Pedro Papastawridis

O que a crise grega tem a nos ensinar?

Nestes tempos de turbulência político-econômica aqui e no exterior (Venezuela, Oriente Médio, Europa, dentre outros), algumas lições precisam ser tiradas das situações indesejáveis para superar a turbulência e voar em céu de brigadeiro. E uma dessas lições deve ser tirada do caso grego. Considerada o berço da civilização moderna e do conceito de democracia, a Grécia possui uma área territorial um pouco inferior à do Estado do Ceará (131.957 km²), um PIB superior ao do Estado do Rio de Janeiro (cerca de US$ 240 bilhões) e um IDH de nação desenvolvida (0,853 em 2013).
Wilson de Oliveira

Grécia: venceu o ‘NÃO’! E agora?

Foi enfática a declaração do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras: "Provamos que a democracia não pode ser chantageada!". Com a vitória do "Não", o povo grego passou, realmente, a ser co-gestor de sua trajetória política e econômica, coisa quase impossível num mundo onde a política financeira baseada no lucro a qualquer custo é quase a razão de existir da humanidade. No berço da democracia e da Filosofia, mais uma lição nos foi dada! Há tempos que a população dos países, sejam eles desenvolvidos ou não, vêm vivendo sob a égide da busca do equilíbrio financeiro que proporciona imensos lucros a poucos e angústias a muitos. Mesmo aqueles países onde a política social é muito presente, como Suécia e Noruega, por exemplo, a saúde financeira de suas economias é ditada por regras extra-fronteiras.
Percival Puggina

E os adversários do consumo, o que dizem?

A indústria automobilística registrou no primeiro semestre do ano uma queda de 20% em suas vendas e avalia que em fins de dezembro esse percentual chegue a 23%. Neste momento, 325 mil veículos estão estocados nos pátios das fábricas e 35,8 mil trabalhadores, ou 25% de todos os recursos humanos das montadoras, estão em férias coletivas, licença ou suspensão dos contratos de trabalho. Enquanto, no primeiro trimestre do ano, o consumo das famílias caiu 1,5%, os indicadores da intenção de consumo sinalizam para uma trajetória de ainda menor e, portanto, para menores vendas. Segundo pesquisa da Fecomercio/SP, a intenção de consumo das famílias caiu 26,3% em 12 meses. No varejo paulista, o mais dinâmico do país, as vendas caíram 12% no mês de abril quando comparadas com o mesmo mês de 2014.
João Lanari Bo

Paris, capital da modernidade

Entre 1848 e 1870 algo muito dramático aconteceu na Europa em geral, particularmente em Paris. Os ventos da modernidade sopraram forte na capital francesa. Mudanças profundas ocorreram na paisagem urbana e nas artes. A pintura saiu dos clássicos David e Ingres, desestabilizou-se com Delacroix e aterrissou no impressionismo de Manet. O pequeno comércio ao longo de ruas estreitas e tortuosas sumiu, substituído pelas enormes lojas de departamento que tomaram conta das espaçosas avenidas, os bulevares. Na poesia, a melancolia moderna de Baudelaire ofuscou a eloquência de Vitor Hugo.
José Renato Nalini

Fundamentalismo ecumênico

O verbete “fundamentalismo” passou a ostentar um sentido pejorativo. Os dicionários o traduzem como o movimento religioso e conservador, nascido nos Estados Unidos no início do século XX, que enfatiza a interpretação literal da Bíblia como fundamental à vida e à doutrina cristãs. Mas o conceito ampliou-se. Fundamentalismo passa a representar qualquer corrente, movimento ou atitude, de cunho conservador e integrista, que enfatiza a obediência rigorosa e literal a um conjunto de princípios básicos. Nessa concepção, pode ser também chamado de integrismo.
Cristovam Buarque

A crise civilizatória e humanitária

O mundo atual não tem estadistas porque os políticos estão divididos entre aqueles prisioneiros da lógica do impossível crescimento econômico ilimitado e para todos e aqueles considerados “lobotomizados”, porque apresentam alternativas de outro futuro, negando as bases filosóficas e econômicas da civilização industrial. A nova encíclica do papa Francisco traz um raio de luz para o debate sobre o futuro desejado e possível para a humanidade. Sua fala vai provocar uma luz na escuridão do debate político no mundo de hoje. Ainda mais: ele oferece uma “teologia da harmonia” para substituir a “teologia do crescimento”.
Mauro Santayana

A resposta de Obama

Se há uma cena emblemática, que passará à história, marcando a visita da Presidente Dilma Roussef aos Estados Unidos, neste ano, esta será a resposta dada pelo Presidente Barrack Obama, na coletiva de imprensa dos dois líderes, na Casa Branca, à pergunta de uma jornalista “brasileira”, dirigida à Presidente da República.
Alexandre Ribondi

O bullying diário contra a presidenta Dilma Rousseff

Hoje à tarde, sentado num café, ouvi da mesa ao lado dois senhores que lamentavam a imensa vergonha de ver a presidente do Brasil ir aos Estados Unidos de pires na mão, já que o nosso país está quebrado. Tudo isso é mentira, é claro, mas não foi inventada pelos dois senhores que apenas repetem, como papagaios, o que é dito e clamado nas redes sociais e na mídia nacional. E não é para se surpreender, porque qualquer brasileiro sabe que da Dilma Rousseff já se inventou de tudo. Que a filha dela se tornou dona de 20 empresas e está milionária. Que ela liberou R$ 13 milhões para erguer estátua do Lula. Que proibiu divulgação de investigações de acidentes aéreos acontecidos no nosso céu.
Marisa Bueloni

Aprendendo a respeitar

Antigamente (permita-me essa licença poética), havia dois sexos: o masculino e o feminino. De certa forma, ainda é assim. Em qualquer formulário, aparecem apenas os dois sexos para colocar a cruzinha. Nas compras pela internet, estão lá os dois sexos, e clicamos num deles. Até a internet mantém esta regra binária para o universo da sexualidade. Mas o mundo mudou. Os tempos são outros. Embora o padrão da matriz biológica seja a heterossexualidade, ninguém mais fecha os olhos para a diversidade sexual que se impõe cada vez mais na mídia e em toda parte.
João Oliveira

O chefe

Existe uma diferença básica entre o líder e o chefe: o chefe ordena, mas, o líder lidera. Parece mais uma pegadinha semântica, no entanto, não é. Ocorre que o verdadeiro líder é carismático e consegue que seus colaboradores o sigam pela empatia que gera no ambiente. Dar o exemplo, apresentando em seu próprio comportamento, como as coisas são feitas é somente o primeiro passo, o líder deve elogiar, dar conselhos e estar sempre pronto para assumir a responsabilidade pelo grupo quando alguma coisa der errado. Não é tarefa fácil e nem todo mundo está preparado para liderar uma equipe, que nem precisa ser muito grande: onde encontramos duas pessoas atuando pode ter certeza que uma delas exerce algum tipo de liderança.
Valmir Fonseca Azevedo Pereira

Uma esperança muito tênue na justiça nativa

Há muito tempo a sociedade nacional vem se portando como omissa. Como muitas outras, é claro. Vemos o que ocorreu e ocorre em vários países, inclusive na América Latina. Sabemos como o peronismo arrasou a Argentina, como Fidel afundou Cuba e como Chávez trucidou a Venezuela. Poderíamos prosseguir com outros abusos de tiranetes, e de como a gentalha daqueles países sobrevive com aqueles escroques populistas e suas tiranias.
Julio Cesar Cardoso

A derrota da bancada dos ‘bebezinhos’ infratores

Com pedalada ou não, ressurge a esperança de que os crimes praticados por adolescentes infratores não fiquem na impunidade. Assim, os “bebezinhos” infratores, quando afrontarem a sociedade desarmada, pacífica e pagadora de impostos, receberão a merecida resposta da lei como devem receber todos aqueles que não se comportam dentro da legalidade, inclusive a corja de políticos corruptos ou os que protegem quadrilha de corruptos, que desvia recursos públicos, como no petrolão, que deveriam ser aplicados na educação da sociedade mais carente, nos serviços públicos de saúde e na segurança dos cidadãos.
José Renato Nalini

Falta responsabilidade

Já não pode ser ufanismo ingênuo, ou apenas “cara de pau”. O Brasil vai muito mal e parece que poucos se dão conta disso. Há quem acredite que este tsunami é “marolinha” e que o país sempre enfrentou crises e sempre conseguiu sair delas. Mas hoje não existe “uma” crise: existe um feixe de crises, uma coleção de crise, um punhado horripilante de crises. Em 1970, a economia brasileira representava 1,5% do PIB mundial e a China equivalia a 0,8%. Já em 2011, o Brasil chegava a 2,1% e a China superava 8,1%. Em relação ao comércio, nos anos 80 a participação do Brasil no cenário mundial era de 1,3% e empatava com a China. Hoje o Brasil continua na mesma e a China multiplicou por dez sua participação.
Bruno de Abreu Rangel

Como descobrir se seu amigo hétero é gay?

Quer saber como descobrir se aquele amigo pitboy é uma Lhasa? Se ao invés de brother ele é uma Gaga? Você que tem dificuldades de identificar se alguém é ou não gay, que tem o radar fraco, ou é inocente demais, aqui vão algumas dicas que, terminantemente, não falham. Chega de falsas suspeitas, ou ele é ou não é.
Guilhermina Coimbra

A visita da presidente

Os efeitos da visita da Presidente do Brasil à Washington, D.C., repercutirão sobre a população brasileira. (...) Sob o mandato da atual Presidente, o Brasil está agindo com rapidez para frustrar a vulnerabilidade brasileira à espionagem eletrônica de fora do Brasil. Dias após a reeleição da Presidente, a companhia estatal Telebrás anunciou planos para a construção de um cabo submarino de telecomunicações por fibra ótica com Portugal através do Atlântico. O planejado cabo da Telebrás se estenderá por 5.600 quilômetros, da cidade brasileira de Fortaleza até Portugal, representando uma ruptura maior no âmbito das comunicações transatlânticas, até então, sob domínio da tecnologia norte-americana.
Lugus Chrispino

Aposentadoria, uma odisséia!

Tenho acompanhado de perto essa coisa toda relativa a aposentadoria, até por que, ainda estou na ativa até os 65 anos, visto que, só lá poderei me aposentar nas prefeituras. Bom vou tratar neste texto dos homens. E comecei a ver e pensar como podemos amarrar aposentadoria e nossa vida. Pelas políticas que estão sendo colocadas um homem terá de ter 60 anos e 35 anos de trabalho para poder se aposentar. Bom numa conta simples me daria começar a trabalhar aos 25 anos para poder me aposentar aos 60. Ai vem as questões, muito importantes, 25 anos para começar a trabalhar? O que fazemos até lá?
César Maia

Grécia, um referendo mundial!

Neste domingo (05), o governo grego fará realizar um referendo sobre o acordo com a União Europeia e as obrigações do governo grego. Uma vitória do NÃO, defendido pelo governo de esquerda, legitimará as ações de resistência dele em relação às medidas exigidas. O SIM poderá abrir as portas para o acordo, com o governo lavando as mãos, dizendo ter honrado seus compromissos, mas que a decisão foi do povo. Ou renunciando e convocando novas eleições. As consequências do rompimento do acordo com a União Europeia são imprevisíveis, pois enquanto alguns dizem que virá o caos, outros acham que a União Europeia terá que acomodar uma solução.
Márcio Garcia Vilela

Quando inteligência e ignorância se cruzam

Dizem as pessoas que conhecem pessoalmente o ex-presidente Lula é dotado de extraordinária inteligência. Se tivesse buscado o saber, o conhecimento formal, uma boa cultura e o aprendizado de invejável formação e grandeza moral, principalmente a pública, poderia ter-se tornado um político imbatível, livrando-se dos transes em que se meteu, pelo bem do Brasil e nossa sorte. Já pensaram em um Lula assim acabado? Não o sendo, foi nosso mal. Sim, porque carece o homem público, o líder sindical, o homem do povo da qualidade do sabedor e de uma dose bem maior de sabedoria, se é que bafejado por alguma, talvez o primado de tudo.
Pedro César Alves

Loucuras por liberdade

O que pensam os seres humanos sobre a loucura? Creio que devem pensar muitas coisas, entre elas o porquê de alguém parar, pensar e escrever sobre a loucura – ou, ainda, o porquê de alguém parar, pensar e estudar a loucura. Eu realmente fico pensando neste processo intitulado loucura e chego até a dizer afirmativamente que todos têm um pouco de loucura em seu ser, pois às vezes é difícil acreditar que certas coisas acontecem – mas acontecem. É interessante que muitos já fizeram isso. Se pegarmos os escritos antigos vamos notar que muito já se estudou, se pesquisou, se escreveu sobre o assunto.
Maria Cristina Castilho de Andrade

Assuntos polêmicos

Discordo da “ideologia de gênero”, assunto rejeitado no Plano Nacional de Educação (PNE) e que ressurgiu no dos municípios (PME). É a negação da identidade biológica masculina ou feminina, tornando-a uma função social. Considero ofensivo o uso pejorativo de vestuário e símbolos religiosos em parada gay, desfile carnavalesco, baile à fantasia etc. Não deixa de ser uma intolerância contra os que vivem a sua fé. Falta nobreza de atitude.(...) Sou contra a redução da maioridade penal. O sistema carcerário brasileiro é falido. A superlotação dificulta que o ser humano passe por um processo de mudança.
Rui Ramos

Grécia: a Europa é o dinheiro dos outros

Não me peçam para adivinhar o fim desta história. Com os bancos fechados, um pagamento falhado ao FMI, a população em fila diante das caixas automáticas, e um confuso referendo marcado para domingo, vai a Grécia ficar no euro, ou sair? Ninguém sabe. Nem Juncker, nem Tsipras, nem Merkel, nem Obama. Ninguém, nos bastidores, está a puxar os cordelinhos. Ninguém tem um plano, ninguém percebe bem o que está a acontecer, ninguém sabe o que vai acontecer.
Ricardo Ernesto Rose

Descarbonização da economia

Em todo o planeta é possível ver os primeiros efeitos do fenômeno das mudanças climáticas. Dentre estes, os que mais chamam a atenção por seu impacto e efeito prolongado, são as secas. Estas estão afetando várias regiões do mundo, de uma forma mais acentuada do que vinha ocorrendo no passado. Exemplo disso é a estiagem que ocorre na região Sudeste do Brasil. Apesar de cíclica, ocorrendo aproximadamente a cada 20 a 30 anos, na atual temporada está mais prolongada e severa. A deficiência na gestão da crise hídrica por parte de governos, contribui para tornar o problema ainda maior.
Carlos Chagas

Dinheiro e eleições são incompatíveis!

É crime desviar dinheiro da Petrobrás para empreiteiras pagarem propina a políticos e a partidos, visando manter e ampliar contratos superfaturados com a empresa. Mas não será crime, também, candidatos comprarem votos com esses recursos podres para eleger-se, distorcendo o processo eleitoral? Está na hora de o Congresso rever fundamentalmente as regras do jogo. A Câmara deixou de votar a proibição de empresas doarem para partidos, ainda que não possam mais fazê-lo para candidatos. Como o Supremo Tribunal Federal interrompeu o julgamento da questão, quase um ano atrás, continuamos diante da prática criminosa de eleições compradas. De mandatos adquiridos pelos mais ricos ou pelos que recebem, direta ou indiretamente, através dos partidos, dinheiro para iludir o eleitor.
Jenner Barretto Bastos Filho

Festina lente

O desenvolvimento de um país e o aprimoramento de seu sistema educacional, requerem, ambos, alguma orientação inspirada no "Festina lente". É necessário que sejamos resolutos na aplicação de políticas públicas de inclusão social necessariamente acompanhadas de correção de rotas que sejam embasadas em conhecimento sólido acerca do que de fato desejamos e ao mesmo tempo cuidarmos diuturnamente, e sem afogadilhos, do fortalecimento das instituições democráticas a fim de que sejam evitados retrocessos graves. Afinal, neste ano de 2015 estamos completando trinta anos de normalidade democrática, em que pese tantas marchas e contramarchas. Em suma, trata-se de uma recusa ao imobilismo ao mesmo tempo em que se constitui em um incentivo em prol de uma agilidade que seja prudente, resoluta e temperante.
Murilo Rocha

Arbitrariedade e imoralidade

Mais uma vez, Cunha "et caterva" repetiram o autoritarismo e o desrespeito à Constituição, como já haviam feito na votação sobre a legitimidade das doações de campanha por empresas, e viraram a mesa. Após uma longa sessão de tortura de terça para quarta-feira – foram cinco horas de debate de baixíssimo nível, com raras e louváveis exceções – a proposta de reduzir a maioridade penal para crimes graves de 18 para 16 anos foi rejeitada. No entanto, o alívio durou exatamente 24 horas.
Ivani de Araújo Medina

Nos bastidores do Islamismo que tanto cresce no Brasil

O nosso povo não sabe que o Islã nada tem a ver com a democracia e as conquistas sociais que tanto prezamos. Como toda ortodoxia religiosa não aceita nada fora dos seus dogmas e costumes tribais antigos. Não quer saber de reforma ou secularização. O que o Brasil tem a ver com essa crença do deserto? Absolutamente nada. Será que o Islã seria capaz de nos conduzir a algum novo tipo de progresso? Duvido. Desde a Idade Média o progresso se mudou com mala e cuia para o Ocidente.
Genival Tatuapé

Porto Rico também está à beira da falência!

Mais um país está perto de falir: Porto Rico, que anunciou publicamente que não vai conseguir pagar a dívida, que é neste momento superior a 70 bilhões de dólares. Como a soberania da ilha está sob responsabilidade dos Estados Unidos da América (EUA) na prática o país não pode falir. O governador de Porto Rico, Alejandro Garcia Padilla declarou ao "The New York Times", nesta segunda-feira, que “A dívida não é pagável”. Disse ainda que “Não há outra opção. Gostaria de dispor de uma opção mais fácil. Isto não é política, é matemática”.
Martim Berto Fuchs

Sugestões para tornar o Estado mais eficiente no Brasil

Temos no Brasil algo em torno de 11 milhões de pessoas nas diversas folhas de pagamento do setor público. Tranquilamente, sem medo de errar, a metade está sobrando. Cinquênta por cento representam R$ 260 bilhões por ano só de folha de pagamento, fora as despesas que eles criam. Prefeito nenhum, governador ou presidente, até agora, mandou algum desses parasitas procurar trabalho, pois no setor público eles tem apenas emprego, sem ter nenhum trabalho a executar.
Bruno de Abreu Rangel

O mínimo que você precisa saber antes de desistir de um relacionamento

Só o amor não é o suficiente. É a etapa da intolerância, da tendência a auto-destruição, do silêncio incômodo em frente à TV, dos assuntos repetitivos, das críticas por bobagens, da desconfiança desnecessária, do ciúmes exagerado (que é o medo de perder dando sinal de vida), do sexo de vez em nunca, do perdão de mentirinha que ressurge com cobranças ainda mais caras, da falta de pequenos gestos, dos elogios que caíram no marasmo, da economia de afetos, do romance que ficou trancado numa gaveta cuja chave se perdeu entre tantas outras coisas.
João Oliveira

O emagrecimento pela palavra

A sociedade exige cada vez mais de nós. Ninguém está completamente isolado ao ponto de poder se considerar livre de julgamentos diários que vão, desde da forma como se fala até as roupas que usa. A forma física passou a ser um item de consumo e, mesmo diante de todas as crises financeiras que temos notícias, as academias de ginástica (termo ultrapassado) se proliferam anunciando um crescimento maior que as farmácias e drogarias. Somos vítimas de nossos próprios conceitos. Em 2010 finalizamos uma pesquisa de dois anos onde focamos nossa atenção na obesidade como resultado de um mal-estar instalado.
Wilson de Oliveira

Governo grego não cede às pressões internacionais!

O mercado financeiro internacional está em alerta: a Grécia dará calote, sim! E quem disse isto não foi nenhum especulador, mas sim o primeiro-ministro grego Alexis Tsipras. Há dois pontos chave que ficam bem claros nas palavras de Alexis Tsipras: o governo grego ainda quer chegar a um acordo com a Europa, mas não através das propostas dos credores. É por isso que apela ao voto contra o resgate financeiro no referendo do próximo domingo, para dar a Atenas margem de manobra nas próximas negociações com Bruxelas.
Percival Puggina

Presidente, constrangedor é o seu governo!

Como brasileiro, sinto-me constrangido. Cheguei da Inglaterra na semana passada. Sem exceção, todas as perguntas que me fizeram sobre o Brasil, em estações de trem, no metrô e no comércio, se referiam aos escândalos e à perda de credibilidade do governo. Algo assim é incompreensível no Reino Unido porque lá o regime proporciona condições para que maus governos caiam naturalmente, dentro da norma constitucional.
Carlos Chagas

Impossível desconhecer a Constituição

Dilma não conseguirá tirar do Congresso o dever irrevogável de zelar pela sobrevivência das instituições democráticas. Porque, frente a tantos escândalos denunciados e evidenciados, não sobreviveremos como nação e como estado organizado caso não se faça justiça. Pode ser cruel o afastamento de quem não participou, pessoalmente, do festival de corrupção encenado até antes de seu primeiro mandato, mas fica claro que tudo aconteceu com seu conhecimento. Como imaginar que pudesse fechar-se na redoma de vidro do palácio do Planalto, cercada por inocentes e, mesmo, por coniventes? Até por isso, se fosse verdade, não teria condições de continuar. O país não aguentará três anos e meio de silêncio, depois de tanto tempo com as vísceras expostas.
Petrônio Souza Gonçalves

Ventos da história…

Era a tarde de um sábado do mês de agosto do distante ano de 1976, exatamente uma semana antes da morte do ex-presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, quando saiu na imprensa e nos corredores do poder o boato da morte de JK. Juscelino estava com a família em sua fazendinha, em Luziânia, incomunicável, nos arredores de Brasília, vivendo seu exílio consentido, e sua amiga de todas as horas Vera Brant - irmã mais velha de meu saudoso amigo e inconfidente pós-moderno Celso Brant - sabia disso. Anos depois, ela me contou essa história, por telefone, e ainda se emocionava, muito. Abalada, Vera Brant pegou o carro com seu motorista particular, já à noite, e foi até a fazendinha encontrar com Juscelino, quando contou ao presidente a péssima nova que pairava no céu do Brasil. O ex-presidente e toda a família ficaram assustados e chocados com a notícia e com o episódio em que se viram envolvidos.
Renato Kress

O prato faz parte da louça!

Quem compartilha fotos de crianças esfomeadas deixa de consumir os remédios que a indústria farmacêutica cria usando países africanos como cobaia? Sabe dessa relação? Deixa de comprar celulares e computadores novos indiscriminadamente porque sabe que os velhos serão descartados por navio e avião nas costas da África criando um monte de doenças degenerativas pela corrosão natural dos seus mecanismos e pela exposição dos metais pesados e químicas pesadas como a do lítio e do mercúrio que são expostas nas terras dessas crianças apresentadas na foto? Deixa de consumir produtos das marcas que fazem isso? Deixa de comprar os anéis de ouro ou pedras preciosas que são retiradas de cidades que foram comidas pelo tamanho colossal das minas de extração de diamantes, ouro e outras pedras e metais preciosos retirados do continente africano? Boicota a H.Stern e a Amsterdam Sauer?
Alexandre Homem Cristo

O referendo e a fraude democrática

É fácil vender a ideia romântica de referendo como iniciativa exemplarmente democrática, em que ao povo é dada liberdade de opções e capacidade para decidir. Foi essa ilusão que Tsipras apresentou quando anunciou o referendo, elevando-se a si e ao seu partido como paladinos da democracia. Nada de novo. Por um lado, Tsipras sempre nos quis convencer do contra-senso de que liderava uma batalha pela democracia contra todos os 18 outros membros do Eurogrupo. Por outro, a esquerda é, por tradição, perita em vender ilusões perigosas em nome de valores que pretendemos universais, como a igualdade, a liberdade ou a justiça.
Silvio Persivo

Governo trata inundação como se fosse vazamento

Segundo apurou o jornal "Folha de S. Paulo", Lula teria estimulado o Tribunal de Contas da União-TCU, para questionar as contas de Dilma Rousseff. Isto mesmo. Segundo publicado pelo jornal “Lula disse ao ministro José Múcio Monteiro, de quem é próximo, achar razoável que o órgão pedisse explicações sobre as pedaladas fiscais”. Parece até coisa de maluco, mas, faz sentido quando se verifica que o ex-presidente, segundo também a imprensa, não temtido boas noites de sono com a possibilidade de ser preso em futuro próximo. Possibilidade que se agravoumuito com a homologação da delação premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC, pelo procurador-geral da República, Janot, “que deve abrir nos próximos dias mais procedimentos" onde, segundo consta, se inclui Lula e Edinho Silva numa primeira fase e, em seguida, Dilma Rousseff.
Luiz Tito

O Brasil no volume morto

O atual estágio do PT, sem capacidade de reação para deixar o “volume morto” onde seus maiores nomes reconhecem que está, deixa claro o quadro de dificuldades que a agremiação e seus membros terão nas próximas disputas. Só um milagre seria capaz de fazer com que o PT conseguisse levar para as ruas uma motivação que melhorasse sua aceitação pelo eleitorado. Como está hoje, assumir que pertence e acredita no PT anda perigoso. Por falta de transparência em suas ações administrativas, por inabilidade política, pelas dificuldades de ajustar-se com os demais partidos da base de sustentação da presidente Dilma, a maior parte delas construídas pela postura belicosa e rabugenta da própria presidente, o PT não conseguirá repetir o êxito alcançado nas últimas disputas.
Andy José Silveira

Conhecimento ou sabedoria?

A chave para o sucesso para uma vida saudável pode estar na mescla entre os aspectos da intelectualidade e da espiritualidade. É fato: a busca constante pela realização profissional faz com que a procura pelo conhecimento seja cada vez mais imprescindível na conquista por salários pomposos, status e poder. Saber idiomas diferentes, elaborar planilhas em Excel, conhecer técnicas de negociação, trabalhar em equipe, relacionamentos interpessoais... Esses e outros pontos são ensinados na vida acadêmica e são, inquestionavelmente, importantíssimos para o desenvolvimento pessoal e profissional e estão diretamente atrelados ao conhecimento. Porém, isso é o suficiente? Ser um profissional diferenciado é sinônimo de felicidade? Pessoas intelectualizadas são bem sucedidas?
Fernando Antônio Carneiro de Carvalho

Deus & matéria

Segundo Hélio Pellegrino, na Suma Teológica de Santo Tomaz de Aquino está dito que: "Nada há no intelecto que antes não tenha passado pelos sentidos". Pellegrino atribui a esse conceito uma inspiração "absoluta e perfeitamente materialista" e extrai dele a seguinte "consequência": "Se tudo o que existe no intelecto humano passa antes pela experiência dos sentidos, pode-se daí concluir que o conhecimento de Deus, antes de vir dos céus, irrompe da terra, da pele do mundo, da riquíssima variedade do espetáculo que nos é oferecido" pela natureza.
Wagner Victer

Os vinte anos do eterno gol de barriga

O FLA x FLU com o gol de barriga de Renato Gaúcho encarna bem essa mística, pois foi nele que de maneira suprema e até porque não dizer calhorda, no bom sentido da gozação que inspira o futebol, que despachamos para casa o nosso maior adversário, Flamengo, no ano do seu centenário e com um time que apelidavam de time dos sonhos, pois ostentavam a frente o então maior jogador do mundo, Romário, consagrado na Copa anterior.
Carla Pereira

Repúdio à intolerância religiosa

Como todos sabemos, o Brasil é oficialmente um estado laico, pois a Constituição Brasileira e outras legislações preveem a liberdade de crença religiosa aos cidadãos, além de proteção e respeito às diversas manifestações religiosas. Estado laico significa um país ou nação com uma posição neutra no campo religioso. Também conhecido como "estado secular", o estado laico tem como princípio a imparcialidade em assuntos religiosos, não apoiando ou discriminando nenhuma religião. Um estado laico defende a liberdade religiosa a todos os seus cidadãos e não permite a interferência de correntes religiosas em matérias sociopolíticas e culturais.
Celso Lungaretti

Opções desastrosas do PT

A ficha já deve estar caindo para os petistas que me satanizaram ou ignoraram durante a última campanha eleitoral: era eu quem via mais longe, não os gênios que dirigem o partido. Bom conhecedor do que seja um arrocho fiscal, uma recessão e de como se comporta o povo brasileiro quando seu bolso fica vazio, eu adverti: já que lhe faltava coragem política para tentar trilhar caminho diferente do da ortodoxia econômica do capitalismo, então melhor seria o PT, pelo menos, não continuar na Presidência da República em 2015/2018, deixando para outra força qualquer o mico de acertar as contas públicas tirando o couro e o sangue dos explorados.
Miguel Tamen

A palavra ‘bastante’

O uso do advérbio ‘bastante’ não é assim frugal. Suspeita-se que quem o usa esteja a acrescentar qualquer coisa ao adjectivo junto do qual o usa, embora aquilo que acrescenta seja misterioso. Uma pessoa bastante boa não será talvez exactamente igual a uma pessoa boa. Mas como explicar a diferença? Uma explicação plausível é a de que ‘bastante bom’ exprimirá uma gradação de ‘bom’. ‘Bastante bom’ estaria para ‘bom’ como na escola ‘bom com distinção’ estava para ‘bom’; e ambos para ‘muito bom’. Assim, na nossa teoria moral, e por ordem crescente, haveria pessoas más, medíocres, suficientes, boas, bastante boas, e muito boas (nalgumas escolas haveria mesmo pessoas excelentes).
Vicente Limongi Netto

O pavor e o medo tomaram conta de Brasília

A verdade precisa ser dita. Bobagem tentar esconder o sol com a peneira. Basta de conversa fiada. O brasiliense não suporta mais viver com tantos problemas. A ex-capital da esperança tornou-se um caos. Triste constatação. Em todo lugar predomina a avassaladora insegurança. O atendimento nos hospitais e prontos-socorros é medonho, humilhante e desrespeitoso. O transporte público, um horror. Uma vergonha. Diariamente as notícias ruins, tristes e assustadoras tomam conta da televisão, rádio e jornais. O medo tomou conta da rotina do cidadão. O lero-lero das autoridades chega a ser cínico. Alunos não têm mais segurança nem dentro das salas de aula.
José Renato Nalini

Aposentar é morrer?

O Brasil tende a ser uma República de aposentados. Pessoas de todas as idades se aposentam. Um paradoxo é o de que os poucos que não gostariam de se aposentar são compulsoriamente desligados do serviço público. Mas não se estanca a contínua defecção daqueles que, mesmo tendo idade e condições físicas e mentais, preferem partir para o chamado “ócio com dignidade”. Mas a vida do aposentado não é aquela maravilha. Uma pesquisa do IBGE realizada em 2013 constatou que 46% dos beneficiários do INSS dependem de parentes para custear suas despesas pessoais.
Julio Cesar Cardoso

A um passo do paredão

No desenrolar dos fatos da Operação Lava-Jato, o juiz Sérgio Moro determinou a prisão de Marcelo Odebrecht e Otávio Azevedo, presidentes da Odebrecht e da Andrade Gutierrez, por considerar que os dois comandavam o cartel de empresas que ganhavam contratos da Petrobras em troca de pagamento de propina a funcionários da estatal e a políticos. E está a um passo de alcançar o ex-presidente Lula. O ex-presidente da República, apelidado de “Brahma”, é tratado pelos empresários como auxiliar capaz de viabilizar negócios no Brasil e em outros países. Os empreiteiros cuidavam da agenda do ex-presidente, marcavam audiências e colocavam seus jatos particulares à disposição dele, tudo feito com discrição. Lula era devidamente remunerado através de palestras, que chegavam a 300.000 reais, segundo Okamotto. E com ajuda dos empresários, a filha morou no exterior, o filho ficou milionário e o sobrinho virou empresário de sucesso.
Diogo Quirim

Educar imparcialmente, um desejo intolerante…

O programa "Roda Viva", apresentado pela TV Cultura em 8 de junho, entrevistou o atual Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro. Próximo ao fim do programa, João Gabriel de Lima, diretor de redação da revista "Época", após traçar críticas à crescente radicalização e polarização na política brasileira, perguntou: “Por que PT e PSDB mantêm o debate público em um nível tão baixo?”. Ainda: “O que a educação pode fazer para ensinar o convívio dos contrários?”. O ministro, prontamente, respondeu que, para melhorar o debate político, deve-se considerar democracia e educação como termos equivalentes, em que é necessária uma formação para o respeito do outro. Augusto Nunes, o apresentador do programa, por sua vez, lançou uma questão polêmica: “O ensino de História não estimula essa radicalização (política)?”. Deixo a pergunta em suspenso.
Marisa Bueloni

Da matéria dos sonhos

Gosto muito desta frase de Shakespeare: “Somos feitos da mesma matéria dos sonhos”. Este dito me faz sonhar. Creio que nossos sonhos são a nossa esperança, desde o momento do nascimento. Vamos crescendo, reconhecendo as diferentes etapas da vida e os sonhos estão presentes em todas elas. Jamais deixar de sonhar, eis um lema fundamental para cumprirmos bem nossa caminhada terrena, sem perder o interesse pela vida e a curiosidade que nos faz vivos, a cada respiração de nossa caixa torácica.
Milton Corrêa da Costa

Sono e distrações ao volante podem ser fatais

O carro continua sendo, pois, uma perigosa e permanente arma mortífera. Dirija (sempre) com atenção e os cuidados indispensáveis à segurança de trânsito. Preserve a vida. Se beber não dirija. Use o cinto de segurança. Quando estiver dirigindo não faça uso do celular ou tablet. Além do sono, outros comportamentos ao volante provocam distração e desatenção e colocam motoristas em situação de risco, sendo causas de graves acidentes no trânsito. Aí estão as dicas para a máxima atenção ao volante:
Paulo Tunhas

A marcha da loucura

Não sou historiador, nem economista, nem nunca tirei curso algum sobre a chamada “construção europeia”. O que, em princípio, me aconselha alguma prudência em matéria de opiniões próprias sobre a evolução da União Europeia. E tento ter a tal prudência. Para mais, embirro com argumentos dialécticos, no sentido particular de argumentos suportando visões muito gerais (“fim da história”, etc.) que não são verdadeiramente susceptíveis de análise. Mas confesso que, quando leio ou ouço propósitos sobre a necessidade do “aprofundamento” (horrível expressão) da construção europeia, o que sinto é medo, medo das consequências péssimas que daí podem advir. Porque me parece que esses propósitos, belos e puros que sejam, ignoram o grosso dos ensinamentos empíricos dos últimos anos.
Ignácio Ramonet

A nova geopolítica do petróleo

Em que contexto geral desenha-se uma nova geopolítica do petróleo? O país hegemônico, os Estados Unidos, considera a China como a única potência contemporânea capaz, a médio prazo (na segunda metade do século XXI), de rivalizar com ele e de ameaçar sua hegemonia solitária em nível mundial. Por isso, Washington estabeleceu secretamente, desde o princípio dos anos 2000, uma “desconfiança estratégica” com relação a Pequim.
Lugus Chrispino

O que Karl Marx diria?

Estou na casa da minha mãe em Minas e acompanhando de perto os acontecimentos futebolísticos e políticos de nossa “patrias brasilis”. Novo capítulo futebolístico: sr. Eurico “Carmem” Miranda anuncia a contratação de novos reforços para o bichado Vasco (quando ele vai ganhar uma partida nesse Brasileiro?). Contratações de estrelas: Andrezinho (se ainda fosse Andrezão), Herrera e Léo Moura... Pera, Léo Moura não era o lateral do arqui-inimigo do Vasco, o Flamerda (palavras dos vascaínos não minha, só peguei emprestado)? Esse mesmo.
Alzir Rabelo

Rodízio de guarda-chuva

Alguém aí já perdeu guarda-chuva? Já, né? Eu também. Algumas vezes. Ou melhor: muitas vezes. Quer dizer: muitas, muitíssimas vezes. Cá entre nós - e que ninguém nos ouça: uma porrada de vezes! Passei a comprar só daqueles pequenininhos, automáticos. Praticamente descartáveis. Mas gosto mesmo dos maiores, que podem abrigar duas pessoas. Enfim... Há uns dois meses, resolvi comprar um grandão, cuja mola não estraga à toa e as varetas não teimam em fazer contorcionismos indevidos. Assim o fiz. Foi caro pra caramba. Coisa boa, cabo trabalhado, com uma bossa que, dobrado, fica pequeno, mas, quando aberto, se agiganta.
Pedro Bondaczuk

A maldição de Midas

Há pessoas que parecem ter esse mesmo encanto de Midas, mas ao contrário deste, não admitem se tratar de grande maldição. Tudo o que tocam parece virar ouro, que juntam, juntam e juntam, sem saber o que fazer com ele. Não sabem usufruir a fortuna que têm. Desconhecem que os verdadeiros bens da vida são imateriais. Esses insensatos, cuja ambição desmedida se concentra exclusivamente na fortuna, nunca têm certeza, por exemplo, de serem, de fato, amados. Não sabem se o “amor” que lhe juram devotar é genuíno ou se é mero fruto de interesses. O mesmo vale para as amizades, na verdade quase todas interesseiras mesmo.
César Maia

Afinal, onde está o João Santana?

Durante anos dos governos Lula-Dilma, o que se via era ambos despachando com o publicitário João Santana para desenhar a publicidade do governo na TV e aumentar ou recuperar, virtualmente, prestígio. E agora? Dilma bate recordes de impopularidade. Lula vai junto e passa a dar entrevistas e fazer palestras dando show de oportunismo, transferindo responsabilidades para Dilma e o PT.
Ricardo Ernesto Rose

Pesquisas de opinião e a questão ambiental

Recentemente o jornal "Folha de São Paulo" publicou pesquisa realizada pelo Datafolha, informando que 95% da população concorda que as mudanças climáticas estão afetando o país. Na entrevista, 90% das pessoas disseram que a questão tem relação com a crise hídrica e energética que está afetando o Brasil. A enquete identificou que o tópico das mudanças climáticas não é claro para todos os entrevistados. Destes, 88% já ouviram falar sobre o assunto, mas só 28% se consideravam bem informados. Mesmo assim, 85% dos participantes na pesquisa disseram que a questão das mudanças climáticas era motivo de preocupação para suas famílias e para o futuro do planeta. Em um aspecto, porém, os entrevistados foram quase unânimes, ao dizer que o governo pouco está fazendo para minorar o impacto do fenômeno no país.
Mauro Santayana

Internet e privatização

O Procon-SP multou as quatro maiores operadoras de telefonia do país em R$ 22,6 milhões por cortar a conexão de usuários. Por decisão da Justiça, Claro, Oi, TIM e Vivo estavam proibidas de bloquear o acesso à internet após o término do pacote de dados em São Paulo. A liminar, concedida no final do mês passado ao PROCON, vale para todos os clientes do estado que contrataram, até o dia 11 de maio, pacotes de internet com redução de velocidade. Desde a obtenção da liminar, o PROCON recebeu mais de 20 mil reclamações de quebra de contrato.
Renato Kress

Relato de um amor social

Passando em frente à Igreja Nossa Senhora da Glória, no Largo do Machado, ouvi uma comoção geral e algo em torno de uns trinta jovens correndo para o início da escadaria da igreja. Uma senhora, de uns 55-60 anos havia tropeçado e batido a cabeça várias vezes rolando a escadaria. Por sorte dela havia terminado a poucos minutos uma reunião de jovens contra a redução da maioridade penal na escola Eden, na rua ao lado. Claro que jovens lutando contra a redução da maioridade penal estão ali porque estão devendo à sociedade e morrendo de medo de serem presos, certo? Errado.
Osny Ramos

Cuidado com as cores de seu ambiente!

A percepção visual é a mais intelectual das cinco percepções, e contribui com 80% para a produção do conhecimento, isso é o que dizem os neurocientistas. O fóton bate na superfície das coisas e reflete para a retina, e daí ele se dirige em direção ao cérebro, na forma de sinal aferente, é assim que funciona o processo da percepção visual. Cada fóton refletido transporta a sua respectiva quantidade de energia, que em Física Quântica nós físicos chamamos de Quantum de Energia.