta a sinalização de importantes indicadores setoriais já conhecidos.

Recuam vendas reais dos supermercados em maio

As vendas dos supermercados apresentaram queda de 7,0% em termos reais na passagem de abril para maio, na série livre de efeitos sazonais, de acordo com os dados divulgados ontem pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Na comparação com o mesmo período de 2016, as vendas reais avançaram 1,1%, e em termos nominais, houve alta de 4,7%.

O desempenho mais fraco das vendas dos supermercados em maio reforça a expectativa de ligeira queda das vendas do comércio varejista no período, após resultado mais forte verificado em abril.

*Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em Santa Catarina, foi para o Rio Grande do Sul aos vinte anos. Foi presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas entre 1962 e 1963. Foi secretário da Indústria e Comércio e da Fazenda de Porto Alegre, além de secretário de Relações Internacionais e chefe da Casa Civil do governo do estado do Rio Grande do Sul. Foi preso duas vezes durante o regime militar brasileiro, em 1962 e 1972. Publicou um livro sobre esta experiência, chamado Ahú, diário de uma prisão política. Trabalhou nos jornais Diário Catarinense, Correio da Manhã, Última Hora, Gazeta Mercantil, Zero Hora, Correio do Povo e Jornal do Comércio, e nas revistas nas Veja e Exame. Também apresentou e participou de programas de televisão na RBS, Band, TV Pampa e TV Guaíba além de programas de rádio. Blog do Políbio Braga

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*