Início » João Antônio Pagliosa » A saúde do brasileiro

A saúde do brasileiro

O programa de governo denominado “Farmácia Popular”, foi criado para garantir preços mais acessíveis de um elenco de medicamentos para a população. Como o dinheiro diminuiu, tal programa vem encolhendo desde o início de 2014.

Atualmente, acima de setenta farmácias populares foram fechadas nos últimos três anos, e simultaneamente, diminuiu em 30% os itens de produtos ofertados. As próprias unidades de saúde, frequentemente não tem medicamentos básicos em suas farmácias, e os usuários voltam para suas casas de mãos vazias.

Alguns remédios sumiram das farmácias populares, obrigando os doentes a adquirir o medicamento nas farmácias de comércio normal, obviamente com preços muito superiores.

Na última semana, ouvi de um médico que seu hospital recebe apenas R$ 650,00 do SUS, para a realização de um parto normal. Segundo este mesmo médico o custo deste procedimento é de R$1.500,00 e o hospital é quem arca com esta diferença.

Não é, pois, à toa, que a rede hospitalar de todo o país enfrenta sérias dificuldades financeiras. E, não há nenhuma solução de curto prazo, pois não há dinheiro para atender a demanda.

O Estado não cumpre a Constituição! A saúde é um direito de todos!

Pena que é só no papel!

E estamos todos embarcados numa canoa furada, quando o tema é assistência à saúde, pelo governo. Se o doente não tiver recursos próprios ele está em maus lençóis. É trágico constatar esta banalização da vida. E muitos estão morrendo, quando poderiam viver!

A propósito de banalização da vida humana, estou lendo um livro intitulado “Medicalização da Vida”, e afianço que conheço um pouco sobre a indústria de medicamentos, e sobre o que já li, é de ficar boquiaberto com as ações desta, que é a segunda maior Indústria do planeta, em termos de lucratividade.

É crível admitir que algumas alternativas de medicação, jamais irá curar o paciente, e sempre o tornará dependente daquele remédio. O objetivo é vender o produto. Curar a doença parece ser um mero efeito colateral!

E os fármacos da alopatia tradicional, apesar de caros e de baixa eficácia, são amplamente usados porque a maioria das pessoas simplesmente desconhece o incrível valor medicinal de muitas plantas de nossa flora. Nós temos uma imensa gama de recursos naturais (Fitoterapia), para cuidar de nossa saúde e pouquíssimos utilizam. Por puro desconhecimento!

Os chás de ampla variedade de plantas são simples de fazer e custam quase nada. E resolvem muitos problemas do dia-a-dia de cada um de nós. E a informação está ao alcance de todos via Internet. Basta teclar e ler!

A saúde do brasileiro não anda nada bem e o governo, sem sombra de dúvida, é o grande vilão dessa história. Mas, cada um de nós também tem a sua parcela de culpa.

Leitor, é preciso que você saia de sua zona de conforto, porque ela poderá matá-lo. Exercite-se, alimente-se bem, deixe a preguiça de lado, entusiasme-se. Tenha Deus dentro de você. Isso ajuda muito!

Vou indicar três produtos que você sempre deve ter em sua casa, porque são úteis para vários fins: Bicarbonato de sódio, Água oxigenada, Óleo de rícino. Pesquise no Google, meu prezado!

E anime-se para viver melhor! Aleluia!

*João Antônio Pagliosa é engenheiro agrônomo.

Comentários

comentários

Comentários

  1. Rui carvallio disse:

    Excelente artigo, João…existe um livro chamado ” A MÁFIA BRANCA” escrito por uma médica chamada Gisleine Lactoc em inglês, sem venda no Brasil, onde ela desmascara essa máfia da indústria médica, comandada pelos laboratórios! A OMC cancelou seu registro médico e ela se dispôs a combater nessa inglória luta contra quem nos mata! Esclarecedor o seu artigo e concordo com o bicarbonato de sódio, muita água e o uso do alcalizador limão em jejum! Viva a saúde! Abaixo essas drogas farmacêuticas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*